07/04/2017

PORTUGAL - O PAÍS DOS QUATRO FFFF




Hercília Oliveira 
Diz quem sabe, que no tempo da outra "Senhora," Portugal era o país dos três FFF.
A saber:  FADO, FÁTIMA e FUTEBOL; e ainda hoje se apresenta esse facto de uma forma depreciativa, como tudo isso existisse para que o Zé povinho andasse distraído, inculto e não pensasse na política.
Não devia portanto o povo  rezar, ir a Fátima, ouvir Fado e ir ao Futebol, para que com tudo isso não se deixasse enganar e embrutecer.
Afinal ,o que aconteceu e está acontecendo desmesuradamente é que veio a dita democracia, o tempo novo...,  e hoje temos a juntar aos que existiam mais um F: FUTILIDADE!
Cada vez mais, surgem novas e jovens  vozes e nunca o FADO esteve tão na moda; chega a ser chic!
FÁTIMA nunca deixou de existir, cresceu, e as pessoas continuam tendo a sua adoração , fazendo promessas  e as cumprindo da mesma forma que antes.
Quanto ao FUTEBOL, bom..., esse deixou de ser o divertimento, passou a ser o principal alimento dos portugueses e ai de quem o mal trate!
Continuando portanto Portugal com os três FFF, ainda lhe foi acrescentado mais um : o F da futilidade.
É só ver o que se passa na comunicação social e na maioria dos programas que passam nos canais televisivos. É de uma futilidade que magoa...!
E o que mais magoa, é que mesmo havendo muitas vozes credíveis e que escrevem em jornais e revistas semanalmente sobre esta futilidade que arrasa qualquer sociedade que se preze, nada se altera e pelo contrário, vai se mal a pior. E os políticos nada fazem? Fazem..., agradecem e muito.

3 comentários:

  1. Desculpa Hercília, mas a tua adição dos EFs não está correcta. Falta o "F" de Fogo. O Fogo, no que a Portugal diz respeito, tornou-se um divertimento, altamente lucrativo, o qual ultrapassa, " Em n°s $$$ largamente", o orçamento do FUTEBOL.
    Vamos então ouvir FADO e depois ir pedir uma FUTILIDADE a FATIMA para que o nosso FUTEBOL ganhe, caso contrario metêmos o FOGO a tudo.
    Nelson Fernandes

    ResponderEliminar
  2. Olá Nelson Fernandes!

    Essa é boa e, lá por isso, pode ser acrescentada, sem problemas!!!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  3. Quase tudo é assim, mas temos que lhe dar uma outra perspectiva, a saber: 1 - o fado é parte integrante da nossa cultura nacional, e não só musical, com razoável impacto no estrangeiro, e mais que razoável nos meios musicais internacionais; 2 - Fátima é questão de fé, será fútil para os não crentes (como eu), e de profundo valor sentimental/cultural e mesmo simbólico para os crentes. Posição tão ou mais legítima que a precedente; 3 - o futebol deixou de ser um "afaire diletante" para se transformar em indústria quase séria. O quase deve-se à excelência dos presidentes (ò seja a colidade dos mesmes); 4 - é na futilidade que erramos de redondo ... não sei a idade da Hercília, mas as futilidades de hoje são de meninos de coro em relação às da outra senhora

    ResponderEliminar