14/05/2014

PORQUE EU DESEJO UMA DITADURA...




Hercília Oliveira 
Eu não desejo uma ditadura porque me apetece ser ditadora, ou subjugar quem for; quem me conhece e comigo convive de perto, sabe que não sou nem nunca fui esse tipo de pessoa.
Bem pelo contrário, sinto prazer em proporcionar a quem me rodeia todo o bem estar que estiver em minhas possibilidades ,  nunca tentando impor o que quer que seja e muito menos as minhas ideias.
O meu desejo de ditadura, é pela falta de autoridade e de respeito de que eu, e outros cidadãos que como eu, não prejudicam nem vivem à custa do Estado cumprindo o melhor que sabem e podem os seus deveres de cidadão, e que são  vítimas quando encontram pela frente  os que realmente têm neste país, toda a liberdade para por em acção a libertinagem de que  este tipo de regime dita democracia, lhes proporciona e têm toda a impunidade fazendo sentir uma insegurança e um desânimo que dá vontade de fugir para bem longe, porque este país não é o" meu", mas sim um lugar perigoso onde só os bandidos vivem felizes.
A situação que hoje, segunda-feira, passei dentro de um autocarro público com a as atitudes de dois jovens de (mais ou menos) 14 e 17 anos, mostrando o seu grande potencial de delinquentes e quem sabe, futuros criminosos perigosos, jamais esquecerei. 
Sim..., porque ao roubo, soube eu depois..., já se dedicam eles! E tudo, porque educadamente e com "jeitinho" lhes chamei à atenção para o acto de vandalismo que estavam praticando no veículo!
Eu levaria uma daquelas cargas de porrada, eles o disseram ali publicamente..., se estivesse no exterior! E eu tive a certeza de que o fariam.
Não tive medo, e enfrentei-os de uma forma que até eu desconhecia ser capaz. Não podia de maneira nenhuma, ficar sem reacção ao que estava assistindo e ao ataque pessoal que dois fedelhos me estavam fazendo...!
Não vou entrar em mais pormenores, pois num espaço destes é impossível alongar descrevendo, e também porque são cenas difíceis de descrever e que só quem assistiu pode avaliar.
E o mais chocante..., foi assistir à cobardia que a maioria dos passageiro que estavam por perto e que eram homens, tiveram perante o que se passava!
Não que eu precisasse de ajuda para me defenderem, pois nunca me amedrontei e não me inibi de lhes dizer o que mereciam..., mas pela sua atitude de cobardia que espelha bem porque é que este país está como está! Falta de reacção ao que lhes fazem os que todos os dias os desgraçam em nome do Estado.
As mulheres, que entraram mais tarde e se aperceberam do que já no fim se tinha passado, reagiram dignamente fazendo corar os machos mansos se tivessem um pouco de vergonha!
Por tudo isto, é que ultimamente eu tenho por vezes já não só sentimentos de revolta com o rumo que este meu país e esta sociedade tomou, mas também,uma enorme vontade de chorar...!
Não de medo..., mas sim pela sensação de tristeza e impotência que sinto, e uma grande vontade de baixa os braços...

14 comentários:

  1. O artigo acima escrito, é de minha inteira iniciativa e responsabilidade.

    Agradeço ao JJ, que não concordando minimamente com o que aqui explano e defendo, mostra com o gesto de o publicar a total liberdade e diversidade de opinião, que o Clube dos Pensadores por ele fundado e dirigido defende e pratica.
    E tem ainda mais valor a sua atitude, na medida em que por causa do que aqui escrevo, vai por certo ter que aguentar com os habituais democratas ditadores que não aceitam opiniões diferentes das deles e o querem influenciar e limitar.
    Mais uma vez, muito obrigada.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Não é por não haver um policia no autocarro que devemos desejar uma ditadura.

    Eu sou a favor da educação , ordem e disciplina.

    Se pudesse ter tirado à socapa fotos desses anormais e levado à policia ou alguém com coragem .

    Portugal está cheio de cobardolas e de gentinha. Por isso merecemos onde estamos.

    Nunca me passou pela cabeça quando criei este espaço que alguém próximo de mim fizesse a apologia de uma ditadura...

