13/01/2018

Do “PPD”, do “PSD” e do “PPD/PSD” ao “PPDS” (Partido Popular Democrático Social)?




Fernando dos Santos Neves *
No dia 3 de outubro de 2010 publiquei, no jornal “Expresso”, uma breve reflexão intitulada: “O PSD português nunca existiu!”, de que permito citar os seguintes excertos fundamentais:

…  Aliás, mais exato do que dizer “O PSD português nunca existiu!” seria talvez dizer que tal nome é uma ilusão e uma falsidade político-terminológica e nem foi por acaso que o seu nome original de batismo não foi “PSD” (Partido Social-Democrata) mas sim “PPD” (Partido Popular Democrático)! E bastará, também aqui, olharmos para a Europa e irmos até ao Parlamento Europeu para descobrir que, afinal, o “PSD” português se encontra, obvia e naturalmente, arrumado não no grupo dos “PSDs”, mas sim no grupo dos “PPEs”! Parece que quisemos, uma vez mais, dar razão (Hélas!) à tristemente célebre sentença gaulesa: “Vérité en-deçà des Pyrénées, fausseté au-delà!” (Verdade aquém dos Pirenéus, falsidade além, ou vice-versa!).
Mas, no fundo, a questão é outra e é, precisamente, de “ciência política”…, a qual nunca pode deixar de dizer duas coisas essenciais:
–    A primeira é que a Política não é tudo, mas tudo é Político, também, senão principalmente, o que parece ou pretende não sê-lo;
–    A segunda é que, sem cairmos na admissão e aplicação simplistas da sentença do filósofo Alain: Se alguém me diz que não é de esquerda nem de direita, já sei que é de direita!, as noções de “Esquerda” e “Direita” continuam a ser noções e realidades fulcrais distintivas e estruturantes das sociedades contemporâneas e que vale a pena traduzir modernamente uma e outra mas não, numa implícita e inconsciente homenagem do vício à virtude, negar as respetivas diferenças teóricas e práticas… Aqui é que seria caso para dizer que “as coisas são como são” e nem o taumaturgo Prof. Marcelo Rebelo de Sousa conseguirá realizar esse milagre…

É, pois, com a melhor intenção de puro cientista político e com a responsabilidade de ter sido o criador da 1ª licenciatura de Ciência Política nas Universidades Portuguesas que me permito sugerir ao “Social-democrata” Rui Rio e ao “Popular-democrata” Pedro Santana Lopes a designação de “Partido Popular Democrático Social” (PPDS).



* Professor Universitário, Criador da 1.ª Licenciatura de Ciência Política nas Universidades Portuguesas (1991)

Sem comentários:

Enviar um comentário