06/02/2016

MUITO EUROPEÍSTAS, MAS...



Hercília Oliveira 
António  Costa., de seu cognome "O Usurpador", e toda a esquerda que o apoia, está à rasca.
Todos sabíamos, só os mais crédulos (para não lhes chamar outra coisa...), é que não, que as promessas de Costa eram pura utopia.
Até ele, Costa, o sabia. Sabia mas isso era o que menos lhe importava ; o importante para ele, era chegar ao poder para não ser deitado ás feras do partido, onde tudo a que se propôs  depois de usurpar o cargo ao seu camarada Seguro foi uma derrota.
Todos sabemos  a forma como conseguiu! E todos sabiam o que aconteceria a seguir.
...Até os simples cidadãos que foram entrevistados na rua, diziam que, apesar de ter sido dura a austeridade de que  foram vítimas, acreditaram mais nas medidas que lhes foram impostas e que sentiam que iam no caminho certo, do que nas maravilhas que o PS anunciava.
Agora, com os problemas que a coligação de esquerda teve para que Bruxelas desse o aval ao O E de 2016, logo apareceram os culpados de todas esta dificuldades que surgiram em Bruxelas,
É a UE, Bruxelas que se mete onde não deve,  pois Portugal é soberano, dizem eles...
É a oposição, que foi para Bruxelas "pedir" para não aceitarem o OE...
São os comentadores que  são contra.( e eu não conheço um que tenha feito comentários a favor..), que estão fazendo tudo para que não dê certo e que sejam derrotados...
Enfim, todos menos os principais responsáveis: ELES.
Mas..., Bruxelas lá aceitou.
Aceitou, mas como já se sabia, lá vem mais uns impostos e mais austeridade!
Agora..., bom, agora a conversa vais ser, ou melhor, já é, que não são impostos são ajustes ou impostos indirectos (!!??).
Quer dizer, que quando formos meter gasolina, alguém vai pagar por nós!
Quando a banca começar a pagar mais uma taxa, quem vai pagar?
Quem comprar carro, vai pagar mais, mas é só um" ajuste"!
Se isso afectar a indústria automóvel e vierem despedimentos...,é coisa pouca...
Dizem alguns, que não cortaram nos salários nem nas reformas. Pois não..., é que isso, o mais impopular,  como já é habitual fica  sempre para quem vai limpar a sujeira que o PS deixa!
Mas vamos lá..., vamos para mais uma derrota deste país, que anda há décadas desgovernado e sem rumo.
O PS e Costa, são muito europeístas mas só quando lhes convêm...A Europa é  uma maravilha quando mandam os euros; agora quando lhes impõe regras, é o diabo.
Vou gostar de ver, o BE e o PC engolindo sapos e lambendo os beiços!
Alguns até já estão com tiques de incomodados não assumidos. Vou gostar de ver.

6 comentários:

  1. Minha senhora: desiluda-se que o efeito avestruz com que queriam vestir o dr. António Costa não serviu senão para os papistas da direita que durante quatro anos roubaram, volto a repetir roubaram, tudo que era trabalhador e conseguiram apenas aumentar a dívida em mais trinta e cinco mil milhões que foram direitinhos para os bolsos dos seus compadrios e seus também. A azia da Europa não é o orçamento mas sim o governo que nos governa ter um acordo com a esquerda, mas é uma questão de tempo (pouco) porque mais países, vão enveredar pelo mesmo, e então o discurso é outro concerteza.
    Ou há dúvida, que o problema do orçamento, não é senão político. Tem a ver com as mentiras destes senhores que lá estiveram em relação ao que prometeram que num ápice passaram de temporários estruturais, a essa gente que não votámos para nos representar em nada e agora querem comer-nos as papas na cabeça. "A senhora por acaso conhece algum balcão do banco Effisa)? (Se conhece diga-me que quero lá abrir uma conta). Desde já o meu obrigado. Espero que perceba como aqueles cidadãos comuns a quem com palavrinhas mansas quase chama burros.
    Numa coisa estou de acordo quando diz que há décadas que este país anda desgovernado e sem rumo mas esqueceu-se da parte mais importante, realmente depois que Cavaco Silva destruiu o aparelho produtivo deste país a miséria instalou-se definitivamente na classe média e a partir daí aqueles que conseguiram aguentar o barco são os desgraçados que não têm forma alguma de ser corruptos.
    Porque não fala dos milhões que são mandados para a Ucrânia, vai-me dizer que não nos diz respeito, mas diz, porque vem aqui à baila, o velho ditado andam uns a pagar para outros e aqui sim andamos a pagar para outros, por isso nos querem levar o pouco que temos...
    A senhora também é daquelas que acha que um salário mínimo de quinhentos e trinta euros é uma fortuna, 470 e picos após os descontos. Mas eu compreendo-a dá para perceber pelo discurso que é com este salário que vive...
    Já dizia o filósofo de são e de louco todos temos um pouco.

