21/04/2015

CIVA (Centro de Investigação da Vida Alheia)



1- Em Gaia, o processo de selecção de pessoal da Gaianima para a CM Gaia está a chegar ao fim. Pelo caminho a mulher de Marco António Costa desistiu de fazer a prova oral. Este processo de recrutamento é composto por um teste escrito em que teve 9,6 valores e por uma prova oral.
2 - Este processo de selecção vai ficar conhecido pelos " desistentes". O vereador Delfim Sousa propôs-se concorrer, mas desistiu logo no início, nem teste escrito fez. Provavelmente, devido às notícias menos abonatórias de alguém que está na CM Gaia e procura concorrer a um lugar do quadro dessa mesma câmara. Agora foi a mulher de Marco António Costa que desistiu mas ainda fez o teste escrito.
3- O Governo anuncia 11 novos centros de saúde a Norte. O Ministério da Saúde vai investir 13 milhões de euros na construção de novas unidades de saúde nos distritos de Aveiro, Braga e Porto. Gaia foi comtemplada e terá um novo centro de saúde em Vilar de Andorinho.
4 - A CM Gaia vai criar alternativa para evitar as portagens da A29. A Câmara vai construir uma nova estrada como alternativa à portagem da A29 para o trânsito local. É uma medida de saudar, todavia seria importante as câmaras do Grande Porto juntarem-se numa luta comum para abolir os pórticos: Gaia, Matosinhos, Maia, Valongo, Gondomar, etc. A Câmara do Porto deveria patrocinar esta luta comum, o acesso ao Porto, para muitos cidadãos que ali trabalham e a visitam pagam portagem para entrar e sair.
5 - A Frente Atlântica é uma boa ideia, mas nesta questão das portagens, como noutras, é que deveriam fazer frente ao que acham que está mal. O Open House Porto (visita gratuita dias 4 e 5 de Julho, do património arquitectónica em Matosinhos, Gaia e Porto) é interessante mas não passa disso. A Frente Atlântica deve estar aberta à confluência de outras câmaras, em problemas comuns. Haver um discurso comum em defesa das populações, aos olhos de Lisboa seria diferente e com maior peso.
6 - O cemitério de Vilar do Paraíso sofreu obras de ampliação no decurso de um acordo verbal de financiamento de 300.000€, entre o anterior Presidente da Junta, Elísio Pinho e o anterior presidente da CM Gaia, Luís Filipe Menezes.

7- O caderno de encargos foi transposto para o novo executivo da Junta de Mafamude/ Vilar do Paraíso, cujo presidente, João Paulo Correia é também deputado e presidente do clube de futebol em Oliveira do Douro.

8 - É importante que este novo executivo respeite o que foi acordado : pagar as obras de ampliação e respeitar o acordo com o dono do terreno. A ampliação do cemitério foi feita para beneficiar a população, não foi feito para tricas políticas.

9 - O dever dos políticos, quando chegam a um cargo, é respeitar os acordos feitos pelo anterior executivo. A política deve ter honra e palavra. Um cemitério é algo que diz muito às populações para cuidar dos seus entes queridos que partiram, não pode ser utilizado como arma de arremesso político. Quando se vence eleições têm-se por obrigação honrar compromissos. Se algo de ilegal existiu, denuncie-se e permita-se a quem é acusado que se defenda. De outro modo, ponha-se o cemitério velho e o novo em condições para as pessoas.

10 - A CM Gaia reduziu o endividamento total de 196,2 para 175,5 milhões de euros. Todavia o decréscimo da dívida a médio e longo prazo foi menos acentuado (de 21,3 para 16,3 milhões). O prazo médio de pagamento a fornecedores passou a ser de 82 dias. Importante reduzir a dívida e pagar-se a quem se deve dinheiro.

11 - Agora fazer um Centro Cultural de Congressos em Gaia acho despiciendo. Gaia precisa de parques de estacionamento e de outras coisas mais importantes. A mania de qualquer presidente de Câmara, em seu mandato, fazer uma "obra de encher o olho". Estou cansado de megalomanias. Gaia precisa urgentemente de ter melhor mobilidade. A urgência de parques de estacionamento acessíveis e para os cidadãos de Gaia.

12- Lamento que este executivo, na sua ordem de prioridades não esteja melhorar a qualidade de vida dos cidadãos no seu dia-a-dia. O estacionamento em Gaia é caro e escasso.

13- Estou cansado de políticos que fazem obras de fachada. Antigamente em cada localidade, o seu presidente queria ter o seu pavilhão, a sua piscina, as suas rotundas, eu sei lá que mais… Agora é um Centro de Congressos. Aqui tão perto já existe Alfândega do Porto, Pavilhão Rosa Mota, Europarque e a Exponor são espaços que podem acolher congressos.

14 - Uma Câmara tão endividada como está a CM Gaia deve utilizar os fundos do quadro comunitário para outros fins. Lamento, mas mais uma vez discordo da política seguida por esta câmara. Quando não há dinheiro deve-se separar o essencial do acessório. Eu gosto de música, de cultura, de corridas, etc. Todavia gosto mais de ter onde estacionar o meu carro, não pagar portagens, zonas verdes, mais qualidade de vida na zona onde resido, etc.

JJ

*artigo de opinião publicado no jornal Audiência

Sem comentários:

Enviar um comentário