08/10/2015

Como é difícil concorrer neste sistema político anquilosado e obtuso




O Movimento Livre/Tempo de Avançar não teve os almejados 50.000 votos , ficou-se pelos 39.003. Deste modo não vai ter direito à subvenção anual pública para financiamento dos partidos políticos por não ter conseguido 50 mil votos. Essa subvenção, anda à volta, de 150 .000 euros , friso, cada ano da legislatura que tem quatro anos.

Por outro lado, o  Livre também  não recebeu qualquer subvenção estatal por não ter conseguido eleger nenhum deputado para o Parlamento.

Agora lançou uma campanha de angariação de fundos para fazer face às despesas feitas durante a campanha eleitoral para as legislativas. Gastou à volta de 120.000€.

Complicado concorrer-se neste sistema castrante e só para "eles"- os que já lá estão.

O PAN teve 74.747 votos e elegeu um deputado. O PDR teve 60.982 votos.
PCTP/MRPP teve 59.835 votos safaram-se e vão ter alguma ajuda.

Pela análise que fiz houve partidos que tiveram menos votos do que as assinaturas obrigatórias para se formarem  como partido (7.500) : PPV/CDC teve 2.660 votos
PTP teve 1.748 votos . Esses à partida excluía de receberam qualquer subvenção . Mas houve partidos que se aproximaram dos 50.000 votos como o Livre e outros na casa dos 20.000 ou 30.000 votos deveriam receber o valor correspondente por cada voto . Cada voto vale mais ao menos 2,8€ ( baixou de 3 euros com o corte de 10%). Um partido, por exemplo, que teve 30.000 votos . deveria receber o apoio na campanha de 30.000 x 2,8 = 84.000 euros para fazer face às suas despesas.

Tudo isto está mal e parte de premissas completamente desactualizadas nos tempos que vivemos. Um partido não se deveria poder formar para toda a vida. Deveria fazer "prova  de vida" com acções , ideias durante a legislatura. De outro modo deveria ser extinto. Deveria poder formar-se um partido sem a exigência da loucura das 7.500 assinaturas , mas depois deveria mostrar "serviço".

Por outro lado, colocar a fasquia de 50.000 votos tendo em conta a diferença de meios e capacidade é utópico. 

É necessário alterar a lei de partidos facilitar a sua formação e exigir planificação e acções . No entanto, os seus votos sejam quais forem ser traduzidos em ajuda na campanha eleitoral.

JJ

6 comentários:

  1. AI, esta então é de mais...ahahha!
    Então agora,..., NÓS, é que temos que pagar ou dar uma ajudinha!!?? Melhor, uma esmolinha!!??
    Só mesmo neste BANANAL, é que estas coisas acontecem.
    E assim vai esta maravilhosa BANANOGRACIA!!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  2. ó dona Hercília então como é que propões que se faça democracia? Só com um partido como no tempo da outra senhora? ou então sugere que os partidos sejam financiados por grupos económicos privados, que pagam campanhas estrondosas à conta de favorzinhos na política?
    Como é que a senhora sugere evoluir da sua "bananogracia" para uma democracia mais a sério?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa sra nao sabe o que significa "democracia". A nao ser para, mandar umas laradas pro ar...

      Eliminar
  3. Enquanto não mudar de" colchão"..., a má disposição não passará.
    Ele há ditadores, que nem pra isso têm jeito. Normalmente, são pessoas ressabiadas com a vida, dormem com "avozinhas", acordam com boca cheia de laradas ( e não é pra menos, coitado,...), e depois..., a má disposição vem em laradas sucessivas..
    Também..., só mesmo um "parente" deste grau, aceitaria conviver com uma criatura destas! Quando morrer, terá com certeza o céu!!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  4. Este espaco de "pensadores" , de pensadores nao tem nada, com este nivel de comentarios

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estás à vontade deixa de vir aqui. O que é que tu fazes pelo Clube dos Pensadores ? Porque só criticas e nada fazes. Não sejas como as pessoas que criticas

      Eliminar