27/08/2015

Os trabalhos hercúleos de António Costa





 Os tempos estão difíceis para António Costa em vésperas das eleições legislativas. O seu partido continua a ter demasiadas vozes, algumas das quais ainda a “mando” de Sócrates a causar estragos que podem não ser recuperáveis em tão pouco tempo.
Pedro Passos Coelho conta com apoios de socialistas de peso, como é o caso de Maria de Belém Roseira, que quebra o PS a meio e desvia do essencial as energias que deveriam ser canalizadas para as legislativas.António Costa tem de lutar contra adversários externos e contra estes inimigos internos, assim como um contexto externo que favorece nitidamente o Governo em funções.
Com efeito, depois de 4 anos de dieta a pão-e-água, um pouco de manteiga já faz uma grande diferença. Mais ainda num país com um povo pouco esclarecido e com fraca educação. O preço do petróleo está a afundar países produtores e a fazer flutuar países importadores, que agora precisam menos de metade das divisas. O BCE de Mário Draghi decidiu, à cautela, baixar a taxa de juro de referência e a comprar dívida soberana quanta a necessária, acalmando os ditos mercados. A Grécia, que tinha um governo revolucionário, foi esmagada pelo peso das botas cardadas duma Alemanha … quase nazi, para gáudio do PSD/CDS. A arrecadação de impostos é anunciada como record e a encher “os cofres”.
São demasiadas boas notícias económicas (ainda bem) para um governo que ferrou sem piedade os portugueses e agora, o algoz anuncia as prebendas para o futuro… se…se…, apesar de serem mentiras.
Por isso, António Costa tem de começar por pôr ordem na casa para evitar os constantes “tiros-nos-pés” que diversos membros narcisistas que pensam apenas nos próprios e não nos superiores interesses do partido.
A começar pelo hóspede da cadeia de Évora, o ex-PM José Sócrates, que continua a causar embaraços ao PS cada vez que se lembra de travar-se de razões com a Justiça, muito bem aproveitado pela imprensa PSD que tudo faz para dar protagonismo ao preso e constranger António Costa.
Qualquer partido deve pugnar para que os seus membros sejam pessoas de bem. Quando algum membro está a contas com a justiça com processos graves, se for pessoa séria, é a primeira a pedir suspensão até aclaração da situação. Quando tal não acontece, como é o caso de Sócrates, com as acusações gravíssimas que sobre ele impendem, sem ter a estatura ética e moral de pedir a sua suspensão do Partido para não o prejudicar, aliás, mantendo o seu narcisismo à frente de todos os interesses coletivos, deveria ser suspenso preventivamente de membro do partido. Sócrates continua a dominar uma franja de militantes que o acompanhou enquanto governante, de má memória para os portugueses. É uma intromissão na vida do partido de oposição e fácil de ser usado, como está, pela oposição que vale tudo.
António Costa tem-se afastado de Sócrates, mas não é suficiente. Há membros socráticos que causam repulsa à maioria dos portugueses que continuam no ativo, comentando política nacional em colunas de opinião na imprensa escrita ou a convite da imprensa controlada pelo PSD que fazem de propósito para condicionar o líder do PS. António Costa tem de encostar esses militantes à parede: querem continuar a prejudicar o partido?
António Costa tem de centrar-se no essencial e explicar bem o que se passa na frente política, desmontando os argumentos do Governo CDS/PSD, que nada fez para que o preço do petróleo esteja 50% abaixo que que estava, nem para a decisão de Mário Draghi inundar o mercado com a compra de dívida soberana (contra a opinião de Passos Coelho, que foi além da Tróika) que tem levado à redução drástica dos juros respetivos. A melhoria económica que se sente no país não pode ser negada, mas não é mérito deste Governo. É uma melhoria assente na procura interna que teve uma forte ajuda do Tribunal Constitucional que evitou o confisco de mais de 2,7 mil milhões de euros que Passos Coelho pretendia sacar aos portugueses. Mas é uma melhoria que tem de ser bem acolhida pelas oposições, realçando que a mesma está alavancada por compras de bens imobiliários e automóveis, que é um perigo.
Também a insegurança que a Primavera Árabe trouxe ao Norte de África desviou os turistas ricos da Europa (franceses à cabeça) para Portugal. Uma boa notícia para o turismo português, que deve ser realçada, mas bem enquadrada. Isso iria acontecer fosse quem fosse o Governo. Até o rato Mickey.
António Costa vai ouvir até à exaustão o argumento de que foi ele que livrou Portugal de ser uma Grécia, tal como Salazar disse ao povo português que o livrou da II Guerra Mundial. Deve demarcar-se desta colagem, mostrando que a Europa não está a lidar bem com o caso Grego. Nada foi resolvido. Apenas fingiram que a situação foi resolvida. É uma questão de tempo e tudo voltará como um bumerang, atingindo Portugal e o sonho europeu.
António Costa, tem de reunir forças e canalizar energias sem dar o flanco. São pormenores que vão levar os indecisos a optar por um ou outro partido. Costa não pode dar-se ao luxo de deixar socratistas terem protagonismo. Deve tirar o máximo partido da recusa incompreensível da Coligação entrar nos debates plurais, porque Passos Coelho tem medo de estar sem Paulo Portas, um manipulador profissional que iria confundir e manobrar os debates como bem sabe.
Costa também tem de repetir até à exaustão os perigos das propostas de Passos Coelho privatizar a Saúde, a Segurança Social e a Educação. Deve mostra o que se passa em alguns países com a privatização destas áreas e as consequências nefastas para os mais pobres. António Costa deve antecipar-se à tentativa de colagem do seu PS ao PS de Sócrates, tal como o Benfica de Jorge de Jesus não é o mesmo do de Rui Vitrória. Porque raio há-de António Costa andar a defender o que de mal foi feito por Sócrates? Tem de fazer o mea culpa naquilo que não concorda e mostrar o seu próprio caminho. Foi por pensar diferente que se submeteu a votos no seu Partido. Não pode deixar-se imolar pelas trapaças de gente como Portas e a máquina de propaganda do PSD que o querem levar às cordas.
Costa tem de ouvir quem achar conveniente, mas não se pode deitar no regaço seja de quem for, em especial dos académicos, que têm o seu valor, mas que não são necessariamente bons executantes. Há modelos matemáticos que servem de base ao apoio a decisões, mas que não podem ser confundidos com a realidade como alguns académicos (maus) pretendem fazer crer, com os resultados que já sabemos. António Costa tem de escutar o seu mais profundo instinto político e a racional experiência executiva e seguir o seu caminho, que é para o bem de um povo e não dos amigos do aparelho partidário.
Há assuntos que podem ser bem usados: consequências das privatizações realizadas até agora. A
Destruição de empregos. A desmistificação dos números exibidos pelo INE sobre desemprego, forçado pelo raspanete do PM que não gostou da mensagem e mandou matar o mensageiro. AC tem de evitar entrar por facilitismos, porque os portugueses não confiam quando a esmola é grande. Se há uma boa notícia na área económica, tem de mostrar que a sua política teria dado ainda melhores resultados que os anunciados e quantificar, coisa que não é difícil, pois são os mesmos argumentos porque há melhoria económica (sobretudo alavancada pela procura interna).
Mário Russo
Se Costa não comandar as “tropas” arrisca-se a perder o comboio e entregar o ouro, literalmente ao bandido.

4 comentários:

  1. António Costa quando esteve no Clube senti que gente ao parelho do PS o tentava manietar e senti que não sentia-a confortável por isso.
    Em relação à sua formação achei-o muito bem formado e intencionado.

    Todavia pressinto que seja tarde para dar a volta. O PS não está unido, agora está calado à espera do desenlace do dia 4 de Outubro.

    O problema dos partidos é que quase sempre elegem um líder mas cobram esse apoio.
    Por outro lado esquecem-se que são eleitos pelo povo e não por militantes.
    Abraço ,

    Joaquim Jorge

    ResponderEliminar
  2. Olá Mário Russo.

    O que está acontecendo com Costa, não é só porque ele é Fraquinho, fraquinho...!
    O maior problema de Costa, é o PS, no seu todo.
    O Costa, está ligado pelo cordão umbilical, a um partido que deixou como herança, um país com uma austeridade pesada para resolver, e que colocou ao serviço do país, um psicopata que levou o país ao caos que tivemos levando todo o "ouro", e que vai durar muito tempo para endireitar; isto se alguma dia aparecer alguém com força e capacidade para o fazer...!
    O problema de Costa..., não é só o que a outra parte do PS está fazendo; até porque..., como diz o Joaquim Jorge, quem vota e dá ou não a vitória..., são os eleitores, e não os pequenos abutres que por lá andam esperando pelos restos das sobras ...!
    E..., o maior problema de Costa, é que foi o PS quem em 4 décadas nos deixa por três vezes no caos.
    E que, se for a fazer todas as patetices que diz ou que deixam de ser promessas e passam a previsões ou outra charada qualquer que naquele dia lhe saia pela boca..., teremos outra vez um caos em breve...!
    E, como as pessoas, embora muito devagar, já estão com os olhos mais abertos, já não vão tão facilmente nessas baboseiras......!
    Esse é que é o verdadeiro problema de Costa.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  3. Olá Hercília.

    Sim, um problema de Costa é ter uma ala do PS que se conhece. Mas não podemos confundir a nuvem por Juno.

    Agora apelidá-lo de fraquinho é já da sua lavra. Ele não é fraquinho só porque você quer que ele seja.
    Até porque tem obra feita.

    O PS que fala era liderado por outros. Não por Costa. E nisso não podemos confundir. Não é a mesma coisa. Costa não tem de ser refém do passado. Mas é verdade que tem de endireitar muitos dos que gravitam por ali e não passam de escumalha.

    Quanto a seriedade não vamos falar. Quando a roubalheiras que deixaram o país no que está não vale a pena atirar para um lado só. A não ser que queira juntar no mesmo saco: Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Duarte Lima e depois juntar Pedro Passos Coelho, porque ele é do PSD?.

    Quem é mesmo fraquinho é o senhor que é PM de Portugal. Ele não sabe mais do que o que tem feito e que mostra o quão fraquito é. Apenas tem a sorte pelo seu lado, num país medíocre, de gentes incultas, em termos gerais.

    A ver vamos.
    Abraço
    MR



    ResponderEliminar
  4. Olá Mário Russo!

    António Barreto é um homem e cidadão que muito admiro; e que também neste Clube, já nos proporcionou uma das muitas grandes noites deste Clube. É, quanto a mim..., um Homem que não é de direita nem de esquerda, mas sim..., um Homem ás DIREITAS.
    António Barreto, dá hoje uma excelente entrevista ao jornal "SOL", onde entre muitas coisas que diz, critica também, e bem..., algumas medidas do actual governo, disse as seguintes frases, com as quais eu concordo totalmente e assinaria por baixo:

    " O PS, não teria feito muito diferente do governo"
    Claro..., e alguém tem dúvidas...!? Eu não...

    " Sem a assistência da Troika, estávamos na desgraça total"
    Evidentemente, E quem foi que causou a vinda da Troika? O PS.

    "Estou mais à direita do que era há 30 anos"
    Eu também, e cada vez mais....

    Um abraço, e tenha um bom fim de semana.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar