25/09/2015

Crónica de Genebra



Nelson Magalhães Fernandes 
Portugueses espalhados pelo Mundo e o exercício do Voto

Venho de receber em Correio Registado, um envelope com o meu voto, para as próximas Eleições que terão lugar a 4 de Outubro.
Gostaria de tecer aqui, algumas considerações sobre este voto, e este votar, ou seja este modo recorrente das Autoridades Portuguesas consultarem DEMOCRATICAMENTE os seus concidadãos.
Nas últimas Eleições em que os Emigrantes  Portugueses, foram consultados, residíamos na Suiça cerca de 230.000 e estávamos recenseados menos de 5.000. Desses, votaram salvo erro menos de 1.000.
Hoje, o número de Portugueses residentes na Suiça com documentos legais para aqui residir e trabalhar ronda os 260.000. Duvido que o número daqueles que se tenha recenseado, para agora poder votar tenha crescido proporcionalmente.
Assim, e terei oportunidade de vos informar os números exactos, na melhor das hipóteses, terão vindo para a Suiça umas 5.000 cartas registadas e voltarão a Portugal ( Lisboa) uns 3.000 votos.
Por estas contas que não me devem falhar muito, cada Português residente na Suiça que tenha a hombridade de Honrar a Democracia, votando, qualquer que seja a escolha que faça, desta (salada partidária), escolhe e decide por 86,66 dos seus compatriotas...!
Em Democracia quem cala consente. Quem não escolhe o que quer comer, come o que lhe dão.
“ Pobre Povo, Nação Doente”...!
Contudo Caros Leitores há uma explicação aceitável para que dos poucos milhares daqueles que como eu receberam o voto, ainda haja uns milhares que passem o Voto, ao caixote do lixo.
É que com este sistema de envio de voto para Lisboa, (O TÃO PROCLAMADO segredo do voto), não existe. No envelope que eu recebi e dentro do qual eu devo introduzir e enviar o meu voto, Está Timbrado o meu nome e ainda devo escrever o meu n° de Eleitor.
Assim quando o meu envelope for aberto em Lisboa todos os presentes ficam a saber que o eleitor 4487 votou pelo Partido X.
Que Grande Comédia. Já escrevi nesta Ilustre Plataforma, que sou adepto da Monarquia. Mas desculpem-me Srs. Monárquicos Portugueses, não vou votar por vós pela simples razão, que não vos vislumbro um Líder com perfil de Rei, para reimplantar a Monarquia em Portugal. O Partido da minha Sensibilidade, em cuja Fundação participei e por quem eu votaria com prazer, era tão sensível, tão sensível que até desapareceu.
Assim, vou votar, como se vota aqui na Suiça, por um Partido do consenso. Isto é: o Partido que melhores perspectivas deixa antever para defender os interesses do maior número. Assim, não vou votar para fazer prazer ao meu ego, mas pensando naqueles 85 outros, residentes na Suiça, que vão sofrer os efeitos da minha escolha qualquer que seja, até às próximas Eleições.
PS: mesmo sem carta registada cá recebi o Panfleto Eleitoral de um Partido.

Sem comentários:

Enviar um comentário