    Mas a democracia tem destas coisas é autofágica

    ResponderEliminar
  3. Eu não quero é precisar do polícia em todo o lado.
    E da maneira que estamos, o que é que o polícia faz!? Identifica-os, coisa que já lhes deve ter sido feita inúmeras vezes, e eles ainda se riem dele e de quem o chamou. Vi aliás na cara deles, o "medo" quando os ameacei!! Tanto medo como do Pai Natal.
    Precisamente por eu achar que não mereço a porcaria que me dão, é que eu rejeito.
    Eu digo ditadura, porque pelo que sei só o regime anterior conseguiu por ordem no caos que na época encontrou.
    Porque o que eu gostaria, era de um país com um regime como os países nórdicos, como a Noruega e no entanto não é ditadura. Por mim..., até podia ser governo qualquer um dos que tem estado, logo que fizessem deste país um país onde se viva com prazer e não trucidados com tão pouco, ou nada, que realmente o cidadão se orgulhe e se sinta bem. temos pelo menos uma coisa que muitos invejam com razão: o clima...! Enquanto "eles" não o puderem utilizar para seu proveito, estamos safos.
    Acontece, que o meu desejo de um regime como o da Noruega é um sonho que não vale a pena sonhar. Portugal nunca o teve e não é com toda a certeza agora e mesmo para as décadas que seguem que o terá; talvez quem sabe, numa próxima "oportunidade" eu mereça viver num país civilizado.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  4. Para ter um regime como o da Noruega teria que ter um povo que não seria certamente o português... Não é possível transplantar modus vivendi, hélas...
    PT

    ResponderEliminar
  5. Olá Hercília.
    O triste é mesmo a cobardia deste povo e PONTO FINAL. Tem razão o JJ quando diz que é por isso que cá estamos a comer M.... e achar que é um manjar.

    ResponderEliminar
  6. Olá Mário Russo.

    O mais ridículo de tudo isto, é que as pessoas continuam saindo de sua casa nas datas por eles programadas para lhes darem mais uma vez a oportunidade de continuarem a dar M...A e ainda acreditam que vão receber o tal manjar!
    O que ele devem rir...

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  7. Cara Hercília,
    Adoro filmes de ficção cientifica (os bons), os realizadores são como profetas que espelham em imagem, som, efeitos especiais e a categoria de certos actores, o que os modelos de sociedade no futuro podem, eventualmente, vir a ser. De um modo figurativo, sinto a representação possível do futuro da humanidade. Tal como os profetas, nem todas as profecias se chegam a comprovar, mas a memoria e vida do do ser humano é curta! Os factos podem acontecer, mas já não estamos cá para os comprovar.
    Exemplo de 2 filmes fantásticos:
    Avatar - grande sucesso.
    Mais recente e fantástico - Hunger Games

    E uma pequena pequena historia, para os mais crentes ou não!!:
    “Fui tomar satisfação a meu pai sobre esses assuntos do céu: ‘O povo diz que o céu é la em cima e o inferno é lá em baixo. Mas se a Terra é redonda e tem céu em toda a volta, onde fica o inferno?’. Meu pai, meio agnóstico, meio crente, me deu uma palmadinha carinhosa e disse: ‘O inferno é aqui mesmo. Vá brincar!’”-Rachel de Queiroz

    Isabel Coutinho

    ResponderEliminar
  8. Quando existem 10 ou 12 pratos de onde comer (eleicoes) e se insiste em comer do prato de bosta(PSD/PP) ou do de estrume(PS), ou entao nao comendo (dando os votos aos dos interesses instalados), ou se e' burro ou entao ja' construiu uma frutracao tamanha, que o leva a saudosismos proprios de pessoas ultrapassadas e por isso, inuteis para os tempos que correm.
    Pedro-Liverpool

    ResponderEliminar
  9. Cara Isabel Coutinho.

    Realmente, a Terra nunca foi considerada um paraíso...., mas o nosso país, para quem como eu que exige muito pouco da VIDA e ainda agradece por se considerar uma pessoa feliz com o que ela lhe tem dado, tornou-se na verdade um lugar muito próximo do inferno!
    E tudo isto, por causa de meia dúzia de desmiolados sem carácter que se apoderaram de um país que não é só deles.

    Sabe..., eu no fundo até tenho pena daqueles dois jovens, que até tinham um rosto tão bonitinho, e que são, como muitos outros..., vítimas de uma sociedade sem aqueles valores que realmente fazem do ser humano, um verdadeiro ser.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hercília,
      Já não possuo viatura própria há cerca de 7 anos. Desde então tenho utilizado os transportes públicos e solas do sapato. Vejo, assisto e por vezes intervenho se as vitimas são crianças e idosos.
      "Não entendo, apenas sinto. Tenho medo de um dia entender e deixar de sentir."
      Clarice Lispector
      É preciso apostar na sociologia é uma forma de a compreender a sociedade e de atribuir sentido às acções individuais, procurando revelar os aspectos ocultos dessas acções e transformações, que escapam ao olhar mais imediato e superficial. Estamos na entrada do Sec. XXI e os portugueses depois da libertação da dita Ditadura, confundiram liberdade com libertinagem.
      Não me alongo mais...este assunto é deveras complexo para o cingir em poucas palavras.

