25/04/2016

25 DE ABRIL, DIA DE LUTO


Hercília Oliveira 
Mais um ano de dita democracia, em que alguns ainda saem à rua para festejar.
É evidente, que gostos não se discutem, caso contrário como diz o povo- o que haveria de ser do amarelo!?-
Por acaso eu até gosto do amarelo, embora já não seja a minha cor preferida; é que com o passar dos tempos os gostos também mudam.
E o que com o passar do tempo deixei de gostar, foi de festejos relacionados com o 25 de Abril. Ou mais ainda, com qualquer festejo relacionado com esta dita democracia que nos resolveram oferecer como se de um grande feito se trate e que é bom para o povo Português.
Festejar o 25 de Abril!? Festejar o quê?
Festejar um país que foi tomado por um grupo de políticos que o têm destruído a vários níveis!? Um grupo que tem ao longo de todos estes anos, usado e abusado do poder para dele usufruir e tirar partido, enquanto as pessoas estão sempre em ultimo lugar
Temos um país onde impera a corrupção e os interesses pessoais e partidários.
A justiça favorece os bandidos e corruptos, enquanto as vítimas são ignoradas ou ainda punidas.
Um país com salários e reformas miseráveis, porque o custo de vida em que os impostos são dos mais altos da Europa.
Os serviços, como luz, água, combustíveis telefones e TVs são caros porque são altamente taxados, porque só assim é que os governos sabem governar.
Nas escolas impera a violência entre alunos e sobre os professores sem que se tomem medidas para alterar a situação.
Nas forças de segurança, com salários baixo;, condições de trabalho que em alguns casos são mais normais em países de terceiro mundo; deslocados dos seus lares a centenas de quilómetros de distância, cresce o suicídio de forma assustadora.
Um país, onde quem  ousar montar um negócio, se não quiser esperar anos para que ele se concretize, tem que usar de "luvas".
Os mais velhos e as crianças, têm vindo cada vez mais a ser mal tratados e desrespeitados enquanto os animais ganham cada vez mais direitos.
Enfim..., motivos para estar de luto não faltam e nem vale a pena citar outros tantos, pois só por estes já se justifica o desencanto e a revolta.
E vamos ´para a rua festejar!!??
Irei para a rua, sim, e com todo o gosto, no dia em que toda esta cambada política desaparecer e libertar o meu país do seu poder maléfico.
Enquanto assim continuar, continuarei também de luto.

" É o socialismo no seu melhor, ou seja, deixando mais uma nação empobrecida e refém do governo"

   Luíz Carlos Mathias

22 comentários:

  1. Concerteza que e' melhor assistir ao que se passa ne Brasil, com um golpe de estado em curso por suspeitas de...corrupcao! Protagonizado por muitos nomes incluidos na lista do Panama'. Claro, da' muito trabalho melhorar uma democracia e assim, deixa-se a governacao, a um "salvador".

    ResponderEliminar
  2. O texto é o reflexo da sociedade Portuguesa, descrição de forma dramática da n/democracia e dos problemas sem ter noção que existe coisas boas, espelha talvez a falta de experiências exteriores e partilha de visões diferentes sobre os mesmos problemas.
    Alguns dos problemas referidos são reais, como criar uma empresa ou a velha história dos velhinhos e criancinhas, o 1o o problema não é bem o criar mas sim o manter ou iniciar ( monopólios de sectores, pagar luvas para puder trabalhar mesmo com concorrência ilegal, como empresas que trabalham sem alvarás ou iniciar a actividade fiscal da empresa e ser obrigatório a partir de essa data descontar para a segurança social mesmo que não exista ordenado ou ainda actividade). Convém descrever bem as dificuldades e não apenas lançar para o ar o problema , bastava haver uma ligação directa de informação entre os serviços fiscais e segurança social e muitos dos problemas deixavam sequer de existir, mas talvez não interesse pois a cobrança de impostos é surreal neste país mas para alguns, pois é inadmissível uma empresa declarar as finanças valores pagos durante um ano sobre um empregado por exemplo é a mesma empresa não declarar nada do mesmo na segurança social e ninguém verificar a situação. Sobre o 2o problema também é fácil apontar para os políticos , mas deve apontar o dedo para os familiares, mais concretamente filhos que despejam os pais em lares e hospitais, quanto às crianças , é melhor nem falar na hipocrisia que existe em torno das mesmas, nas instituições fechadas é que estão bem, longe dos olhares para ninguém se lembrar, a verdadeira hipocrisia!
    Texto repetitivo , reflexo de uma visão redutora de um animal dito superior e mais inteligente , que espera pelo D. Sebastião surgindo do intenso nevoeiro que paira em Portugal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O seu texto é assertivo, tem apenas um senão ficou sem separar o trigo do joio. Ou seja: os que "despejam" os pais nos hospitais são pessoas pobres de mediana condição. Aqueles que os deixam nos lares são precisamente aqueles que querem mais, é que morram para herdar. Não posso esquecer as excepções como é evidente.
      Quanto ao ensino tenho que dizer que só fala assim quem não conheceu o ensino
      no tempo da outra senhora...
      Passe bem
      Inocêncio Matos

      Eliminar
    2. Viva sr. Inocêncio, antes de mais quero lhe dizer que não é uma resposta minha ao seu comentário, mas sim mais uma opinião.

      Existe realmente coisas boas e más no nosso País, mas preferimos sempre realçar de forma exagerada as mais negativas, de forma mesmo dramática, por vezes a criticar e até indicando possíveis caminhos de resolução, contudo ninguém passa para a etapa seguinte que é a de "sujar as mãos", porque se cada um fizer um pouco mais no seu dia a dia a repercussão será gigantesca.
      Relativamente aos velhinhos despejados nos lares e hospitais, a condição financeira não pode servir de desculpa para tudo, porque se as pessoas fazem sacrificios para comprar casa/carros/televisão/tv cabo/internet/férias/ playstation/telemóvei etc etc, podem fazer outros sacríficios quando surgem dificuldades da vida. Os lares muitas das vezes até são escolhas dos próprios velhinhos, que descontam durante a sua vida activa para esse efeito ou vendem bens e compram suites nesses mesmos lares por exemplo. Existe também casos onde as familias gastam dinheiro ( crédito ) e colocam os familiares em hospitais privados para terem um final de vida ( doença ) digno. Os exemplos são imensos e diferentes , mas tem que existir responsabilidade familiar e não só social.

      O ensino do tempo da outra senhora não conheço, sou de uma geração que aprendeu e andou na escola pública tendo na primária e na preparatória professores em fim de carreira. Sobre este assunto tenho a noção que as escolas e apoios neste momentos são muito melhores do que na minha altura, onde se faziam peditórios para ajudar a construir uma futura escola primária.A minha percepção é que existe muita falta de civismo e edecução dos alunos, educação quem deve dar são os pais/tios e avós e não os professores, lembro-me perfeitamente que tinha a noção que na escola a pessoa que tinha autoridade sobre a minha pessoa era o professor e fora da sala a auxiliar e era assim que a minha mãe me ensinava. Caso fosse repreendido ou levasse um estalo/reguada/vara devido a um mau comportamento não ia a correr para casa fazer queixinhas , porque sabia que a minha mãe iria descobrir que tive mau comportamento. O que existe neste momento é um circo, onde os pais mandam mais na escola que os próprios professores e se durante o dia a dia subornam os filhos porque não querem ser acertivos no momento de darem educação o resultado na escola vai ser muito mau. Não existe exigência individual e familiar e depois queremos exigir tudo a todos, por isso temos estes politicos de porcaria.
      Uma entidade empregadora, que não é exigente com o seu recrutamento desde professores até aos auxiliares ( preferem os POC , sem saberem se existe perfil correcto para estar na escola e lidar com crianças e adolescentes ), não´existe formações sobre a evolução do ensino/tecnologias/relações humanas aos docentes e não existe a exigência da avaliação curricular e profissional aos próprios docentes está tudo mal.
      Por vezes alguns problemas são de educação e cidadania e isto os politícos não podem resolver criando leis.

      Cumprimentos

      Eliminar
    3. Sr. Ricardo: confesso que tenho alguma dificuldade em compreender, como alguém escreve um nome próprio com letra minúscula, e muito menos num espaço, embora online, pode ser acedido por crianças, e isto para responder de certa forma, ao que escreveu em relação a educação. Como pode perceber, assim não há educação que resista, porque se instala a confusão geral nas cabecinhas... Ressalvo se porventura o novo acordo ortográfico agora o permite, eu prefiro o antigo.
      Deixe-me dizer-lhe também, que acho que ainda vive um pouco à época medieval... Ou seja; uns podem ter tudo, e os outros não podem ter nada...
      Voltarmos a uma sociedade ostracizada, trabalhas dezassete ou dezoito horas por dia, durante cinquenta ou sessenta anos, tens um palheiro para dormir, um caldo feito com a gordura, tirada à boa carne que os senhores comiam. Da mingua que lhes pagavam, eram os fieis depositários,
      até que a morte os leva-se e o dinheiro, ficava para a casa... Enfim vou ficar por aqui caso contrário precisava de uma semana para expor o que penso.
      Para terminar, vou só dizer-lhe que depois de ler atentamente o seu texto, trouxe-me à memória um sr. de nome Manuel qualquer coisa, sem ofensa, e que é presidente das misericórdias deste país, quando questionado sobre a fome em Portugal, respondeu simplesmente que não há fome no nosso país, porque sempre que alguém recorre às mesmas não vai sem comer. Estranha resposta; de alguém que tem responsabilidades acrescidas! Ou será que só de pão vive o homem?
      Boa tarde passe bem: assunto encerrado.
      Inocêncio Matos

      Eliminar
    4. O pormenor que foi buscar para tentar me diminuir...
      Época medieval?? Misericórdia??
      Li o seu texto e não entendi o que quis expressar sobre o meu comentário, porque não disse nada de concreto e divagou.

      Eliminar
  3. 25 de abril sempre fascismo nunca mais!!!

    ResponderEliminar
  4. 25 de Abril sempre, abaixo o fundamentalismo, a incoerência e a intolerância.
    Se ouviu o discurso do seu presidente já se arrependeu do texto sem nexo que escreveu...
    Confesso que me estava a sentir nas estrelas ao ler o texto, porque me revia de certa forma nele, com algumas reticências é certo, mas a dado momento aí está a incoerência. Políticos todos vinho da mesma pipa e farinha do mesmo saco, páginas tantas, surge o partido socialista como pai de todos os males da sociedade portuguesa...
    Vou ter de lhe lembrar que não é saudável ter memória de passarinho... Aqueles que defraudam o Erário Público pelo menos em 90% dos casos, em milhões e milhões em impostos votam naqueles que defende; que não são mais que os novos nazistas em crescendo, camuflados de cordeiros. Mas o tempo o dirá, mais em breve do que se possa imaginar, com esta forma de extermínio que não pará de viver lado-a-lado e dia-a-dia connosco. E porque é que isto acontece? Porque nem eles nem os seus os seus lambe botas e informadores estão lá no meio, ou seja; estão para beneficiar dos negócios com os refugiados, esses que morrem aos olhos cegos da demagogia.
    -Se fugi um pouco ao tema foi de propósito para que perceba bem de onde vem o mal maior.
    Já que volto ao espaço, não posso deixar de dizer que quando fiz um comentário, em que disse simplesmente "coitadinha," a propósito de me ter chamado de "marreta," confesso que me arrependi de imediato, porque esta palavra emprega-se em casos de pessoas que estão em estado vegetativo ou algo semelhante mas confesso que me vejo obrigado a sonegar esse meu arrependimento.
    Para terminar, quero lembrar-lhe apenas que é obrigação de todos olhar pelos indefesos, mas como se percebe que é fundamentalista está tudo dito.
    Passe Bem
    Inocêncio Matos

    ResponderEliminar
  5. Para o Ricardo

    Quando o que reclamamos e queremos que mude não acontece e até piora..., tornamo-nos repetitivos. E é isso que ainda mais nos revolta e desilude.
    Mas se há quem goste, pois que aproveite e comemore. Eu não, pois motivos não tenho nenhuns.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo o seu desencanto , mas não consigo perceber como uma ditadura possa ser a solução, mesmo sabendo que a democracia tem imensos defeitos!
      Existe leis e regras bem feitas, apenas não são postas em pratica no dia a dia.
      Eu sou de uma geração que não vive de forma intensa este dia, não o vivi e não senti a opressão que existiu nesse tempo, logo desvalorizo esse sentimento, no entanto dou valor ao que tenho no momento. A sua geração viveu essa opressão e viveu o após a ditadura , com os seus defeitos ( anarquia estatal ) e virtudes, não pode negar que ao longo destes anos de democracia já usufrui-o e usufrui de muitas coisas boas criadas por este sistema (que começa a a ruir devido ao abuso e desleixo dos nossos políticos e sociedade civil ) , em contraste com a minha geração que tem um grande desafio pela frente.
      Gostava de ver os portugueses que tanto criticam , num sistema de trabalho e de saúde igual ao dos Estados Unidos por exemplo, não temos sistemas perfeitos mas em relação a muitos países estamos super evoluidos e temos que partir daqui para podermos melhorar ou aperfeiçoar, para que no futuro outros possam usufruir.
      O socialismo/ comunismo é uma ideia inconcebível sendo o ser humano um animal individualista, mas o capitalismo utiliza muito bem este conceito, mas de forma invertida!!

