21/06/2015

Grécia: inconsciência ou incompetência de Passos Coelho?



A Grécia foi o colosso a quem o ocidente deve a civilização que conhecemos e os valores que partilhamos. O conhecimento dos sábios dominava todos os campos da vida grega e espalhou-se até hoje. Sócrates, Platão e Aristóteles foram escolas cujo pensamento perdura. A democracia nasceu na Grécia. A ética, a deontologia e a moral eram valores profundos na Grécia antiga. O império grego só foi possível porque a Grécia possuía a força da organização e a excelência das suas gentes. Pergunta-se, por isso, como é que chegou ao estado em que está, devido à corrupção, roubo, fraudes, sonegações aos impostos como valor cultivado pelos oligarcas, etc. etc.
Bem, é que de 1453 a 1821 a Grécia foi colonizada por um povo cujos valores eram antípodas do dos Gregos, que foi a colonização otomana turca. Em cerca de 400 anos desbarataram o que em milénios foi construído. Os valores foram ao charco. Fazer uma trafulhice é um valor moral elevado. Enganar o parceiro é fixe.
Entre outros, é esse desconhecimento da história que os incultos senhores feudais que nos governam não sabem, e querem impor ao novo governo helénico que endireite em pouco tempo o que foi desbaratado e destruído em 4 séculos.
A Tróika, à cabeça o FMI (Frente de Malfeitores Internacionais) pretendem sadicamente cortar salários, pensões e prestações sociais, atingindo o coração do povo Grego e a sua baixa estima, perpetuando a pobreza. O dinheiro que tem sido canalizado para a Grécia vai direitinho para os cofres dos bancos alemães e franceses. Alemães que tiveram após a 2ª Guerra, um perdão de 50% da sua dívida e o restante pago com base na indexação dos resultados das exportações, coisa proposta por Ianis Varoufaquis e negada pelos ministros das finanças comandados pelo inculto e insensível ministro holandês de direita, para quem a punição é a melhor medida.   
A imprensa tem deturpado a seu bel-prazer, ou por encomenda, as propostas realistas que o Governo de Atenas tem posto na mesa. Pedem tempo para as reformas poderem ser implementadas e ajuda na sua formulação (combate á corrupção, evasão fiscal, etc). Reiteradamente Paul Krugman vem apoiando uma flexibilização realista, tal como Stiglitz, ambos Prémios Nobel da economia. Mas é um economista de araque, o nosso PM, Passos Coelho, que surpreende ao afirmar que aconteça o que acontecer à Grécia, nada vai atingir Portugal, devido ao sólido trabalho que ele fez na consolidação e no abarrotar do cofre.
Se até a Chefe da Reserva Federal dos EUA está preocupada com as consequências duma eventual crise com a saída da Grécia da zona Euro, o comportamento de Passos Coelho e da sua deslavada ministra das finanças, só pode ser entendido como inconsciência ou incompetência, misturada com fanfarronice.
Portugal está a financiar-se a preços baixos graças a Mário Draghi e PC nem sabe disso. É confrangedor ver um roto dar uma lição de moral a um esfarrapado.
Se Tsipras aceitar a política de saque da troika, é o claudicar da única estratégia que poderia dar certo, e trilhar pelo caminho do desastre. É claro que o Governo Grego já disse que tem 12 trabalhos de Hércules na frente interna, para combater as mordomias de marajás, a fuga aos impostos, às fraudes, a necessidade de modernização na administração pública, etc. Mas aceitando de cócoras as imposições dos verdugos credores, o país não vai crescer e não poderá cumprir com os compromissos que lhes são impostos.
Este claudicar é apenas uma forma de empurrar com a barriga as verdadeiras soluções de que o país necessita. Mais austeridade será o fim, e o pior é que esta Europa madrasta liderada pela insensível Merkel e um sinistro e sádico Ministro das finanças, ao humilhar o povo Grego, estarão a abrir a caixa de Pandora. É perigoso para a segurança Europeia uma Grécia fora do seu seio, à mercê de terroristas como Putin.
Passos Coelho é demasiado básico para perceber este emaranhado geoestratégico, porque mal percebe o meio em que vive, não passando de Massamá. Só que é o PM de um país de calças na mão, mas que canta a vitória de Pirro.
Mário Russo
No entanto, os líderes europeus travam um braço de ferro decisivo na próxima semana, num bailado de ópera bufa, acabando por ajustar os interesses dos Gregos aos dos malfeitores da alta finança, de modo a que a Grécia permaneça na UE, Algum bom senso da parte do parlamento Europeu fará caminho. Passos Coelho e a senhora que está no ministério das Finanças deviam estudar um pouco mais, mas a falta de berço paga-se caro e não há nada a fazer. A culpa é de quem votou e até exibe memória curta. A Grécia merece uma chance, porque a Europa não se pode dar ao luxo de esbanjar a sorte.

3 comentários:

  1. Caro Mario RUSSO. Não é a primeira vêz que a GRECIA faz face a " CAVALOS DE PAU".
    Tambem nos os portugueses, lutamos contra os " Cavalos de Pau" que nos roubaram a estima de Povos como aquele aonde Tu nasceste ANGOLA. Hoje lambemos-lhes as botas e eles continuam a sêr aquilo de que nos acusavam. COLONIZADORES.
    O FUTURO DE PORTUGAL ESTA A VISTA. LAMBER AS BOTAS DOS MANDARINS. AQUI NA SUISSA JA E O GANHA PAO DE 250.000 Portugas.
    Comentador identificado
    Equanto Te escreve estas duas palavras escuto envutante musica grêga.

    ResponderEliminar
  2. PPC em bicos de pe' quando o valor da divida da Grecia a Portugal e' 0,5% do total em divida por aquele Pais. No entanto acerrimos opositores a medidas de austeridade leves, para a Grecia, por significarem falhanco das suas proprias opcoes, de baixarem as calcas a qualquer imposicao que feita a Portugal. Mentalidade rasca esta destes governantes, armados em finos

    ResponderEliminar
  3. A salvação da Europa está numa solução global, com o perdão de 30% das dívidas soberanas, porque a finança internacional já se locupletou o suficiente, mas sobretudo e principalmente, para que se parta de uma base zero para o crescimento. Senão, vamos andar nesta sofreguidão em que os governantes estão fingindo que governam. A Europa não vai passar da cepa torta e por décadas não vai ter crescimento económico. A austeridade ainda não resolveu nada.

    Aqueles que querem uma punição para a Grécia que tirem o cavalo da chuva se pensarem que a seguir não é Portugal. Só inocentes criancinhas pensam que Portugal está preparado para uma Grécia punida e fora da UE.

    ResponderEliminar