      Isabel Coutinho

      Eliminar
  10. Estão todos com saudades do antigo regime. Nesses tempos, as angústias existênciais do Malheiros e dos outros Malheiros que por aí andam, não existiam. Não havia partidos politicos para além do oficial do regime, a União Nacional, e portanto não existia Democracia e muito menos eleições: um sossego!
    O Malheiros e os outros Malheiros ainda não descobriram que este sistema de que eles não gostam e tanto criticam, tem um nome: chama-se Democracia. Se a Democracia que temos é de melhor ou pior qualidade, isso já é outra questão, e se calhar a qualidade que tem também é da responsabilidade dos Malheiros, porque achar que Democracia é apenas a existência de partidos politicos e cada um dizer ou escrever as parvoíces que muito bem entender, é muito redutor.
    O Malheiros é salazarista, mas ainda não descobriu; mas há-de lá chegar. Talvez em 2015 quando o PS perder as legislativas e ele começar a escrever que os portugueses não sabem o que querem. Tal qual dizia o “Velho das Botas”.Em que uma mulher que fosse detida por alguma razão, era um homem que lhe fazia a revista nas parte íntimas,, que bonito a ditadura...Em que aquela senhora grávida de seis meses ao fim de um dia de trabalho duro numa fábrica de conservas, era transportada num camião da parte da carga um pouco como os animais ,caiu e morreu , foi como se tivesse morrido um cão que nem os jornais puderam descrever o que se passou. Tenha juízo minha senhora.....

    José Guimarães

    ResponderEliminar
  11. A maneira de ver e desejar o Mundo é tão diferente entre homem e mulher, que aqui estão bem espelhados dois "belos" exemplos!
    E por o Mundo ser na sua maioria, governado por homens, o Mundo em vez de evoluir por um rumo mais justo e humano, tem regredido que parece por vezes ter parado no que de pior o ser humano tem.

    Manuela Aragâo

    ResponderEliminar
  12. O sr Guimarães relata alguns exemplos do regime anterior, aos quais eu poderia apresentar vários da actual dita democracia que são tão ou mais graves dos que relata; o que acontece... é que muitos dos actuais estão rotulados como que façam parte da dita evolução, e como dizem alguns: "temos que nos adaptar"..., e eu acrescento: à porcaria, para não dizer outra coisa! Mas como o maior cego é aquele que não quer ver, não vou perder tempo.
    Qualquer dia, ainda vão culpar os anteriores regimes..., D Afonso Henriques..., quem sabe, pelas crianças que morreram sem vacinas quando ainda nem tinham sido inventadas!
    Mas. o que mais apreciei no seu comentário, foi o "tenha juízo minha senhora". Sempre aquela petulância e veleidade, dos esquerdistas ditos democráticos que acham que só o que eles defendem é que é de pessoas inteligentes e sábias..., os outros são todos malucos.
    Veja se aprende a respeitar as ideias dos outros sem ter que recorrer a "armas" tão sem nível.
    Não é por isso que passa a ter razão..., sabia!??

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  13. Não creio que haja nostalgia pelo antigo regime. Simplesmente o regime atual já por demais ficou demonstrado que não é uma democracia plena e daí permitir a comparação com o regime ditatorial ante 25 de Abril.
    Nunca podemos comparar TEMPOS diferentes, porque os condicionalismo de época não são nunca comparáveis. Poderão ser idênticos na forma, mas nunca na substância e é uma falácia querer fazer comparações mesmo entre períodos pertencentes a um século.
    O que me parece que todos temos que entender de uma vez, é que a sociedade civil não se pode demitir de exigir mais qualidade aos seus homens de estado. Não podemos todos ficar a esperar que os políticos que temos resolvam todos os problemas, até porque simplesmente não são disso capazes, ocupados como estão em promover a sua sinecura e não o bem público.
    Dito isto, resulta muito difícil para o votante colocar a sua confiança em políticos encampados nos partidos, visto que quem promove a aplicação dos mesmos nas listas partidárias é toda uma engrenagem que não deve meças à Mafia... Donde, ser necessário que se obtenha a REVISÂO do nosso sistema eleitoral.
    Já por diversas vezes li neste blog as intervenções de um venerando senhor que insiste (honra lhe seja feita, é coriáceo) na mutação da Lei Fundamental para permitir o desbloqueio desta pescadinha de rabo na boca que é o nosso sistema eleitoral. Mas já todos nos apercebemos que NINGUÉM nos partidos políticos levantará o anafado traseiro para secundar as vozes da sociedade civil que exigem tal.
    Quando se propõe que, por os partidos do chamado arco do poder não apresentarem soluções para a crise de democracia no país, se transfira o voto para os restantes partidos (como já vi também aqui estampado), pretende-se prosseguir com este sistema eleitoral fajuto e pseudo-democrático.
    Qual é então, a meu ver, a solução para obrigar os políticos de TODOS ospartidos políticos portugueses a ganharem vergonha na cara? Simplesmente um valente X de canto a canto do boletim de voto, em massa... Que mostrasse que sabemos que, da direita à esquerda radical, todos os partidos se acomodam ao atual sistema eleitoral, POR INTERESSE próprio e não por amor ao bem do Povo e do Estado...

    PT

    ResponderEliminar