11/03/2017

COMUNICADO



JOAQUIM JORGE , FUNDADOR DO CLUBE DOS PENSADORES
DEPOIS DE TER ACEITE SER CANDIDATO INDEPENDENTE À CM MATOSINHOS, ESTÁ A PONDERAR DESISTIR PELO QUE SE ESTÁ A PASSAR

Joaquim Jorge foi informado pelo presidente da concelhia do PSD de Matosinhos, José António Barbosa e pelo 1.ºvice-presidente da concelhia Joaquim Pinto Lobão. ( Os dois dirigentes da estrutura local do PSD que convidaram Joaquim Jorge para ser candidato independente à CM Matosinhos pelo PSD e CDS, no passado dia 17 de Fevereiro numa reunião no Hotel Holiday Inn- Gaia, em que esteve presente também a sua mulher.)
1 - Houve uma reunião na 5.ªfeira à noite em que o nome de Joaquim Jorge foi votado para ser o escolhido para ser candidato.
2 - A votação deu um empate técnico 8-8, da primeira vez. Houve nova votação e repetiu-se o mesmo resultado.
3 - José António Barbosa informou Joaquim Jorge, segundo os estatutos do PSD tem que haver nova reunião e se subsistir o empate, o presidente da concelhia tem a possibilidade de exercer o voto de qualidade e o nome Joaquim Jorge é aprovado.
Perante este cenário Joaquim Jorge informou José António Barbosa, presidente da concelhia que o seu nome não poderia ser utilizado para lutas de facções dentro do partido e que seria melhor retirar o seu nome como candidato. Não aceita que passe para a opinião pública a ideia que se está a pôr em bicos de pés para o lugar e que é candidato a qualquer preço.
Estava em casa sossegado e foi desafiado a ser candidato. Por fim, esta situação indefinida não é boa para ninguém, principalmente para o PSD e quem vier a seguir.
Joaquim Jorge rematou que sai disto como entrou sem azedume e sem ressentimento. Vai continuar a fazer o Clube dos Pensadores, escrever artigos de opinião, a publicar livros e na sua carreira docente.
José António Barbosa insistiu para não desistir que o nome Joaquim Jorge é um nome forte, que desde que se soube da sua possível candidatura em Matosinhos houve um sobressalto cívico: reacções muito positivas e registou com agrado a empatia e aceitação que Joaquim Jorge tem nas pessoas, como escreveu no seu FB.
Deu o exemplo que Pedro Passos Coelho em Leiria aceitou a decisão da estrutura local. Feliciano Barreiras Duarte era a aposta do PSD para liderar a candidatura à Câmara de Leiria. O deputado e ex-chefe de gabinete de Pedro Passos Coelho tinha o apoio do líder do partido e já tinha indicações “para ir para o terreno”, quando a concelhia impôs Fernando Costa, o ex-presidente da Câmara das Caldas da Rainha.
Há uma recomendação para que as concelhias e as distritais se entendam e procurem consensualizar os processos de candidatura. Frisou que Bragança Fernandes, presidente da distrital aceitou o nome de Joaquim Jorge para ser levado à concelhia, apesar de numa primeira fase pedir o adiamento da apresentação do nome.
José António Barbosa e Joaquim Pinto Lobão argumentaram que se o nome Joaquim Jorge for aprovado tem muitas possibilidades de ser aceite, pois não há nenhum candidato assumido. Desde que surgiu o nome de Joaquim Jorge não faltam candidatos todavia o processo tem que passar pela concelhia. Deram como exemplo, César Ferreira, militante do PSD, com assento na concelhia mostra disponibilidade, mas recusou ir a votos na reunião de 5.ªfeira à noite.
Joaquim Jorge já informou Pedro Passos Coelho e Assunção Cristas do que se está a passar. Assunção Cristas já esteve no Clube dos Pensadores, uma vez como Ministra outra como líder do CDS. Pedro Passos Coelho que já esteve no Clube dos Pensadores, uns meses antes de ser primeiro- ministro, informou Joaquim Jorge que se ia inteirar do que se estava a passar e só depois o contactaria.
Joaquim Jorge tem muitos amigos no PSD, a sua actividade cívica granjeou-lhe simpatia e amigos em todos os quadrantes políticos desde o PCP ao CDS, passando pelo BE e PS.
Marco António Costa é amigo pessoal de Joaquim Jorge e entregou-lhe a medalha de mérito cívico pelos 25 anos do município de Gaia, informou-o que nada tem contra e não tem competência nesse processo. Bragança Fernandes apresentou um livro de Joaquim Jorge na Maia e referiu-se a Joaquim Jorge em termos elogiosos. Recentemente Virgílio Macedo ligou a Joaquim Jorge esclarecendo que não quer ser candidato e nada tem contra Joaquim Jorge.
Perante todo esta situação, Joaquim Jorge apesar de reticente, aceitou esperar mais uns dias, em solidariedade com José António Barbosa e Joaquim Pinto Lobão e os membros da concelhia do PSD que não abdicam do seu nome por acharem que é a melhor escolha para Matosinhos. Deste modo não pode trair a confiança depositada na sua pessoa.
Contudo, a sua vontade e a sua consciência dizem-lhe que deveria sair deste filme e que a escolha de um candidato seja ele qual for não é uma passagem de modelos e não pode estar ao livre arbítrio de lugares e dominada pelo aparelho dos partidos.
Uma candidatura em Matosinhos é uma façanha muito difícil. É preciso um bom programa que vá de encontro à necessidade dos cidadãos de Matosinhos com o necessário apoio de todos que se possam rever numa candidatura independente, partidária, diferente, inovadora e abrangente.

Sem comentários:

Enviar um comentário