25/07/2014

BES ( Bem Esquivaste Salgado)





O que se passa no BES, faz-me ter uma sensação esquisita, de instabilidade e de que estamos sempre a ser levados, a qualquer hora e a qualquer momento.
Isto é o que sabemos pelas noticias. E o que  não sabemos? E o que serão casos como este ou semelhantes que nunca virão ao conhecimento da opinião pública?
A banca não tem ponta por onde se lhe pegue. Foi o BPN, BPP, BCP, e agora o BES. Para já ficou de fora a CGD, mas não vamos perder pela demora.
O que dizer, um cidadão honesto, honrado, sério que paga regularmente os seus impostos todos os meses fruto do seu trabalho e olhar para tudo isto? A resposta é simples : "Que ninguém se safa, Portugal foi e é em parte comandado por um bando de vigaristas. Descrédito de tudo e de todos. Falta de confiança e desconfiança de todos que estão no poder ou que ascendem ao poder.
Não quero saber pormenores do BES e de outros casos que se têm passado em Portugal . Tenho medo e receio de ficar como eles...
Acredito que há gente séria ,honrada e honesta  mas contam-se pelos dedos e a maioria nunca teve acesso ao poder nem quer. Não duvido que muitos que ascendem ao poder ou têm poder é gente boa e honesta mas torna-se com o tempo, não recomendável e mete o pé na poça ficando deslumbrada.
O que se passa em Portugal é uma roda-viva de casos e mais casos que levam ao absoluto descrédito e depreciação da vida pública. Mas a privada não lhe fica atrás com as suas constantes fugas aos impostos e a vincada e predominante economia paralela.
Os portugueses não sabem para onde se onde virar! Portugal não é um país recomendável para viver e é muito mal frequentado, imperam os corruptos.
Um cidadão pela posição privilegiada que tem, não pode praticar: burla; abuso de confiança; falsificação; branqueamento de capitais. Foi o que fez Ricardo Salgado.
Portugal tem má fama, é mal frequentado e é um local com gente de má índole. Os portugueses deveriam ter um código de ética e de conduta .
 Este pais é histriónico e conhecido pelas piores razões. A corrupção está generalizada.
Ser honesto neste país , a vida é filha da mãe. Ser honesto neste país, neste mundo corrupto é para totós e tansos. Devemos comportar-nos honestamente em todas as coisas como diz Hebreus. Todavia ver alguém  a ser corrupto a corromper e a enriquecer de forma ilícita de uma forma desmesurada e quem é honesto com uma vida digna, humilde e com dificuldades todos os dias, não é fácil.

 Por isso digo que neste país ser honesto é uma anormalidade e é muito difícil resistir à influência da corrupção.  Ver os corruptos a enriquecer a terem uma vida boa e nada lhes acontecer ao contrário de quem é honesto e incorruptível

E a pior coisa que  acontece é a percepção dos cidadãos que não adianta nada combater a corrupção, os corruptos andam à solta e cheios de dinheiro pelo que fazem ilegalmente.

O BES poderia querer dizer  ( Bem te Esquivaste Salgado) em que Ricardo Salgado foi o banqueiro mais influente do país nos últimos 15 anos e agora é suspeito de crimes graves  e provavelmente é o fim do Grupo Espírito Santo.

Mas tudo ficará para as calendas do indecifrável e sem culpados na justiça.

JJ

3 comentários:

  1. Agora, como este ABUTRE já não está ao comando, fizeram este teatro todo. Mas, se estivesse a coisa seria diferente; e a prova, foi a liberdade que teve enquanto chefe, para fazer tudo o que fez. Todos lhe prestavam vassalagem porque "comiam" com ele no mesmo prato!
    E o pior que lhe poderá acontecer..., é ficar para sempre em casa como o outro, regalado da vida!
    Vamos a uma aposta em como não passa disto...!?

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Ricardo E.S. Salgado não fez este "bordel" todo sozinho. É bom que aquele "estar a colaborar com a Justiça" atirado Urbi et Orbi pelo filhinho de um dos advogados mais mafiosos de Portugal e que representa o ex-DDT (dono disto tudo) queira dizer isso mesmo: o velho banqueiro irá fazer um powerpoint ao MP de todo o aparelho que permitiu sacar valores da economia portuguesa que foram adquiridos ilegitimamente, depois lavados no estrangeiro e re-injectados na economia nacional como no caso Monte Branco; os dinheiros em contas "negras" de certo partido político que parece ter meios ilimitados de se financiar, está neste momento na oposição e é dominado por gente de aventais muito bonitos; as relações entre o grande capital europeu e nacional e determinada sociedade secreta com os tais aventais e uma outra cujos membros usam cilícios; os pagamentos de "luvas" a responsáveis políticos de topo, autárquicos e da administração pública para a "facilitação" de projectos mobiliários e imobiliários do GES; e as restantes malfeitorias de tope que o GES proporcionou nestas últimas duas décadas, com o aval dos seus protectores em Belém e S. Bento...
    Agora, eu tenho muitas dúvidas que mesmo os caçadores de "artistas" juiz Carlos Alexandre e o procurador Rosário Teixeira tenham mãos livres para fazer com que políticos da gama alta, homens de negócios de nomeada, colegas juízes e procuradores e membros proeminentes das ordens profissionais e dos meios sindicais malhem com os ossos na Carregueira... De alguma forma os homens sombra do "sistema" já deverão estar a maquinar a forma de mudar alguma coisa para tudo continuar na mesma e isso vai passar pela tentativa de "oferecer" alguns cordeiros sacrificiais, alguma realidade alternativa dos factos ocorridos e muita ficção.
    Só espero que o powerpoint do velho banqueiro não esteja já feito e por outro alguém que não ele...

    PT

    ResponderEliminar
  3. Caro Joaquim Jorge,

    Não há dúvida que o poder não é para todos e quando aliado ao dinheiro, tem como apêndice a corrupção.
    Este Ricardo Salgado, nasceu "em berço de ouro". Se os que não nascem e quando lá chegam, perdem a noção e ficam enfeitiçados, quanto mais este Ricardinho que nunca teve o prazer e a alegria de pagar a ultima prestaçao do carro. Vivem numa esfera que dar gorjeta é rebuçados.

    O mundo da Banca e da Bolsa não é para todos.
    É um mundo à parte, mas que as regras do sistema ditam que quando corre mal é para dividir por todos. Aqui é que assusta, porque os "totos" e os "tansos" não foram ditos nem achados nos "jogos" de empréstimos e vendas a descoberto, que estes senhores que se julgam poderosos, fazem.
    Os que agora vão cair por aí aos trambolhões em consequência deste jogo sujo, têm que aguentar, até porque alguém da "classe" deles já professou "Se os sem abrigo aguentam, por que é que nós não ...!!

    "A ganância insaciável é um dos tristes fenómenos que apressam a autodestruição do homem."
    (Textos Judaicos)

    Isabel Coutinho

    ResponderEliminar