05/10/2015

Artigo de opinião de Joaquim Jorge no DE




Joaquim Jorge

Hoje: dia após eleições

Nem sei se alguém terá pachorra para ler este texto. Mas se o fizer muito agradeço.

1 comentário:

  1. "...após as eleições, estarei desassossegado, inquieto e nervoso. ", o problema é mesmo este estado de alma, seu e de muitos outros cidadãos.
    As campanhas foram confusas, cheia de contrainformação, sem ideias/propostas, ataques pessoais e muita mas muita hipocrisia...detesto este contato com a população, as arruadas com as bandeiras são completamente irritantes, demonstrativas de que existe muita gente á procura de "oportunidades" e que não fazem nada de produtivo na sociedade! Os beijos e abraços são repugnantes destes líderes da treta, passam anos inteiros com seguranças á sua volta, carros de topo de gama, evitam manifestações etc etc...
    O mais sensacional são as visitas a fábricas e outras industrias, onde os funcionários além de trabalharem por míseros ordenados ( muitos deles financiados com dinheiros comunitários ), ainda têm que se submeter a estes parasitas partidários e entidade patronal, aberração total. Fico completamente confuso com estas demonstrações de apoio das Entidades patronais aos Partidos Centrais, esta mesquinhez e cumplicidade são humilhantes para os trabalhadores e bastante intimidantes!!
    A coligação vence pela mediocridade alheia e porque apesar de tudo os portugueses não se esquecem que a banca rota teve um marco importante, sendo esse PS/Sócrates e eus fieis cães de fila. É de espantar que em pleno séc.XXI exista 20% da população com ideias comunistas, quando se sabe que esta ideologia não passa de utopia, CDU completamente ultrapassado ( o seu líder que vá para a reforma mais o seu discurso), B. Esquerda com uma Catarina de discurso simples e direto mas que não passa disso.
    O descrédito é muito grande, a geração dos 40 para cima nestes últimos anos viu as suas bases serem completamente esmagadas e retiradas sem qualquer tipo de explicação e piedade, enquanto a geração mais nova evolui e cresce num ambiente crispado, sem apoios, sem valorização e numa precariedade estonteante , espelhando muito bem a percentagem enorme de abstenção.
    Novidades? Nenhuma! Solução ? Romper de vez com esta ditadura capitalista sem regras, do socialismo onde todos assumem as dívidas de alguns e decidir se queremos fazer parte de uma União monetária desigual e que defende interesses de apenas alguns países.

    ResponderEliminar