15/11/2014

Costa ao ataque





António Costa desafiou, hoje o governo a aceitar no OE 2015 as suas propostas.

As propostas apontam, designadamente, para o prolongamento por mais seis meses do subsídio social de desemprego, para a redução da taxa do IVA para a restauração, para o aumento "bastante acima da inflação" do abono de família, para uma majoração especial de 15% neste abono para as famílias monoparentais e para o restabelecimento do passe escolar.A introdução de uma cláusula de salvaguarda no IMI para que este imposto não possa aumentar mais de 75 euros por ano, e a suspensão das penhoras das casas das famílias em execuções fiscais são as medidas propostas pelo PS para garantir o direito à habitação.
Propostas que qualquer comum dos cidadãos apoia. 
Todavia porque é que a coligação PSD/CDS não as fez e não as aceita?
Por questão política ou desequilibra o Orçamento do Estado? Aumenta a despesa e diminui a receita mas são propostas exequíveis , sensatas e o mais importante - humanas. 
Sou a favor do apoio ao emprego, combate à pobreza e apoio à habitação.
Podem ser propostas a cheirar a eleições, mas colhem na opinião pública. É necessário separar o trigo do joio e há tantas coisas do Estado que se pode poupar sem ser tirar a quem menos tem e pode.

JJ

1 comentário:

  1. Estou morta..., mortinha pra ver este Costa no governo!
    Já que vai ser o "Salvador"..., que venha logo!
    Este país aguenta com tudo, e mansinho, mansinho...

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar