18/06/2014

A Aula Magna de Marcelo Rebelo de Sousa no Clube dos Pensadores



Marcelo Rebelo de Sousa é uma personalidade portuguesa que dispensa apresentações. Ainda assim, como é habitual, Joaquim Jorge fez uma breve súmula biográfica do convidado que fecha o ciclo de debates de 2013/14. Uma rica síntese em que enaltece a sua trajetória grandiosa e as suas qualidades e virtualidades.
Marcelo é daquelas pessoas que tem uma áurea. Antes do debate, numa sala mais que esgotada, num record de participantes, foi presenteado com um jantar de boas vindas onde algumas dezenas de membros do CdP e convidados se fizeram representar. Logo ali Marcelo revelou a sua bonomia, a sua simpatia para com os presentes. É afável, comunicador nato, bom contador de histórias, bom humor, sagaz, inteligente, refinado, crente em Deus.
Iniciou o debate dizendo que combinou com JJ tudo menos do que iria falar. Pelo que começou por fazer uma retrospetiva da sua própria vida e o que dela retirou como experiência para a posteridade. Desde os tempos da escola primária, ao liceu e universidade. Referiu que foi feliz e teve a fortuna de ter nascido no seio de uma família que lhe proporcionou uma educação esmerada, com valores. E, apesar do direito à igualdade de todos à nascença, nem todos tem essa fortuna e logo ali se estabelecem caminhos diversos para as pessoas. Umas talentosas não conseguem atingir o topo porque lhes faltou essa fortuna. Enalteceu os valores que os agentes educativos tiveram na sua educação, estando à frente a escola, a família, a igreja. Hoje, os agentes educativos são a internet e a TV, só depois vindo a escola, a família e a igreja, com reduzida influência. Tudo mudou nas últimas décadas e nem tudo para melhor, mas é o mundo em que vivemos.
Para Marcelo Rebelo de Sousa a Educação é a chave do sucesso de uma nação e a sua grande aposta (coisa que este Governo tem desinvestido, porque diz haver licenciados a mais, estranhamente…) . Aliás, a única coisa que sempre quis ser foi Professor, como é, um Catedrático da Faculdade de Direito de Lisboa, com nota final brilhante. Todos os outros cargos e até profissões que teve, foram consequência de ser Professor. Mesmo a política foi essa extensão, seja como Ministro, Secretário de Estado, líder do Partido, jornalista, comentador, etc.
Não tem obsessão de ser Presidente da República, como outros terão. Instado, mais que uma vez, a afirmar-se ou não como candidato, refugiou-se sempre que não é necessariamente o que o seu espírito analítico lhe recomenda. Apesar disso não faz a afirmação que um dia fez, antes de ser Presidente do PSD, que nem que Jesus Cristo descesse à Terra… para não morrer pela boca como o peixe. Algumas pessoas regozijaram-se por não ser candidato, porque como comentador é muito eficaz e necessário a Portugal, dado que o PR não tem poder nenhum.
Obviamente que não percebo este desejo de algumas pessoas. Penso que só é possível por desconhecimento do valor do cargo ou por confundirem que um PR terá necessariamente de ser um Cavaco Silva, uma eminência parda. Um PR, mesmo na atual Constituição Portuguesa, tem real influência sobre os destinos do país, ao passo que como comentador, pese embora as “bordoadas” contundentes que dá, de vez em quando, não deixa mossa no sistema político que vivemos.
Também recusou a ideia que é uma reserva da nação, mas no conforto do sofá. Na verdade Marcelo é um político que tem o apreço dos portugueses de um modo geral e é uma personalidade em quem confiam, exatamente ao contrário do que acontece com a generalidade da classe política cuja credibilidade é zero. O país precisa em quem possa depositar a sua confiança e ganhar auto estima e Marcelo Rebelo de Sousa poderia ser essa personalidade.
Sobre António Costa (AC) disse que o povo português vê-o com ar messiânico, ao contrário de Seguro, que é afável, mas não é líder, revelado (para quem pudesse ter dúvidas que o fosse) quando ao ser desafiado fez o teatro que se lhe conhece e atirou para setembro umas Primárias que ele sabe que os estatutos que ele blindou não o permite. JJ referiu que AC colou-se a Sócrates e que isso é fatal porque os portugueses ainda não se esqueceram desta personalidade sinistra. Marcelo acha que não terá importância, dado o caráter sebastianista dos portugueses, que vêm em AC a salvação.
Do Governo de PPC, que reconhece ser um líder teimoso (umas vezes a teimosia é uma qualidade, mas outras um defeito, que eu diria, uma burrice) que não ouve ninguém e que nunca soube gerir bem a comunicação de um conjunto de dossiers, mas nem assim o líder do PS se aproveitou desses tiros no pé que a miude PPC dava. Criticou PPC tecer comentários desapropriados quanto à forma de escolha dos juízes do TC, que é um tribunal político, pois zela pela mais política das leis, a Constituição.
Para MRS o consenso entre os Partidos seria, por exemplo, todos acordarem em que não mentiriam aos portugueses como tem acontecido. Todos os Partidos deveriam afirmar que em campanha jamais prometeriam coisas que sabiam não poder cumprir. Eu diria que este compromisso é algo elementar entre pessoas sérias, coisa que há muito os portugueses não sabem o que é da parte dos políticos, que são mentirosos. Em países onde há honra na prática política, demitiam-se antes por vergonha. Em Portugal, pelos vistos, é carreira ser mentiroso compulsivo.
Esclareceu que foi contra a Regionalização proposta em referendo, que ele como líder da oposição conseguiu impor à maioria. Ele era favorável às Regiões Plano e não à trapalhada que Guterres propôs. Vaticina que após sair da crise, o país volte a discutir o tema.
JJ mostrou-se cansado e, ao contrário do desejo das centenas de pessoas que acorreram ao debate e do próprio convidado que se disponibilizou para ficar até à uma da manhã, deu por encerrado o debate para tristeza de muitos participantes.
A classe do candidato é tão elevada que o fundador e animador do CdP disse que com este debate o Clube deveria encerrar as suas atividades porque atingiu o apogeu. Só que JJ está enganado, a cada fasquia que ultrapassa, outra se lhe coloca mais alta. O CdP faz um serviço à nação ao organizar a excelência dos debates livres e não-alinhados, que não pode se dar ao luxo de encerrar.
Mário Russo
Uma noite de estrelas a fechar com chave de ouro o ciclo de debates. Parabéns Joaquim Jorge pelo convidado que nos trouxeste para o debate. Melhor, impossível, se assim se pode dizer.



15 comentários:

  1. Amigo o teu texto está escorreito e de leitura interessante.

    Sabes porque eu estava cansado? Pudera, depois de organizar um evento desta envergadura.

    Às vezes entristece-me as pessoas que deveriam estar mais próximas de mim , mais longe estão.

    Há gente que fica desesperada e triste . Eu não deixo de ligar e ignoro-o.

    É triste depois destes anos todos as pessoas não saberem , não quererem saber, fazer de conta e falarem de tudo como isso parecesse por obra e Engrácia do Espírito Santo.

    Quem me dera ir a um debate do Clube como se fosse ao cinema ou a um evento. Chegar ter lugar reservado , de destaque , ir-me embora e esperar pelo próximo.

    Até Marcelo disse que é muito difícil fazer o que faço e nunca pensou que se mantivesse tanto tempo.

    Abraço,

    JJ

    ResponderEliminar
  2. Permita-me que discorde com esta sua frase: "Algumas pessoas regozijaram-se por não ser candidato, porque como comentador é muito eficaz e necessário a Portugal, dado que o PR não tem poder nenhum".
    Marcelo Rebelo de Sousa não confirmou se é ou não é candidato, por tal facto não pode ter havido ninguém que se tenha regozijado!!
    Marcelo Rebelo de Sousa foi de facto reconhecido e apreciado nas suas várias vertentes, que não só de comentador, não esqueçamos que além de tantas outras também faz parte do Conselho de Estado.
    Quanto aos poderes de PR "...tem como especial incumbência a de, nos termos do juramento que presta no seu ato de posse, "defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa.

    "Não me movo por cargos, mas por causas. Em cada momento da vida devo estar no sítio em que melhor posso fazer render os meus talentos e ocupar os cargos que favoreçam as causas que defendo"
    Esta frase diz muito, caro Mário Russo.

    Isabel Coutinho

    ResponderEliminar
  3. Mário Russo, depois deste seu interessante relato do que se passou no debate com Marcelo Rebelo de Sousa, vou só acrescentar a actuação do Tiago Paiva com o seu violino electrónico...! Foi um momento muito agradável e que completou um debate, mais um..., que realmente marcará este Clube.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  4. Parabéns Sr Joaquim Jorge
    Não tenho dúvidas de que tenha sido um bom debate.

    António Figueiredo

    ResponderEliminar
  5. Prezada Isabel, agradeço o seu comentário.
    Eu não digo que MRS se recusa a ser PR. Ele fugiu sempre à "provocação", inclusive a minha.
    O que afirmo é sobre pessoas que estavam na plateia e afirmaram do regozijo de o não ver a PR.
    Não retiro nada do que escrevi, porque ouvi bem e apenas salientei o que ouvi.
    Abraço
    Mário Russo

    ResponderEliminar
  6. ..."e ocupar os cargos que favorecam as causas que eu defendo".
    MRS e' um demagogo de profissao. Tem missao de entrar nas casas das pessoas todas as semanas e dizer-lhes como acatar a realidade da vida. Primeiro posiciona-se contra o governo, do seu partido. Depois, pode entao mostra as suas verdadeiras cores e convence os (imensos) ingenuos de rsta politica e' necessaria e fica sempre bem na foto. Tem um papel ridiculo na sociedade Portuguesa e so' consegue ser idolatrado, no meio de parolos, pessoas a' espera que os guiem, no meio de tanta frustracao. Infelizmente, Portugal esta' povoado de tantas figuras ocas como este MRS.
    Pedro-Liverpool

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim são os portugueses, acolhedores, de boa gastronomia;
      Novos ricos, parolos, filhos do papá, chicos espertos, carapaus de corrida, charlatães, interesseiros, invejosos, oportunistas, ingénuos, ocos, azeiteiros,....

      Isabel Coutinho

      Eliminar
    2. Ainda bem que me entende...tantas falinhas mansas e o Pais continua em direcao ao abismo.
      Pedro-Liverpool

      Eliminar
  7. Não estamos de acordo Amigo Pedro. Conheci tudo que é político,antes e após 25 de Abril, e não conheço sumidade maior que o Marcelo, mas se conhece ou conheceu alguém com melhor conhecimento da vida política ,mencione , ficava grato , repare que nem é da minha cor política ou religiosa, porque não tenho nenhuma nem uma nem outra,mas como eu não sou de elogios fáceis......
    Quanto a outros comentários, Santo Deus!!!!!!!!! Ao que chegamos...."semelhantes àqueles que pararam na rua de boca aberta olharam os que passam:.é assim que esperam e olha de boca aberta para as ideias que os outros conceberam."assim falava Zaratustra.

    José Guimarães

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Jose' Guimaraes.
      Em que favorece o Pais, ter iluminados como este comentador, a analisar o estado politico do Pais, todas as semanas? Ele fala como se fosse o unico medico, capaz de ter o remedio para os males do Pais, no entanto, nao prescreve coisa nenhuma. Continua a ver os pacientes a morrer a sua volta, no entanto, nao debita remedio nenhum. So' balelas. Um individuo tao inteligente, tao culto, tao sabedor dos assuntos de politica e nao faz nada?
      Como Portugues, MRS e' na verdade, um parasita. Vive do sangue dos outros, e nao da' nada de volta.
      Outro exemplo de Narcisismo, e' o Jose Mourinho. Ele ate' e' Embaixador de Portugal no estrangeiro. Mas, seguindo os numeros calculados e revelados, de que se Portugal ganhasse o Mundial do Brazil (ha' coisas mais importantes mas, o quanto na animaria o espirito de uma Nacao?), a economia Portuguesa beneficiaria de 600milhoes de Euros. Nao sera' esta, razao suficiente para alguem como JM, vir treinar a seleccao Portuguesa? Os milhoes que ganha no estrangeiro, na sua bem sucedida carreira, nao o deixa sacrificar nenhum dos seus ganhos milionarios, para apostar em treinar uns artolas, no seu Pais de origem, com um salario miseravel, por comparacao. Certo?
      Errado. Ele se fosse selecionador Nacional, nao estaria propriamente na miseria. Viveria muito bem, e o seu Pais ganhava um impulso moral, que nenhum governante, consegue incutir na Nacao. E' aqui que o egoismo entra. E a falta de sentido comum.
      Pedro-Liverpool

      Eliminar
  8. Caro Pedro,apraz-me registar o seu último comentário, com muito prazer, e assim nos vamos esclarecendo, depende do ponto de vista de cada um de nós, sempre com respeito pelo contraditório.
    Continuo a ter a mesma simpatia pela pessoa em questão,pela simples razão de M. R.S., sendo comentador político, não faz disso profissão nem carreira como calculo que sabe,é um professor catedrático de elevada craveira, e será porventura um dos raros funcionários públicos que vai até ao fim , isto é; até ao limite que a lei permite,coisa muito rara na função pública,quando afirma que é "um parasita"<acho um erro colossal de sua parte, a não ser que o conheça melhor do que eu, e já agora num qualquer comentário seu ou artigo, destrince o parasitismo seu,(dele),ser comentador é um extra como centenas deles em todas as televisões, só que M R S sobressai no meio da "floresta"quanto ao caso de J. M. que faz referência, já tenho menos poder de análise,vive por conta e risco , teve a estrelinha da sorte e quem quiser que o siga...desejo a melhor sorte do mundo a todos aqueles sobem "acorda a pulso".