      Eliminar
  6. " O socialismo é a filosofia do fracasso, a crença da ignorância, a pregação da inveja. seu defeito inerente é a distribuição igualitária da miséria"

    Wiston Churchill


    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  7. 25 de Abril Sempre! Fascismo nunca mais! António Magalhães

    ResponderEliminar
  8. Vamos la a vêr uma coisa:
    Será que um Deputado que entrou para o Parlamento a seguir ao 25 de Abril e ainda lá continua, não é um DITADOR...???
    Será que um Presidente da Camara que foi Eleito uma vêz e 25...30 anos depois ainda continua a sê-lo não é um DITADOR ...???
    Será que um Governador de uma Região eleito uma vêz 30 anos depois ainda continua a governar-se não é um DITADOR ...???
    Será que um Presidente dum Partido dezenas de anos depois continuar a sê-lo não é DITADURA ...???
    Será que um Presidente dum Clube, dezenas de anos depois continuar a sê-lo não é DITADURA ...???
    E fico por aqui com os exemplos, porque podia continuar com todos os sectores da Sociedade Portuguêsa.
    Tanto mais que a Revolução foi feita por Jovens Militares, com a menção de extirpar de Portugal a velha forma de pensar. Que Grande Logro.
    "Portugal ...!!!" atirou com O SALAZAR abaixo da Cadeira.
    Para mal dos seus pecados ficou infestado de salazaritos.
    Vamos lá salazaritos passem a pasta aos mais novos. Esses mais novos de longe mais compétentes que vós outros e que têem que emigrar porque os salazaritos não tiram a boca das têtas da vaca.
    Nelson Fernandes

    ResponderEliminar
  9. A grande maioria dos deputados da CDU está na casa dos 40 portanto bem mais novos que a D. Ercília saudosista dos tempos da fome e da miséria. 25 de abril sempre fascismo nunca mais...Antonio Magalhães

    ResponderEliminar
  10. Os meus parabéns à "Cova do Viriato", por ter a lucidez e a frontalidade que mostra ter.
    Num país cheio de bocós que seguem como carneiros ideologias que por mais que mostrem que são erradas e falsas, as defendem sem nunca as questionar, o seu comentário é muito interessante por tão lucido ser. Mostra que pensa pela sua própria cabeça sem ir em conversas fiadas e bolorentas.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  11. Para fascistas "lúcidos e coerentes" já chegaram 48 anos de 1926 a 1974.
    Por muitos defeitos que esta nossa democracia tenha nada se compara à miséria ao analfabetismo e à ditadura torcionária e obscurantista que esse tempo de que as D Ercílias têm saudades (lá terão as suas razões....)pariu com a benção do António das Botas e do Cerejeira dos terços e avés marias....va de retro satanás.
    25 de Abril Sempre! Fascismo Nunca Mais! António Magalhães-Canelas VNG

    ResponderEliminar
  12. Neste espaço quem escreve aqui é responsável pel asua opinião e não vincula mais ninguém .

    Mas li algo no Público que dá que pensar:

    Crise leva um quinto dos portugueses a terem saudade dos tempos antes do 25 de Abril

    Estudo mostra que continua a haver muito orgulho na transição para a democracia, mas também que a atitude em relação à vida pós-revolução tem vindo a sofrer de algum desânimo.

    Mais de quatro décadas depois do 25 de Abril, ainda haverá pelo menos um quinto dos portugueses com saudade dos tempos pré-revolução e que têm uma percepção positiva do autoritarismo de então. Entre eles, estão os que estavam a entrar na vida adulta quando se deu a Revolução dos Cravos e aqueles que nos últimos anos foram de afectados pelo desemprego na crise que o país tem vivido de forma mais expressiva desde o início desta década.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E sem esquecer, que há vários anos atrás, Salazar ganhou o concurso do Maior Português!
      Isto há anos..., se fosse hoje rebentava com a escala! Por isso nem se atrevem a repetir a experiência.

      Hercília Oliveira

      Eliminar
  13. É EVIDENTE QUE O DESEMPREGO É HOJE O FLAGELO SOCIAL MAIS RELEVANTE E MOTIVO DE MUITAS FRUSTRAÇÕES.
    O QUE É CURIOSO É QUE RARAMENTE SE APONTAM OS GRANDES CAPITALISTAS E DONOS DO DINHEIRO E DAS EMPRESAS QUE ENGORDAM À FARTAZANA COM OS LUCROS E PEDEM A AJUDA DO ESTADO QUANDO CHEGAM OS PREJUÍZOS. Veja-se o que se passa com a Banca que nos primeiros anos deste milénio deu muitos milhares de milhões aos seus accionistas que agora vão para suas casas com grossas reformas e é o Estado(isto é os contribuintes) que limpam a casa...por acaso gostava que me informassem quantos bancos nacionalizados com o 25 de Abril chegaram à bancarrota como se vê agora com os privados? Precisamos dum sector público forte (saúde-educação-energia-banca) nas áreas essenciais e de um sector privado dinâmico nas áreas em que o empreendedorismo seja fundamental e complemente as necessidades quotidians dos cidadãos...António Magalhães-Canelas VNG

    ResponderEliminar
  14. Caros Leitores boa noite.
    Convenhamos que para um Homem que já morreu vão la quase 46 anos, ainda continuar a metêr mêdo, é obra ...!!!
    Já agora o Dr. António de Oliveira Salazar se ainda fosse vivo fazia amanhã 127 anos. Nasceu em 28.04.1889
    Hó Sr. António Magalhães, o Fascismo foi um Sistema Politico que fez o seu tempo. Não volta nunca mais. A opressão hoje vêm de outras políticas, muito ao gosto de cada um, as quais criam como o Sr. refere em cima "Desemprego" e outros desiquilíbrios.
    Creia que não é minha intenção dar-lhe lições, mas não tenha mais receio do LOBO MAU. Eu também fui vitima desses tempos. E fazêr-lhe o quê agora. O Futuro é amanhã. É hoje que devemos pensar, como fazêr para melhorar o amanhã. A mesma água só passa debaixo da ponte uma vêz. E depois "Para tráz mija a burra"...!!!
    Sem dizêr que, de todos os Fascistas que fizéram o seu tempo, Salazar foi dos mais benévolos de todos.
    Independentemente de não poder estudar porque era Filho de Pobres e da fome que passei, sabem o que é que detestei nesse Grande Politico.
    Foi o Assacínio do General Humberto DELGADO. Humberto DELGADO teria conduzido a Política Ultramarina, noutra direcção, as então Colónias teriam obtido a Autodeterminação e Portugal poderia têr saído em Grande e com a cabeça levantada, em vêz dessa Palhaçada que foi a Descolonização.
    Tudo o resto, faz parte da história. Pena é que Portugal não tenha, quem escreva a sua verdadeira História. E quando aparece um "FERNÃO MENDES PINTO" que ousa escrevêr qualquêr coisa, vêm logo aqueles que não fazêm nem escrevem nada, dizêr ...!!! Fernão, mentes ? minto !!!
    Aconselho, quem tivér mêdo de salazares de estar atento ao amanhã, porque eles vão aparecêr e de onde menos os esperam.
    E digo-vos mais : Não venham amanhã dizêr que as HERCÍLIAS e os NELSONES afinal tinham razão. Pela minha parte o caminho do Futuro é para a frente.
    Vamos Portuguêses todos de uma vêz por todas, fazêr uma síntese do passado e trabalhar para o futuro.
    Contém comigo. Pequenino aqui no meu canto, cada vêz que recêbo uma encomenda de mercadoria, estou a trabalhar para melhorar a vida de vos outros aí em baixo.
    Dr António de Oliveira Salazar. "Velut Ombre"
    Nelson Fernandes

    ResponderEliminar
  15. Não há fascistas bons e maus...há só fascistas maus e a miséria e falta de liberdade desses 48 anos foram fatais no contexto de desenvolvimento europeu pós guerra. O LOBO MAU está aí à espreita...mas acredito que a democracia e o desenvolvimento vencerão...assim o povo abra os olhos. Abril ainda está por cumprir mas eu sou um optimista e mais ano menos ano lá chegaremos...a bem de Portugal e do mundo...😊 Antonio Magalhães

    ResponderEliminar
  16. Qualquer dia ainda vão culpar Salazar por não haver internet no tempo dele!
    E ainda, por nos outros países todos nascerem já alfabetizados sabendo ler, escrever, direito das mulheres a votar, a ir à lua etc..
    Tristes lunáticos, fanáticos que se convenceram que o mau e o mal estão todos concentrados num só ideologia!! É destas e para estas tristes almas, que os Stalin, Marx e outros que tais, "trabalham" e têm dado ao mundo tristes exemplos e de má memória. Mas existem tantos desmiolados neste mundo, que não admira que por isso o MUNDO esteja como está.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar