07/03/2016

entrevista de Joaquim Jorge à Begin Media


Joaquim Jorge ou JJ, é o autor do blog Clube dos Pensadores. “O nome vem de pessoas que desejam pensar independentemente do seu grau académico ou de instrução”, explica o criador. Ativo desde janeiro de 2006 surgiu “como ferramenta de apoio na divulgação das iniciativas do Clube dos Pensadores”, declara JJ.

Na sua visão as pessoas têm em conta a opinião de «terceiros» sobre política para “talvez confrontarem o que pensam e terem outra perspetiva”. Tem a noção que nem toda a gente se identifica com aquilo que escreve. Lida com as críticas e as opiniões contrárias como “um bom exercício de democracia e cidadania”.

Para si os fatores positivos de ter uma página deste género são “difundir as ideias de uma forma rápida e poder chegar a muita gente”. No reverso da medalha, ou seja, o lado negativo é “a cobardia do anonimato, dizer o que vem à cabeça de forma mal-educada e insolente sem consequências”.

Apesar disso afirma nunca ter tido medo de expressar as suas opiniões. “Sou mais quebrar do que torcer”, diz Joaquim Jorge. “Nunca deixei de dizer o que penso de forma educada e com argumentação, nunca com ataques pessoais”, elucida o autor do Clube dos Pensadores.

Isso fez com que já fosse alvo de muitas represálias. “Ao ponto, se me calasse arranjavam-me um emprego. Todavia eu sempre tive emprego felizmente”, conta Joaquim Jorge. “Solicitarem a um diretor de jornal para que deixasse de escrever, a troco de um subsídio”, acrescenta o escritor. “Mas tiveram azar, tenho amigos e granjeio simpatia pelo que faço”, justifica o blogger.

“O blog é um espaço aberto a quem queira escrever”. E isso fez com que já tivesse uma grande surpresa. “Durante uns tempos escreveu alguns posts um senhor”, que não queria ser identificado com fotografia. “Mais tarde ligaram-me a dizer que tinha pertencido à ex-pide e que não era uma pessoa recomendável”, conta o autor do blog. “A blogosfera tem destas coisas, fica tudo online e registado”, completa Joaquim Jorge.

Na sua opinião, a população portuguesa não tem nenhum interesse na política. “Só se interessa quando lhe mexem nos bolsos”. Os interessados nesta temática são uma minoria “mais os que usufruem dela (políticos e gente que os gravita) ”, clarifica JJ.

A sua opinião saltou da web para os jornais. “Houve um período que o blog era muito citado no Jornal de Notícias e Público”. Atualmente, os seus artigos são já presença habitual em alguns jornais. “Tenho uma coluna de opinião no Diário Económico e outra no Record, com o nome Clube dos Pensadores, por vezes os meus artigos são publicados no Jornal Notícias, Diário Notícias ou Público”, enumera o blogger. Considera que foi a escrita do blog que lhe deu essa habilidade. “Ter um blog fez com que escrevesse todos os dias. Isso deu-me traquejo e experiência para escrever para jornais”, explica JJ.

Eu vou continuar com o blog enquanto puder”, enfatiza Joaquim Jorge. “Mas os blogs já estão fora de moda, são muito estáticos”, completa. “Está tudo noutras plataformas: Facebook, Instagram, Twitter, etc. Um blog tem de ter qualidade e conteúdo. Isso dá trabalho”, reforça JJ. 

 Criar um blog pode ser desafiante, recompensador pela partilha de conhecimentos ou mesmo uma forma de sustento, mas exige esforço. É preciso estar-se informado e perceber o que acontece à nossa volta.



Moda, culinária, desporto, política… entre muitas outras coisas. Existem blogs sobre todo o tipo de matérias. Gostava de criar um blog, mas não sabe por onde…
DE BEGIN.MEDIA

Sem comentários:

Enviar um comentário