    Meninos de Rua

    Menino de rua
    Menino descalço
    Na mão o nada
    No nariz o ranho
    Esguio da fome
    Escuro do lixo
    Filho de ninguém
    Tratado como bicho
    Olhar desconfiado
    Oculto no medo
    Na vida atado
    Pior que um segredo
    Segredo que não diz
    Anda ensurdecido
    Não sabe o que é giz
    Está esquecido
    Não vai à escola
    Tem mais que fazer
    É na escola da esmola
    Que anda aprender
    Aprende de tudo
    Futuro não tem
    Tudo se faz surdo
    Não é ninguém
    Mais tarde ou mais cedo
    É culpado sem culpa
    Criaram-lhe nervo
    Mais forte que garupa
    Doído da vida
    Sem nada a perder
    Tanta vida sofrida
    Que importa morrer
    O berço do mundo
    É-lhe madrasto
    Atirou-o ao fundo
    Não é pai é padrasto…

    Vê minha senhora é disto que a sociedade gera com fartura depois queixam-se de terrorismos e sei lá bem o que mais.

    Escreveu: Inocêncio Matos


    ResponderEliminar
  2. É verdade que estando Portugal no clube do Euro deve cumprir com as regras existentes. É um argumento aceitável. Mas também não deixa de ser verdade que uma democracia em que aqueles que não foram eleitos se sobrepõem aqueles que são os legítimos representantes do povo é, no mínimo, estranha.

    ResponderEliminar
  3. Até parece, que não viram o que aconteceu com o "bater do pé" feito pela Grécia e o fantástico Syriza!!??
    O que receberam como resposta, foi mais austeridade; por estes dias sucedem-se as greves e manifestações, por mais cortes feitos!
    Só que, o que se passa na Grécia deixou de ser notícia, e a gente sabe porquê...Não interessa que se saiba!
    Mas, continuem achando que um país endividado e dependente de credores, é independente e soberano.
    Continuem que estão no caminho certo.., é só uma questão de tempo e nem precisa de muito.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  4. O que aconteceu com o bater do pé da Grécia foi um comportamento inaceitável. A humilhação a que se sujeitou a Grécia foi absolutamente indecente. Mas tem razão: um país endividado é um país que, de alguma forma, perdeu soberania. Acontece que endividados estão todos os países do mundo e o nosso tem como todos sabemos uma dívida enorme. Mas a questão não é tanto o endividamento até porque este aumentou durante os últimos 4 anos. Como o Banco Central Europeu garante a dívida quer portuguesa quer dos restantes estados membros "eles" estão pouco importados com o montante da dívida porque os recursos do BCE são ilimitados uma vez que têm a possibilidade de emitir a quantidade de moeda que entenderem. A questão que opõe o atual governo aos comissários europeus é a questão do défice que não pode exceder 3%. A questão é que estão a obrigar países como Portugal (e antes a Grécia) a cumprir este requisito quando isto só é possível através do empobrecimento das pessoas. Aquilo a que o Governo anterior chamou de processo de ajustamento mais não é do que empobrecer.
    O verdadeiro problema é que Portugal não tem possibilidade de emitir moeda mesmo quando isso seria a melhor coisa a fazer. A emissão de moeda acarreta subida da inflação e descida do desemprego coisa que a Alemanha não preciso, não quer e não permite.

    ResponderEliminar
  5. Confesso que este Clube esta' a agradar-me, na qualidade de gente que a frequenta, demostrando coerencia e inteligencia, nos comentarios. Ao contrario de "assiduos" que, aproveitando o tempo de antena, nao deixam de mostrar as suas palas em tudo que dizem

    ResponderEliminar
  6. caro amigo Carlos Almeida vulgo Pedro Liverpool tu és assíduo neste blogue.
    penso que ainda não percebeste bem este espaço.

    A liberdade é de cada um e a sua opinião somente vincula quem o escreve.

    SE há pessoas que não escrevem ou não querem dar a sua opinião o problema é delas.
    Agora nunca deixaremos de dar liberdade de opinar a quem quer que seja de forma educada e livre.

    O Clube não é um espaço de deve e haver ou contabilístico mais á direita ou mais à esquerda.

    É um espaço para pensar.

    Obrigado

    ResponderEliminar