19/11/2014

Vistos Gold dão prisão




A justiça portuguesa tendo à frente Paula Teixeira da Cruz começa a funcionar e mostra que quer punir os prevaricadores. 

O presidente do Instituto dos Registos e Notariado (IRN), António Figueiredo, e o empresário chinês Zhu Xiaodong ficam em prisão preventiva sem possibilidade de prisão domiciliária.Ao director do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Manuel Jarmela Palos, e à secretária-geral do Ministério da Justiça, Maria Antónia Anes, que entretanto pediu a demissão, foi decretada a medida de coacção de prisão preventiva, mas convertível em prisão domiciliária. Nas mesmas condições está o empresário Jaime Gomes.

Zhu Baoe e Xia Baoliang ficam proibidos de sair de Portugal e obrigados ao pagamento de uma caução de 250 mil euros e 500 mil euros, respectivamente.

Aos arguidos Paulo Eliseu, Paulo Vieira, José Manuel Gonçalves e Abílio Silva foi determinada a suspensão de funções nos serviços centrais do IRN. Ficam também proibidos de contactar com funcionários dos serviços centrais do Instituto dos Registos e Notariado.

É importante a policia ter meios e condições para exercer as suas funções independente do poder político. Não me posso esquecer que um dos detidos trabalhava no Ministério da Justiça . Isto prova que a erradicação da corrupção é difícil e muito complicada. Denota que a corrupção começa logo no local de quem pretende acabar com ela ( Ministra da Justiça).


É uma luta tenaz, hercúlea e com muitos espinhos. Mas tem que ir para a frente, os cidadãos estão atentos e à espera que a culpa não fique solteira e todas as questões processuais e a possibilidade de ter bons advogados não permita que tudo fique impune.

Deste modo as  suspeitas de crimes de corrupção activa e passiva, recebimento indevido de vantagem, prevaricação, peculato de uso, abuso de poder e tráfico de influências na atribuição de vistos "gold" a cidadãos estrangeiros sejam punidas exemplarmente.

No futuro quem tentar cometer este tipo de delitos pensa duas vezes e os cidadãos portugueses ficam descansados que há gente que cumpre o seu dever de evitar tais situações.

JJ

2 comentários:

  1. Grave..., mas muito mais grave que a corrupção, é a IMPUNIDADE
    que a alimenta e a faz desenvolver, ao ponto de destruir tudo de que uma sociedade
    justa e realmente desenvolvida merece.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Caro JJ, tens razão. De facto é um BOM princípio num Estado de Direito saber que não existe a Impunidade. Mas é apenas um caso no meio do turbilhão BES.
    O que se vai sabendo o que o Ali Babá Ricardo Salgado e os 40 fizeram ao longo de anos demonstra a total falência deste capitalismo de casino acobertado pelo poder político prostrado de cócoras diante dos poderosos homens das finanças.

    Mário Russo

    ResponderEliminar