07/12/2014

Crónica de Genebra




Nelson Magalhães Fernandes
E DE REPENTE PORTUGAL É EXCELENTE...!
Aquando da próxima-passada crise financeira, a Comunicação Social Internacional não falava noutra coisa que do miserável Portugal, que iria ser, (a seguir à Grécia), o cliente seguinte do "Hipermercado Europa" a não ter dinheiro para ir fazer compras...!
Agora, de repente, a dita-cuja C.S.Internacional não se cansa de dar Portugal, como o exemplo a seguir, na não Imposição Tributaria a todo o Estrangeiro que:
1°- Venha viver o resto dos seus dias e consumir a miserável ou choruda reforma no Jardim Camoniano...!
2°- Que aí invista ou deposite, as suas dezenas de milhar de milhões de Dólares ou Euros " de economias ...!"
Vou fazer referência a duas C.S.I.
1°- A Suiça que vêm de passar por mais uma " Democraciada Directa", quanto as "Benesses Fiscais" oferecidas aos "RIQUÍSSIMOS INTERNACIONAIS" que aqui habitam e fazem girar a "RODA".
Aqui, na Suiça, nos "debates preliminares" ( uma espécie de palpação sexual), chegou-se mesmo a temer que, no caso de que, a " Democraciada" fosse de Índole "François Hollande", os riquíssimos internacionais fossem assentar arraiais num qualquer " Bairro de Lata Em Portugal"...!
2°- A C.S.I. Francesa entrevistava um famoso líder Político Francês, na " France 24 " o qual declarava para meu espanto ( sabendo eu que, desde a DERROTA DE JUNOT NO BUÇACO os franceses têm um sapo português, atravessado na garganta ), que a França precisava copiar pelo método português, " de Pesca aos ricos " para sair da crise, em vez e lugar de TAXAR os seus mestiços de origem duvidosa...!
Isto é demais, por algumas razões que eu vou procurar explicar aos meus Queridos Leitores.
a) - A ideia de que nós somos um povo acolhedor é uma Blasfémia: ´Nós os portugueses somos um povo racista. A prova é que tanto aí, como no estrangeiro, temos comportamentos com os nossos compatriotas ao limite do canibalismo. Só não nos comemos uns aos outros porque as leis dos países aonde vivemos não o permitem, mas o modo como tratamos com os outros Lusos não está muito longe.
Não há outra raça como nós tão invejosa do seu semelhante.
E aí em Portugal é a mesma coisa. E tudo muito lindo enquanto um estrangeiro vem de férias à Aldeia e paga uns copos à populaça. A coisa muda de figura no dia em que o estrangeiro se queira instalar.
La para os lados do meu Viseu um casal inglês, comprou um casario e terreno que estava a venda junto da igreja da aldeia. ( No caso em epigrafe, o PASSAL ).
O Passal vendido a Anglicanos Protestantes Ingleses...?
Acontece que, o relógio da Igreja tocava a Avé Maria todos os 15m. Demasiado, para os
recém-chegados forasteiros que se dirigiram ao Pároco que este desliga-se o martelo...! "relutante" o homem de Deus, lá aceitou desligar o relógio...!
Na noite seguinte os Ingleses dormiram como " Católicos Anjos"...! O problema foi que, a "AVÉ MARIA fosse ela protestante" os habitantes da aldeia e arredores, sem Ela não pregaram olho...!
A cena repetiu-se até que os " Aldeãos " descobriram a marosca. Reuniram-se tocaram o Sino, não com a Avé Maria, mas a rebate e ou os ingleses e o pároco davam o fora, o que foi o caso, ou penduravam-nos na torre...!
 Caríssimos decidores da ideia de acolher em Portugal os excedentes dos humanóides em fim de ciclo. A ideia é boa, aplaudo-vos efusivamente. Pena não tenhais pensado nas fundações...! Sim, porque todo o edifício sólido precisa de fundações. Quanto aos humanóides em fim de ciclo deslocam-se( por vezes acompanhados dos seus rebentos de 2° geração) para espaços aonde lhes possam garantir a segurança física e moral que é o caso aqui da Suissa. No estado actual, cada recanto de Portugal é uma potencial "Aldeia da luz"...!
 Quanto aos segundos, ainda que comprem tudo " porque possuem economias " suficientes para o fazer...! levam exércitos de seguranças a protegê-los e claro não vão fazer despesa, junto do comum dos mortais comerciantes portugueses.
Contudo, o grosso da maquia, vai sempre para as ilhas Caimão, cujos cofres se encontram em espaço marinho, logo só acessíveis por via submarina...!
Caríssimos leitores,o problema de Portugal é anterior à sua Fundação. A Península Ibérica foi invadida e colonizada ao longo dos últimos milénios por variadíssimas civilizações das quais destaco algumas, que me impingiram: Celtas, Suevos, Visigodos, Tatares ?, Humos, Celtiberos e Vândalos ...!
Todos se foram, salvo uns, que foram decididamente para ficar; OS VÂNDALOS.

Crónica de Genebra, de Nelson Magalhães Fernandes, empresário, é mais uma crónica de alguém que segue o Clube e passará a dar a sua opinião como vê as coisas a partir da Suíça. 


Sem comentários:

Enviar um comentário