03/04/2017

Crónica de Genebra



Nelson Fernandes 
Constituição da República Portuguesa.

Artigo 1°.
(República Portuguesa)
“ Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma SOCIEDADE LIVRE, JUSTA E SOLIDÁRIA”.

     Caros Leitores, o problema começa por aqui. Escreveram-se Constituições, escreveram-se Leis e mais Leis, mas a tudo isso, nunca foi nem, é atribuído qualquer valor. Nada, (daquilo que eram as linhas gerais da Democracia proposta pós 25 de Abril), foi realmente seguido à letra escrita. Já para não falar de tudo o que foi prometido verbalmente, (porque isso, todos sabemos, palavras leva-as o vento).
     Eu até me atrevo a dizer que, se seguido à letra, a Constituição Portuguesa não precisava nada mais que o seu Artigo 1°, para fazer de Portugal uma Nação Livre, justa e solidária...!!!
     A Inglaterra não têm Constituição, e nem por isso se priva de viver em Democracia.
     Mas o 25 de Abril, não foi elaborado para defender os interesses de Povo Algum. A badalada ideia de LIBERDADE foi uma FALÁCIA. O 25 de Abril foi elaborado para que meia dúzia de Espertinhos pudessem impunemente encher o saco. Se dúvidas restassem, as provas, continuam aí a cada dia que passa VOLVIDOS QUE ESTÃO, 43 anos. Quanto ao Povo, pretendidamente liberto do SALAZARISMO, foi e continua a ser perdedor a todo longo da linha...!!!
     Os Povos Nativos dos Países que Portugal Colonizava, foram todos perdedores. Não o teriam sido se Portugal, ( e é aí o falhanço do Salazarismo), se lhes tivesse sido dada a Autodeterminação. Os Nativos, das Colónias, dos quais muitos deles tinham vindo estudar em Portugal, tomavam em mão as rédeas do Destino, com a ajuda dos colonizadores e hoje toda a gente poderia ser rica e feliz.
    Assim os colonizadores foram forçados a deixar tudo e vieram, retornados e na miséria, habitar um País, dentro do qual se morria de fome e a cada dia que passava, centenas, se não milhares DAVAM O SALTO PARA A FRANCA E AFINS
     Chegados a Portugal, aqueles que não tiveram a possibilidade ou a lucidez de descer para a então Rodésia, Transval ou África do Sul, para chegados a Portugal, se verem na contingência de DAR O SALTO.
Uma curiosidade, os primeiros Emigrantes Portugueses a chegarem aqui a esta zona aonde eu vivo, eram Retornados vindos de Angola. Não terá sido por acaso que os acordos para a Independência de Angola e depois para a Guerra Civil que se seguiu foram assinados num Castelo que aqui existe.
     Mas como em Portugal HISTÓRIA é coisa que não se estuda, o regabofe do “rei em terra de cegos “, está para durar e para ser legado às gerações vindouras...!!!
Para saber para onde vamos, temos que saber de onde viemos. E a isso chama-se conhecer a História.

Sem comentários:

Enviar um comentário