    José Guimarães

    ResponderEliminar
  9. Caro Jose' Guimaraes
    Para mim, MRS e' um padre da politica: as suas palavras sao mais ouvidas, quando as pessoas estao em aflicao.
    Na sua mestria teorica, diz as pessoas o que elas querem ouvir: que quando morrerem vao pro ceu, que nao se deve pecar mas se pecarem, confessem-se. Tudo para manter os "fieis" juntos, na sua causa sofredora.
    O vaticano deste sr, e' o PSD.
    Se as suas analises sao assim tao claras, sucintas, inteligentes, porque entao nao fazem efeito pratico nas politicas desenvolvidas no Pais?
    Talvez me responda- que nao e' esse o seu trabalho! Assim sendo, comentar nao e' o seu trabalho mas sim, professor catedratico. E o que ele faz nos seus tempos livres e' sua opcao pessoal. Nada a discordar.
    Mas continuo a achar que, com a sua visao e analise quotidiana, ele e' completamente inutil para a sociedade e sera' mesmo, prejudicial , pois ensina o cidadao a acomodar-se, depois de ver as coisas de forma "inteligente", depois de ouvir as sua iluminadas palavras.
    Quanto ao JM, como diria um amigo meu "se fornica muito, que nunca lhe doa a coisa".
    E eu pergunto- uma pessoa muito rica sera' mais feliz do que outra, so' rica?
    Nao me parece.
    Se uma pessoa for rica por merito proprio e sem recorrer a truques desonestos, atinge um nivel de felicidade que vai regredindo, conforme a fortuna (e as dores de cabeca) aumenta, para niveis muito elevados. Quando uma pessoa atinge um nivel de fortuna consideravel, ja' nao ha' muito de onde obter prazer, a nao ser o ajudar o seu conterrano, a sua regiao, o seu Pais.
    O que liga os dois personagens atras mencionados, e' que por muito que eles digam ou facam atualmente, o Pais continua a ser destruido pela corrupcao e danosa gestao e eles, os personagens, nem a vaidade perdem.
    E' essa mentalidade, de cada um nao prescindir de nenhuma riqueza pessoal, para o beneficio de todos, que torna Portugal, um Pais de vaidosos e egoistas.
    Pedro-Liverpool

    ResponderEliminar
  10. Ó Pedro o que me chateia mais quando criei este espaço é as pessoas não enxergarem o que se faz.

    Desculpa lá o Clube convida pessoas não acho elegante de bom tom estás a dizer mal de MRS . Deixa passar uns tempos e depois voltas à tua opinião. tem que haver decoro e elegância quando se convida.

    Muitos membros do Clube adoraram a presença de MRS e deram-me os parabéns. Eu convido pessoas estando ou não de acordo. Achei oportuno pela figura , pela altura de presidenciais e pelo relevo.

    Tens todo o direito de não gostar e de dizeres o que pensas mas como me conheces tens a obrigação de perceber o que faço.

    Obrigado.

    ----------------

    O José Guimarães tem a sua opinião e vá lá que desta vez gostou mas nem sequer se dignou salientar tal. Limitou-se a questionar o Pedro.

    temos que aprender uma coisa neste espaço. podemos criticar e dizer o que pensamos mas nós também temos o direito de criticar a critica .

    Cumprimentos,

    ResponderEliminar
  11. Caro J
    A coisa mais forte que eu chamei a MRS, foi parasita. Nao no sentido lato da palavra mas, mais figurado. No aspecto de, retirar da sociedade, a sua analise e nao dar nada em troca. Nada, que e' como quem diz. Adornece as pessoas com as suas analises mas, nao lhes da' ideias de como sair do beco onde se encontram. E' um analista nato mas, inconsequente e esterilizador das vontades pessoais de cada um. Esta minha opiniao, ja' a manifestei varias vezes aqui. Se e' ma' altura, lamento mas, eu nao mudo a minha opiniao, conforme a circunstancia. Se o seu convidado e' uma figura publica, deve saber estar sujeito a ser "analisado". Ele pode tambem, responder as minhas palavras. Ou entao, nao.
    Quanto a' consideracao por parte do seu convidado, julguei que ele iria referir que o CDP merecia ter um espaco televisivo de destaque, como a TVI, RTP ou a SIC, onde ele proprio tem tempo de antena de primeira...
    Mas nao. Em lugar disso, acha que o CDP devia ter una ajudinha "regional" , apenas, da CMG?
    Pedro-Almeida

    ResponderEliminar
  12. Eu não pretendo que mudes a tua opinião de nada . Eu tenho a minha opinião e mantenho-a e não me tenho dado mal com o que penso. tenho muitos seguidores...

    O Marcelo para vir ao Clube entendeu que este espaço era merecedor da sua presença.

    Foi um bom momento para o Clube.

    O Clube não precisa de programa nenhum pois tem lá quase sempre toda s televisões a falar do que se passa.

    O Clube desde sempre é de âmbito nacional , não regional.

    Ter um programa na televisão ,já o tivemos mas agradeço-te a opinião e gostares do Clube dos Pensadores.

    JJ

    ResponderEliminar