18/01/2017

O PS, a cidade e o futuro (1)




António Fernandes 
A secção de Braga Partido Socialista é uma das mais importantes secções do Partido Socialista em Portugal.Desde logo por se tratar da terceira cidade do País. Condição para que a sua capacidade em ser uma cidade atrativa para o investimento, o turismo e a fixação de habitantes, é determinante.Braga é tida como a cidade com melhor qualidade de vida em Portugal e a terceira no Ranking Europeu.É também, segundo estudo publicado, a cidade aonde os seus habitantes se consideram mais felizes em Portugal e, a terceira cidade, nesta valência, na Europa.Braga, é uma cidade com mais de dois mil anos de História. É a cidade mais antiga de Portugal e das cidades mais antigas do mundo.A sua História recente, nomeadamente após a revolução de abril de 1974, colocam-na na esteira das cidades modernas com infraestruturas adequadas e equipamentos ao nível das cidades mais evoluídas nos domínios da inovação e do conhecimento cientifico com replicação nas atividades industriais; comerciais e de serviços; que operam no seu espaço geográfico de influência.É uma cidade que cresceu ao ritmo do crescimento urbano europeu com mais valias diferenciadas dignas de registo como o são a harmonia conseguida por todo o Concelho contrariando a lógica do crescimento citadino à custa da desertificação Concelhia e do crescimento desordenado no Litoral em detrimento do interior. E, sobre tudo, soube resistir à apetência que sobre si recaiu por parte do Distrito do Porto salvaguardando a sua identidade e a identidade de toda a região do Minho.A cidade de Braga é uma cidade do interior que se soube impor a essas dinâmicas negativas e que por isso é referencia internacional no roteiro de todos os estudos feitos, e a fazer, sobre o crescimento urbano sustentável e inteligente.Importa por isso registar que foi a gestão do Partido Socialista no Município que proporcionou condições a que hoje a cidade de Braga seja aquilo que é, e reúna condições fora do comum para que no seu seio se possam implantar novas formas de vida ajustadas aos novos conceitos daquilo que se tem pela nova organização social que responda com eficácias às necessidades das pessoas no atual contexto e na atual conjuntura de circunstancias apelativas a novas dinâmicas e também, a novas mentalidades.Há uma necessidade que impera sobre o conceito generalizado daquilo que é a ação e a atividade politica corrente. Necessidade essa que se resume em clarificar, quiçá, ensinar, aos “políticos de aviário” de que a sua ação e atividade é servir as pessoas e não, servirem-se dessas mesmas pessoas.Ora, volvidos quase quatro anos de autentico marasmo na ação politica, invertendo uma dinâmica de trabalho de quase quarenta anos… é tempo de dizer basta!Até porque, instalar uma comissão de festas no Município é coisa que pode ser tutelada por um pelouro através de um órgão simples, dispensando todos os outros responsáveis políticos para o trabalho que os impostos dos Bracarenses pagam. O que não aconteceu.Não aconteceu a mudança que os Bracarense julgaram poder acontecer e para isso votaram na atual maioria.Cabe por isso ao Partido Socialista recolocar a cidade de Braga no lugar a que tem direito, e para que tanto trabalharam, dando continuidade ao trabalho desenvolvido com todas as correções que estes últimos quase quatro anos na oposição lhes ensinaram a reconhecer.Reconhecer que a razão tem tantos ângulos quantos forem os ângulos de discussão abordados. E que por isso o somatório dos ângulos convergentes é sempre o angulo mais racional, logo: o de maior razão.

Sem comentários:

Enviar um comentário