20/02/2015

GAIA continua…




Logo que o novo executivo socialista tomou posse fui apologista que se deveria fazer uma sindicância à CM Gaia, tendo em conta as dúvidas suscitadas pelo PS e rumores de determinadas situações. Li em notícias e fui informado que não havia dinheiro para o fazer! Nunca entendi muito bem como há dinheiro para festivais e motonáutica, e não há dinheiro para se saber em que pé está a situação económica da CM Gaia. Seria importante para apurar responsabilidades e traçar um plano de reescalonamento da dívida da CM Gaia.

As notícias sobre dívidas têm saído por conta-gotas e por vezes repetidas, o que é muito mau para a imagem do executivo.

Há um erro de casting na forma de abordar este intricado problema. Ou se procurava o apoio de Luís Filipe Menezes, anterior presidente, que está por dentro dos dossiers e se pedia a sua opinião avalizada na solução deste imbróglio, ou partia-se para outra solução assumindo a ruptura com todas as consequências que daí podiam advir.

Não se fez isso, ficou-se como o tolo no meio da ponte, não se sabendo para que lado ir. Porventura esta indefinição tem a ver que o PS foi oposição durante muitos anos estando por dentro de tudo que se estava a passar e Eduardo Vítor Rodrigues esteve como vereador da oposição em vários executivos assumindo nos últimos anos a liderança da oposição, quando o candidato do PS à liderança da CM Gaia, Joaquim Couto abdicou.

Por outro lado, no actual executivo da CM Gaia, para além de cinco vereadores do PS, há um vereador do PSD e três vereadores independentes de Guilherme Aguiar. É complicado dizer-se mal de quem se tem na nossa casa. Guilherme Aguiar fez parte da administração da Gaianima e de anteriores executivos, o PSD esteve à frente dos destinos da Câmara durante dezasseis anos.

Uma Câmara é uma instituição que exige continuidade e um trabalho a longo prazo, não é por se mudar o seu presidente que as coisas se devem mudar todas. A relação entre Luís Filipe Menezes (LFM) e Eduardo Vítor Rodrigues sempre foi aparentemente boa, pelo menos institucionalmente era isso que transparecia, havendo elogios mútuos chegando o actual presidente a estar presente no aniversário dos 60 anos de LFM.
Compreendo e até aceito que se procurasse uma transição com elevação e respeito pelo que foi feito anteriormente. Mas custa-me aceitar este rol de notícias sobre as dívidas da Câmara, parece que se está a queimar em lume brando LFM. Foi notícia, por estes dias, que foi indeferida no Supremo Tribunal Administrativo uma reclamação da CM Gaia sobre a VL9 (o proprietário dos terrenos pede 27 milhões de euros de indemnização). Não esquecer que para além deste processo há o da CIMPOR que pede uma indemnização avultada, para não falar da Gaianima.

Não seria de bom-tom procurar resolver estes processos de uma forma diplomática e nos bastidores, sem alarido, para se tentar chegar a acordo com os intervenientes e a CM Gaia? Em vez de constantemente saírem notícias que só degradam a imagem da CM Gaia e dos próprios gaienses, no qual me incluo. Já chega de andar a fazer sempre queixinhas públicas que o Menezes é isto e é aquilo. Todos nós já sabemos que há que pagar as dívidas de indemnização, mas já é tempo de se arranjar uma solução para o problema e apresentá-la publicamente aos gaienses.

Luís Filipe Menezes cometeu erros mas não é um herege, fez muito por Gaia e colocou Gaia no mapa. Cometeu alguns exageros e fez obras que poderiam ter sido feitas de outro modo, mas verdade seja dita, Gaia antes de Menezes era uns arrabaldes do Porto. Agora é uma cidade moderna e com vida própria.

Por outro lado, todos sabemos se Luís Filipe Menezes pudesse concorrer à CM Gaia vencia sem apelo nem agravo. Pela limitação de mandatos não o pôde fazer e tentou a aventura do Porto que lhe saiu furada.
Menezes foi perito em fazer muitos "amigos" que só o eram para ter lugares e benesses. Na primeira oportunidade traíram-no esquecendo-se de tudo que lhes deu. Nessa gente não existe a palavra reconhecimento e solidariedade.
Há já quem anseie e tenha saudades de Luís Filipe Menezes. Mas para isso se verificar tem que resolver os seus problemas com alegadas irregularidades judiciais e depois construir um novo projecto com outro tipo de pessoas e de companhias.

JJ
*artigo publicado no jornal Audiência 

4 comentários:

  1. No 9º parágrago tem um GRANDE pontapé na gramática: NÃO É "SEM APELO NEM AGRADO" - mas SIM - "SEM APELO NEM AGRAVO" - escrever é para quem sabe...

    ResponderEliminar
  2. ADOREI LER...!

    " A 12 de Fevereiro, num voo TAP Bruxelas- Lisboa, Maria Luís Albuquerque, Ministra das Finanças e dois assessores , acomodaram-se na classe económica do Airbus quase cheio.
    Enquanto A Costa e Presidente da C M de Lisboa ( como bom socialista que se preze...) acomodou-se em executiva!"

    O que quer dizer..., que quando chegar a P M, só vai querer viajar em jacto privado!
    É que, como disse Francisco Assis: " qualquer dia, ainda vão querer que andemos de Renault Clio!?"

    Se fosse o contrário: Costa em económica e M Luís em executiva..., seria notícia de abertura de telejornal!
    Pois é..., mas a mim não me surpreende nada disto; simplesmente acentua a minha opinião sobre os socialistas e o socialismo.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que nós saibamos TRÊS passageiros (MLA+ 2 assessores) em classe económica vem custando mais que UM passageiro (AC/CML) em classe executiva.
      Pois é..., mas a mim não me surpreende nada disto; simplesmente acentua a minha opinião sobre a DIREITA RADICAL da Dª Hercília e o CdP.

      Eliminar
  3. Neste espaço aberto a quem quiser as pessoas emitem a sua opinião e só as vincula a elas. Escrevem e assinam...
    O Clube não é radical antes pelo contrário é tolerante até com gente que se levanta bem cedo e faz comentários às 6h da manhã .

    A Hercília é uma mais-valia do Clube . Quem dera ao Clube ter muitas Hercílias. SEmpre pronta ajudar e a perceber o conceito clube.

    ResponderEliminar