08/07/2014

Mundial de futebol



Tivemos uns dias de descanso, mas já hoje temos um embate entre o Brasil e a Alemanha, uma meia-final que poderia ser muito bem uma final.

Este Mundial que a nível de organização deixa muito a desejar, veja-se a queda da plataforma em Belo Horizonte em que pelo menos duas pessoas morreram e 19 ficaram feridas. Por este viaduto passavam os autocarros das selecções. Imagine-se que isso acontecia num momento desses. Seria o fim e teria um impacto enorme e muito negativo.
Este Mundial demonstra que as diferenças entre selecções estão esbatidas e há muita igualdade e tácticas similares. Grande parte dos jogadores joga em equipas da Europa. Não há nada para descobrir, actualmentte no futebol, já está tudo descoberto, a não ser a mudança de guarda-redes na Holanda no fim do jogo com a Costa Rica que surpreendeu tudo e todos. Louis Van Gall tirou o guarda-redes do jogo Jasper Cillessen e meteu um especialista, Tim Krul para procurar parar alguns penáltis. E foi o que aconteceu para gáudio dos holandeses.

Por outro lado, demonstra que um jogador com 30 anos não é velho. Arjen Robben tem demonstrado ser o melhor jogador deste torneio, com uma rapidez extraordinária e decisiva em todos os jogos, começando por arrumar a Espanha e assim sucessivamente. Sendo determinante.

O Brasil equipa anfitriã tem sido levado às costas pelos árbitros, o que não é alheio, uma precoce eliminação poderia levar a grandes manifestações de descontentamento pelo dinheiro gasto em futebol, e não, em áreas sociais como escolas, saúde, mobilidade, etc..
O jogo de hoje entre Brasil e Alemanha se não houver interferência do árbitro, a Alemanha poderá muito bem eliminar os brasileiros, sem Neymar e a auréola de outros tempos.

Na quarta-feira aguardo um jogo fantástico que tem como ingrediente a forma como os argentinos irão parar Robben. Messi não tem estado bem apesar de ter uma equipa que joga para ele. A lesão de Di Maria que tem sido um jogador muito importante na manobra da equipa vai fazer mossa.
Robben é dos poucos jogadores que deixou uma equipa de José Mourinho, na altura o Chelsea e consegue singrar ao mais alto nível.

Gostava que vencesse a Holanda, não sou hipócrita ao ponto de ser pelos brasileiros. Muitas vezes em confrontos de Portugal os brasileiros são contra nós. Recordo-me num jogo no mundial de hóquei patins, na América do Sul, Portugal- Argentina, a maioria dos brasileiros apoiaram os argentinos.

Eu sou europeu e serei pela Holanda, equipa que gosto de ver jogar e joga para a frente. Que me desculpem os meus amigos brasileiros.

JJ

Sem comentários:

Enviar um comentário