11/10/2015

Senhores políticos entendam-se




Esta semana não fiquei lá muito contente com os encontros dos partidos políticos. Estou apreensivo e começo a ficar desassossegado com o que aí vem.

Os políticos têm obrigação de perceber o que os portugueses pretendem quando dão a sua opinião expressa em votos. Muitos portugueses estão zangados com este governo e não foram votar, outros abandonaram a coligação PSD/CDS e votaram noutros partidos, outros deram mais alguns votos ao PS mas não confiam muito. O PCP manteve a sua base de apoio e o BE surpreendeu como voto de protesto e não só.

Todavia, a conclusão que deve-se tirar destas eleições legislativas, avalizada em estudos de opinião, é a seguinte: "os portugueses querem este governo mas não querem mais austeridade".

Então o que fizeram os portugueses: deram uma maioria relativa ao PSD/CDS e reforçaram um pouco o PS. Isto quer dizer que querem entendimento, diálogo e que se façam acordos.

Quem não o fizer será penalizado em nova consulta eleitoral.

O problema deste rescaldo é que os políticos quando há  um acto eleitoral  constroem   sempre cenários de vitória e extremam as sua posições. Nunca pensam no dia seguinte às eleições e, nem põe a hipótese que os portugueses não querem excesso de poder para um dos lados.

A cedência, diálogo ou acordos é entendida aos olhos dos seus apaniguados como perda da face. E, neste caso, António Costa faça o que fizer está atado de pés e mãos. A sua sobrevivência política no PS passa por ser poder e terá a tentação de formar governo com o apoio do PCP e BE. Se se tivesse demitido teria facilitado a vida politica portuguesa a acordos. O novo líder do PS não estaria refém de promessas e antagonismos exacerbados.

Deste modo, os portugueses nunca votaram num governo PS com o apoio do PCP ou BE. Esta é a minha leitura e interpretação. Essa hipótese deveria ter sido avançada antes das eleições para os portugueses darem a sua opinião.

Eu sou totalmente  contra esta desmesurada austeridade, tenho-a aguentada com muito sacrifício e denoto. Mas não tenho idade para viver em constante ió:ió : ora tiram-me tudo ora dão -me tudo.

Senhores políticos entendam-se, acima de vós, dos vossos partidos está Portugal e os Portugueses.

JJ

3 comentários:

  1. Muito BOM, este texto!
    O PCP, está encurralando o Costa, e de que maneira!
    Mais uma vez, Costa se põe a jeito; depois..., que não atribua culpas a mais ninguém, se não a ele mesmo!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Concordo em género e grau. PPC e Costa estão a esticar a corda a mais, analisando o que a imprensa vem noticiando. A demissão de Sérgio Sousa Pinto (não é que o PS perca muito) já indicia que de facto há suspeição que Costa queira fazer hara-kiri. Como é possível alianças com 2 partidos de pura contestação, sem responsabilidades, sem quadros, sem experiência nenhuma? Um conjunto de meninos e meninas (independente da idade), completamente lunáticos, autistas, sofistas, podem ser aliados para trabalhar?
    O BE e o PCP foram quem mais deram cabo do PS. Como é que Costa se vai aliar com eles? Será que Costa não tem vergonha na cara?

    Que o PSD fizesse combate ao PS, entende-se, agora partidos que diziam ser contra a austeridade, etc., etc., em vez de malhar no PSD, fartaram-se de denegrir o PS e Costa.

    Só a brincar é que isto pode ser sério.

    Mas se Costa quer provar o fel, que se alie ao bando do PCP e BE e provará.

    É abrir caminha e estender passadeira vermelha a uma maioria da coligação.

    Só digo uma coisa: Costa, tenha juízo. Já não chegou dar tantos tiros nos pés? agora quer dar um na cabeça?

    ResponderEliminar
  3. A coligacao teve maioria relativa.
    O que e' isso? Coligacao, neste caso sao 2 partidos politicos. Que percentagem teria cada partido, se concorressem sozinhos? O PSD menos que o PS e o PP menos ainda que o PCP. Nao tendo esta coligacao, maioria absoluta para governar, tera' que procurar consenco, com uma terceira forca politica - o PS. Missao impossivel!
    O Mario Russo, que eu prezo pelos seus comentarios (aparte da atitude xenofoba para com homosexuais), faz consideracoes negativas sobre uma possivel coligacao a' esquerda, por eles serem linaticos, autistas, inexperientes, etc.
    Mas, o que nos trouxe os experientes PSD,PP e PS ao longo de decadas? Esbanjamento, sobreindividamento, corrupcao, enriquecimento ilicito dos politicos e seus associados. Por isso, onde esta' o temor, em trazer alguem novo para reinventar Portugal?!
    Como ja' disse antes: temos tido durante decadas, um prato cheio de bosta (PSD/PP) e outro cheio de trampa (PS ). E ainda querem da mesma dieta?!!!

    ResponderEliminar