17/10/2014

A ponte Salazar, por alcunha 25 de Abril




Miguel Mota 
Nas suas interessantes retrospectivas de notícias importantes que ocorreram no período de 150 anos de existência, que comemora em 2014, o Diário de Notícias (DN) relata, em 14 de Agosto de 2014, a inauguração da Ponte Salazar, ocorrida em 6 de Agosto de 1966. O DN do dia 7 desse ano relatava, na primeira página e com uma grande fotografia: "Inaugurada a Ponte Salazar. Cem milhões de europeus viram pela televisão a maior e a mais bela ponte do velho continente".
Pouco depois do 25 de Abril de 1974 e logo que a ditadura militar - quem tudo mandava era o MFA – foi substituída pela ditadura militar comunista de Vasco Gonçalves – leia-se Moscovo – a fúria destrutiva de tudo o que a anterior ditadura tinha feito de bom iniciou-se com grande intensidade. Dentro dessa fúria destruidora, foi arrancado do bloco de amarração dos cabos da ponte o nome de Ponte Salazar e substituído por Ponte 25 de Abril.
Em pura dedução minha, mas baseada em sinais que se me afiguram fidedignos, penso que essa acção teve dois objectivos: apagar a memória do que a outra ditadura tinha feito de bom e fazer crer, especialmente aos jovens nascidos já depois do 25 de Abril, que algumas dessas realizações foram obra da actual ditadura. Esta última dedução encontra apoio, pelo menos num facto. Sei do caso de uma pessoa que, comentando que o nome de Ponte 25 de Abril era para dar a ideia de que fora construída depois da revolução, ouviu de uma jovem: "Então e não foi?"
A alcunha é um nome que se aplica a quem já tinha um nome de baptismo. Assim, pode dizer-se que a Ponte Salazar tem agora a alcunha de Ponte 25 de Abril.

Mais uma vez digo, a todos os que clamam que vivemos em democracia, que, então, a culpa do estado desgraçado do país, é deles. Antigamente, sem haver eleições livres, a culpa de todos os males era de um ditador. Em democracia a culpa é dos cidadãos que, podendo escolher quem manda, elegem tão maus governantes.


8 comentários:

  1. Caro Sr Miguel Mota

    Parabéns pela coragem muitas vezes demonstrada nos seu textos, falando de temas e personalidades que muitos preferem que se metam "debaixo do tapete".
    Falar sobre SALAZAR, causa alergia a muita gente, mas também..., cada vez mais há quem o admire e o compare aos que tomaram conta do país, ficando estes perdendo.
    Eu cada vez mais admiro este estadista e personagem da nossa história recente.
    Ouvir alguns patetas analisar o país de agora, com o país dessa época, é realmente anedótico!
    Dá a sensação que eles pensam que antes do 25 de Abril não haviam: pontes, hospitais, escolas, auto-.estrada, casas de assistência social, segurança social ( foi SALAZAR que criou a pensão de sobrevivência para quem realmente dela precisava...) universidades, etc....
    Na cabecinha destes patetas, tudo isto só agora existe por obra e graça desta gentinha que tem destruído o país.
    Além disso, pegou no país num caos, e deixou-o livre de toda essa tragédia. Tragédia essa, que no pós 25 de Abril, já aconteceu 3 vezes! É obra!!! E pelos vistos não demorará muito, caminhará para mais uma.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Para ser correcto para com a historia, deveria-se chamar - ponte da ditadura.

    ResponderEliminar
  3. Hercília tente formar um partido fascista. Não pode porque a Constituição da República Portuguesa não permite felizmente.

    Sou completamente contra qualquer tipo de ditadura seja de esquerda ou de direita .

    A solução é irem viver para a Coreia do Norte , Venezuela e países afins ..

    Ainda hoje estamos a pagar pelo atavismo e isolamento que Portugal foi atirado.

    O "medo" que os portugueses têm: de falar, de protestar,etc. Deve-se ainda a resquícios de termos vivido numa ditadura de muitos e muitos anos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fazer leituras históricas sem que as mesmas tenham sido vividas na 1ª pessoa ou mesmo que vividas mas em fase de construção de consciência, não são assertivas e sobre elas pesa a opinião dos que com "falsos valores e palavras ilusórias" tentam denegrir para se sobreporem e vangloriar vitória. Acredito numa leitura Espaço Temporal quanto a opinar sobre qualquer facto histórico sem que no qual não tenham tido a real consciência ou presença mortal nessa data. Que leitura faremos hoje 2014 (séc. XXI) sobre D. Pedro V no sec.XVIII, quanto ao tráfico de escravos para o Brasil!!!!
      "Os homens em empilhados no fundo do porão, acorrentados, com receio que se revoltassem, (...) As crianças eram amontoadas,...como arenques (peixe).(...) Havia sanitas mas como muitos tinham medo de perder o seu lugar, faziam aí mesmo as suas necessidades (...) de maneira que o calor e o cheiro se tornavam intoleraveis." - Noticia do Padre Carli

      Eliminar
  4. Pois..., a tal liberdade não permite!? Pois não..., como é que os MAMÕES depois se governavam!??
    A tal liberdade é só para o que lhes convém, o que convenhamos, já não se pode dizer que exista .
    E como cada um pensa e gosta do que gosta..., e isso, mesmo que proíbam não tem nada que o impeça, cada um defende o que acredita ser melhor.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. SOU LIVRE...

      Ela é tão livre que um dia será presa.
      - Presa por quê?
      - Por excesso de liberdade.
      - Mas essa liberdade é inocente?
      - É. Até mesmo ingénua.
      - Então por que a prisão?
      - Porque a liberdade ofende.

      Assim falava Clarice Lispector.

      Eliminar
  5. A Senhora Hercília não viveu no tempo da da ditadura , sabe lá o que foi o Salazarismo, crianças de 14 anos carregarem com sacos de cimento de 50 Kls às costas nas obras o que até era permitido...Meu Deus!!!! até me dói a alma ouvir disto, minha Senhora eu fui trabalhar aos 11, (onze) anos, 1956,graças ao sistema,para progredir só após o 25 de abril,
    "Falsos valores e palavras ilusórias ; são os piores dos monstros para os mortais.-Durante muito tempo,a fatalidade dorme e espera neles", Assim falava Zaratustra.

    ResponderEliminar
  6. Parabéns Miguel Mota.
    Uma visão que partilho.

    (Aconselho-lhe leitura de blogue retalhosdeumtestemunho.blogspot.com)
    Obrigada

    ResponderEliminar