27/01/2015

Recado de Passos Coelho à Grécia



Mário Russo
Após a vitória do Syriza na Grécia, apressaram-se os do costume a tecer as mais diversas opiniões e enviar recados via imprensa, em tom ameaçador. As Bolsas portaram-se mais calmas e racionais que os senhores da UE e do FMI, bem como vários Ministros de países da UE.
A Grécia manifestou-se livremente a favor de uma alternativa ao desastre em que se encontra, onde a TROIKA assassinou a classe média. Professores catedráticos que conheço, de alto gabarito, não conseguem viver dignamente. É dos livros que quando um país esmaga a classe média, que há revoluções violentas e guerra. Sempre que no passado se experimentou estas situações houve Revoluções. Os Gregos, apesar dos distúrbios de revolta, não fizeram o que tradicionalmente é uma Revolução com armas, mas pelo voto.
O Syriza, pese embora o seu plano de governo merecer reparos, é o único que representa a esperança. O que o seu líder reivindica é em termos gerais justo, porque é a única forma do povo Grego poder pagar uma dívida astronómica, passível de ser paga em cerca de 2 séculos, como perfeitamente desenhado pela Tróika assassina. Afinal quem empresta irresponsavelmente não tem também deveres?
Alexis Tsipras leu o pulsar da rua e ganhou as eleições e vai impor uma dura luta aos burocratas e sádicos políticos de Bruxelas e vaticino que a Europa vai mudar. Um país improvável a ditar a mudança necessária a uma Europa unida no saque. Uma Europa que empresta a quase zero porcento a bancos privados que emprestam aos governos dos países com spreads de 5%. São as regras abençoadas por PPC.
PPC quis sempre ir mais além da Tróika, qual vampiro a jorrar sangue da vítima. Agora debita recados à Grécia, dizendo que o novo governo tem de cumprir as regras. Regras são para cumprir, diz com seu ar salazarento.
Claro que são, mas ditadas por quem? Pelos verdugos? Essas é que valem? Pois bem, o povo é quem mais ordena, ditou a Grécia, que nos ensinou mais sobre democracia, porque é a pátria dos sábios da antiguidade.
A loucura sonhada por Alexis é a sanidade que falta aos senhores poderosos da UE e do FMI, de cócoras para a Alemanha merkeliana. É a sabedoria de quem vê o que PPC não percebe. Ajustar os pagamentos (e por isso os sacrifícios) à capacidade do povo e do país.
PPC vai engolir o que vomitou, bem como os senhores aperaltados de Bruxelas e do FMI. Quero ver se expulsam a Grécia, como ameaçaram antes das eleições, numa manifestação de coronelismo infame.
Viva o Povo Grego e boa sorte é o que lhes desejo. Pelo menos têm um governo que se comove com o seu sofrimento atroz e vai lutar como ninguém o fez antes por vencer o inimigo.
Até Paul Krugman, Prémio Nobel da Economia, afirma que o líder do Syriza é mais realista que os estúpidos lideres da UE e FMI que desenharam um plano perfeito, mas ao contrário.

Sem comentários:

Enviar um comentário