13/05/2014

ESCOLA, EXAMES e PAIS


Uma escola espelha bem o nosso país, a sua forma de funcionar, a sua mentalidade, atitudes e comportamentos. Atira-se sempre para os outros a responsabilidade.
Nesta última década passaram a vida a denegrir e a humilhar os professores, sendo estes, os menos culpados de tudo que se passa actualmente no ensino. Evidentemente que há bons e maus professores, e, como há à volta de 150.000, há mais maus nesta nobre profissão do que noutras.
A Escola é uma local onde deve assentar raias, a educação e o ensino. Não é um local para se tomar conta de meninos ou meninas. Não é o local de baby-sitter. Os pais quando decidiram ter os seus filhos são incumbidos de uma tarefa nobre – educar e criar os seus filhos até à idade adulta. Essa tarefa é sua e devem cumpri-la escrupulosamente. Os professores também são pais têm que se arranjar. O que eu acho é que há muito mais, piores pais do que professores.
Muitas vezes fiquei com o meu filho e prejudiquei a minha vida profissional. Quando decidi ser pai sei o que me esperava e o que tinha que fazer com o meu filho: proteger; acompanhar; educar: orientar; acolitar; guiar; aconselhar; etc.
Infelizmente uma escola é um local onde todos ralham e ninguém tem razão. Sempre que há uma interrupção de aulas os pais atiram-se ao ar porque não têm onde deixar os seus filhos. A Escola é uma local de ensino-aprendizagem, e não, um armazém de pessoas.
O calendário escolar para este ano termina da seguinte forma:
- Dia 6 de Junho de 2014 para os alunos do 6.º, 9.º, 11.º e 12.º ano
- Dia 6 e 13 de Junho de 2014, inclusive , - para os alunos do 4.º ano 
- Dia 13 de Junho de 2014 para os alunos 1.º, 2.º, 3.º, 5.º, 7.º, 8.º e 10.º ano
- Dia 4 de Julho de 2014 – para os alunos dos 4.º e 6.º ano que venham a ter acompanhamento extraordinário 
Antigamente as aulas sempre acabaram no início de Junho para se efectuarem os exames da 4ªclasse (4ºano), do antigo 2ºano do 2ºciclo (6ºano), do antigo 3ºano do 3º ciclo (9ºano) e antigo 7ºano (equivalente ao 12ºano). Não foi por isso que a aprendizagem foi menos boa e não deixaram de se  formar excelentes quadros nas diversas áreas. Esta medida do Governo de acabar as aulas mais cedo é boa, sensata e não sobrecarrega quem está na escola: professores, pessoal não docente, funcionários, etc.
Evidentemente que sobra para os pais mas isso é um problema deles. A Escola não tem obrigação de resolver os problemas das famílias. Pode sim, ajudar, orientar a resolver problemas de comportamento, atitudes e aprendizagem. Onde os filhos devem ficar esse é um problema que diz respeito exclusivamente aos pais.
Vem isto a propósito que vão-se realizar pela primeira vez, os exames do 4ºano e 6ºano em Maio. Esta segunda-feira, dia 19, são feitas as provas nacionais de Português quer do 4ºano quer do 6ºano. Na quarta-feira é feita a prova de Matemática para o 4ºano e 6ºano.
Estas provas foram antecipadas, de modo a permitir o período de recuperação, permitindo aos alunos que revelem dificuldades, depois de um período extra de aulas, poderão repetir as provas na 2ªfase de exames, a 9 de Julho (Português) e 14 de Julho (Matemática).
Os pais e os seus representantes acham que as aulas não deveriam parar nos dias dos exames. Os exames requerem sossego, silêncio e logística completamente incompatível com o funcionamento normal de aulas para os outros alunos. Por outro lado apesar de encurtar o período de aulas (2 dias) alegando os pais prejuízo. Esquecem-se que é para permitir uma nova chance de fazerem exame e passarem. No meu tempo não havia nada disto…
Os pais têm que perceber de uma vez por todas que não devem sistematicamente interferir na vida da Escola. Os professores também são pais, assim como, o pessoal não docente. Os pais não podem ter filhos e deixar a cargo dos professores os seus filhos.
O Estado deveria com calma e pensadamente criar uma rede de locais de actividades lúdicas e complementares com animadores culturais para terem os filhos dos pais que não podem ficar com eles.
Durante muitos anos como pai tirei férias em função do meu filho e não do meu próprio interesse. O Ministério da Educação, a escola, os professores, o pessoal não docente e os pais devem estar unidos e lutarem por uma escola pública melhor e de excelência.

JJ

3 comentários:

  1. De há uns anos a esta parte, que dar aulas em certas escolas públicas é uma profissão quase do mesmo risco que a do polícia.
    Eu preferia fazer limpezas diárias que ter qualquer desta duas profissões.
    E de quem é a culpa destas situações?? Em primeiro os governos que as incentivaram, legalizaram e continuam apoiando.
    Depois os pais, que se demitiram de educar e perderam por culpa dos acima citados todo o respeito que o professor tanto ou mais que qualquer cidadão merece e tem direito.
    Claro que isto era se o país fosse governado por gente séria!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Agradeço o seu comentário mas nada tem que ver com esta situação.

    Há que se refere é sobre a autoridade e o respeito do Professor.

    Este post é sobre a relação Pais- Escola vs. professores .

    Os professores não estão em locias de aluguer de espaços e tomar conta de outrem . Dentro da sala sim. Agora em férias ou pausas pedagógicas era o que faltava...

    JJ

    ResponderEliminar
  3. Efetivamente, os pais constituiram a escola como centro ocupacional para os filhinhos... É muito mais simples sobrecarregar as estruturas do Estado com mais essa competência do que fazer alguns sacrifícios da vida pessoal... Qualquer dia ainda vão exigir que o Estado via instituição escolar se encarregue de lhes EDUCAR as crias...
    PT

    ResponderEliminar