14/05/2014

Exemplo





Li na Lusa, que o ex-primeiro-ministro israelita Ehud Olmert foi hoje condenado a seis anos de prisão no âmbito de um escândalo imobiliário quando era presidente da câmara de Jerusalém (1993-2003), anunciaram "media" israelitas.
Ao fim de dois anos de processo, o tribunal de Telavive condenou Olmert a seis anos de prisão e ao pagamento de uma multa de um milhão de shekels (210 mil euros), numa sentença retransmitida em directo pelas principais rádios israelitas.
Olmert "detinha o cargo mais central e mais importante e acabou condenado pelos crimes mais desprezíveis", declarou o juiz David Rosen. "Um responsável público que aceita subornos é idêntico a um traidor", sublinhou.
Este exemplo é impensável em Portugal infelizmente, para mal dos nossos pecados. A corrupção em Portugal é uma flagelo assim como a incapacidade da justiça para fazer justiça.
Portugal se não mudar vai acabar tragicamente. Vou invocar uma história exemplar. Aquando da colisão trágica do Titanic, chegavam de outros barcos numerosos avisos de que havia o perigo de blocos de gelo flutuantes, em águas navegáveis. Porém o operador de rádio do Titanic ignorou-os não comunicou ao capitão, porque estava demasiado ocupado a receber e enviar mensagens dos passageiros de primeira classe . Já sabemos qual foi o resultado de atender só os privilegiados e ignorar as vozes de alarme. 
Espero que não voltemos a cometer os mesmos erros e se escute a voz de quem está contra a inércia do combate à corrupção neste país e dos políticos que ignoram os mais pobres e fracos, perdendo-se em ninharias e disputas sem sentido. 
O final de Portugal será o Titanic. 
JJ

6 comentários:

  1. Um sistema de justiça programado para impedir e criar inúmeros obstáculos a cidadãos com menos rendimentos, só por si é injusto, mas pior é haver protecção aos "vigaristas" e "criminosos", mediante sentenças aonde os considera culpados , mas permite-lhe pagar indemnizações simbólicas em troca de liberdade.
    Este é o maior crime da nossa justiça, um arguido considerado em tribunal culpado, não deveria ter a essa possibilidade, cria uma imagem de vazio de poder e de chacota perante instituições consideradas pilares de uma democracia!

    Ricardo

    ResponderEliminar
  2. É simples: Portugal tem sociedades secretas que controlam a justiça. Em Israel quem pertence a uma sociedade secreta (maçonaria p. ex.) é investigado pela Mossad e sabe perfeitamente que não pode fazer o que lhe mandam fazer lá na loja...
    PT

    ResponderEliminar
  3. Aqui em Portugal, além de corruptos, os governantes que conscientemente arrasam o país e desgraçam famílias inteiras que ficarão talvez para sempre numa situação sem solução..., no dia seguinte têm canais televisivos ao seu dispor e alguns ainda lhes pagam para de novo virem gozar com a nossa cara, com cara de heróis!
    O mais vergonhoso, é que ainda são promovidos ou colocados em cargos bem renumerados onde vão receber a recompensa das tramoias que enquanto governantes favoreceram as ditas empresas.
    Para esta gentalha a crise só é conhecida de nome.
    Pior que o que temos, só é ultrapassado pelo Brasil. Mas, para lá caminhamos e estamos cada vez mais perto.

    Hercília oliveira

    ResponderEliminar
  4. A embaixada de Cavaco a Pequim

    Desta vez Cavaco percebeu que “foi longe demais” e sente necessidade de justificar as suas despesas faraónicas em viagens dignas de um imperador, para além do habitual mordomo e da fadista omnipresente nas encenações presidenciais Kátia Guerreiro , vão com ele cerca de cem empresários e mais uns quantos jornalistas amigos da sua imagem. Por este andar Portugal ainda vai ter de pedir a Obama que nos empreste o Air Force One de reserva porque os aviões fretados à TAP começam a ser acanhados.
    Nunca se viu um presidente deste país justificar uma viagem presidencial com o argumento miserável de que ia à procura de emprego para os portugueses, Cavaco já tinha transformado a presidência num circo itinerante com os seus roteiros da treta, agora transformou-a num centro de emprego itinerante, um pouco como as antigas bibliotecas itinerantes da Gulbenkian, mas à escala internacional.
    Mas a verdade é que em poucas horas e mesmo descontando os fado e os beberetes Cavaco Silva já pode apresentar sucessos, já está em condições de anunciar a possibilidade de criação de uma ligação aérea entre a China e Lisboa onde viajarão os criadores de emprego, os mafiosos em busca de passaportes dourados, os turistas endinheirados e ainda os adeptos do Sporting que se deslocam à capital portuguesa só para rezar em Alvalade. Só é pena que a tal linha não venha a ser assegurada pela TAP pois exige recursos financeiros, a nossa companhia aérea não só é mixuruca demais para tão grandes voos como sendo rentável o negócio não se enquadra na sua tradição.
    Mas mesmo que seja criada a linha aérea por uma companhia chinesa ainda vamos ver resmas de chineses a dobrar todos os dias o Cabo da Boa Esperança pois Cavaco Silva sabe que há 450.000 chineses interessados em visitar Portugal, o que feitas as contas dá qualquer coisa como 1232 chineses por dia, sem contar com as casa decimais que equivale a um chinês sem uma perna. Convenhamos que com tanto chinês a querer visitar-nos um avião diário não chega e o melhor é convidar a Conard a expandir o número dos seus paquetes com os nomes das rainhas, construindo um por cada rei inglês, pondo-os de seguida ao serviço da ponte marítima entre a China e Lisboa.
    Esgotado os feitos heroicos e questionado sobre os negócios Cavaco responde sobre a necessidade de reforçar o papel do AICEP. Finalmente se percebeu o porquês de tão grande investimento, o presidente, o mordomo, a Kátia Guerreiro, a dona Maria, os jornalistas e mais um ou outro pendura foram a Pequim porque é importante reforçar o papel do AICEP cuja sede é em Lisboa!
    O incrível de tudo isto é que o país parece engolir toda esta prosápia presidencial, num tempo em que tantos sofrem e com um governo cuja primeira medida até foi cortar nas viagens dos membros do governo, que nas viagens dentro da Europa passaram a viajar em turística, critério que nunca foi adoptado pela família real do Palácio de Belém, com palácio de verão na Quinta da Coelha.
    Mas o facto de Cavaco Silva sentir a necessidade de justificar com resultados imaginários os seus excessos de despesa já é um sinal de que desta vez alguém sentiu que estava a abusar. E abusou mesmo, teria saído mais barato ao país se tivesse ido a África matar um elefante, como fez o rei de Espanha, do que levar uma embaixada medieval a Pequim.

    ResponderEliminar
  5. Os nossos políticos e governantes ao saberem destas condenações, se tivessem vergonha tapavam o F.....O com um pano preto e nunca mais o tiravam.
    É bom o Sr JJ publicar estas notícias que muitas vezes passam despercebidas. Eu não sabia disto.

    António Figueiredo

    ResponderEliminar
  6. Olá JJ,

    Em Portugal também seria julgado. A pequenina diferença é que aqui demoraria tanto tempo que prescrevia.

    Quem tem dinheiro tem o poder. Alias, o poder económico capturou o poder politico e judicial. Veja-se o caso Jardim Gonçalves.

    Se fosse um "pequeno" já estava a mofar numa cadeia.

    É o Portugal que temos.

    ResponderEliminar