29/12/2014

CRÓNICA DE GENEBRA



Nelson Magalhães Fernandes
ACREDITAR OU NÃO, EIS A QUESTÃO...!
CRISTO...?   NÃO O VI...!    E "GRAPHÈNE"...?    NÃO O VEJO...!

E portanto, tanto eles como eu e você, caro leitor que me lê, fomos todos beber do mesmo elemento de base, de cuja matéria somos constituídos.
Os crentes chamam a esse elemento de base DEUS. Evidentemente com as variantes que vós outros conheceis e em constante evolução, pois então, porque não...!!!
Sendo que os elementos físicos que compõem tudo o que existe no universo conhecido, são 98 para mim DEUS será o cem por cento da Matéria, mais a Anti-matéria e ainda o sobrenatural...!
Para ficar-mos mais terra a terra eu definiria o sobrenatural, por realidades como; o ar, o gás a electricidade, as radiações, as ondas cartesianas, a lua nova, a velocidade da terra à volta do sol, sei lá...!
Em tempos idos as " Rainhas" eram rainhas e senhoras nas colmeias. Assim; lá e só lá, faziam a lei e pregavam a sua maléfica religião...!
Quanto ao reino humanoide salvo algumas raras excepções, e a acreditar ou não, na existência dos Austrolopitécos, desde eles,...! O FILHO de DEUS, Era, Foi  e É um Homem.
CRISTO. MAOMÉ. BUDA.DALAI LAMA...!
Muito embora a Índia tenha uma CRISHNA é mais uma espécie de Hidra com muitos, peitos, braços e cabeças. Convenhamos que é, tanto mais para aqueles lados, mais uma Mãe, capaz de se ocupar e aleitar muitos filhos ao mesmo tempo...!
Nem é de admirar. Naquelas paragens, o DEUS é uma vaca que já de si possui quatro tetas...!
Mas como pode alguém hoje, No dia do Solstício do Inverno do Ano de Nosso Senhor de 2014 acreditar no Natal, em CRISTO, ALÁ, BUDA OU JEOVÁ, quando em recantos da terra como a velha ALBION, as mulheres são ordenadas Bispos e os homens viram pinguins imperadores.
Pela minha parte, confesso-vos que acredito e vou continuar a acreditar no Natal e que o Cristo nasceu nesta época do ano.
Reza a Historia e penso que não vamos meter a existência do Rei Herodes em questão, que o Cristo foi nascer num estábulo de animais e aquecido com o bafo dos mesmos. Logo fazia frio.
Sendo que para aqueles lados da Palestina e ficando NAZARÉ, mais ou menos na mesma Latitude ( 32°43' ) da Ilha do Rei Alberto João, ( 32° 38'), frio só poderia ser nesta época.
Eu continuo a acreditar naqueles Natais de vão lá sessenta anos, em que o meu Pai ia apanhar umas pinhas nuns pinheiros mansos lá da vizinhança, metia-as para as abrir, no forno, depois da minha Mãe ter tirado a broa e na noite de Natal de pois da Ceia, ficava-mos a aquecer-mos ao CEPO DE NATAL e a jogar com uma piora de quatro faces ao rapa-tira-põe-deixa. R.T.P.D.
Ai...!!! quantos milhões de crianças, neste NATAL de 2014, seriam tão felizes, se tivessem uma MÃE a servir-lhes umas simples " RABANADAS" e um PAI  a entrar em casa com um imenso CEPO para colocar na Lareira, afim de dar calor à casa e aos corações e um bolso  cheio de pinhões para jogar ao rapa................................!
Num mundo, em que os homens não o são mais, perderam a "Palavra de Honra", na qual o mais comum dos mortais poderia acreditar...!
Resta-nos acreditar no Natal, num Cristo que nasce todos os anos, já lá vão 2000.
Quanto a nós, salvo aqueles que CAMÕES tão bem ilustra, morremos para nunca mais nascer.

1 comentário:

  1. Texto muo interessante. Parabéns!
    Eu, o que lamento muito sinceramente, é que o Menino Jesus tenha sido" derrotado" pelo Pai Natal...!
    Hoje em dia, é quase proibido falar nele. Por isso, e não só..., o Natal tornou-se no consumismo que temos. Lamento.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar