21/10/2009

Maitê… Maitê, “no qui você si meteu”!


Na verdade Maitê Proença sabe muito pouco sobre Portugal. Ela não sabe que espanhóis e brasileiros não podem nunca fazer certo tipo de comentários sobre os portugueses.
Se aquele vídeo fosse feito por um britânico, um francês ou um cubano, a reacção seria diferente, tudo numa boa! Agora por uma brasileira isso nunca!
Os espanhóis porque são vizinhos, ironizar daquela forma jamais!
Mas mais grave são os brasileiros! Então como é que nós os descobridores, os achadores, tendo-nos tornado perdedores vamos admitir ser ironizados pelo povo que ao ficar independente se tornou num país desenvolvido (quem não o conhece bem não acredita que o é) que não precisa dos portugueses para nada e que se temos cá muitos brasileiros, eles têm lá milhões de portugueses que deixaram Portugal há muitos anos para lá se instalarem e ajudarem a crescer aquele maravilhoso país e que de lá muito ouro veio para manter as extravagâncias da corte. E, então nós com o nosso sempre grande orgulho e complexo de inferioridade vamos aceitar ser ironizados por uma brasileira? Algumas reacções foram tão exageradas que agora então é que eles têm motivos para “gozar” com a nossa cara.
Estando eu mais uma vez de partida para esse país que a seguir ao meu eu amo de paixão, tenho a certeza que como sempre serei recebida com todo o carinho e simpatia que em mais lugar nenhum do mundo se encontra; e com um povo que sobretudo para com os portugueses tem uma deferência que sinceramente alguns não merecem.
E o mais caricato é que ainda há muitos brasileiros que acham que os portugueses por terem mais séculos de existência, mais história e fazerem parte da velha Europa, são mais evoluídos e importantes do que eles.


Hercília Oliveira

10 comentários:

  1. A antipatia entre duas pessoas nasce primeiro na que tem pior Espírito, ou na que o tem melhor?

    Numa e noutra indiferentemente, mas distintas são as causas e os efeitos nas duas. Um Espírito mau antipatiza com quem quer que o possa julgar e desmascarar. Ao ver pela primeira vez uma pessoa, logo sabe que vai ser censurado. Seu afastamento dessa pessoa se transforma em ódio, em inveja e lhe inspira o desejo de praticar o mal. O bom Espírito sente repulsão pelo mau, por saber que este o não compreenderá e porque díspares dos dele são os seus sentimentos. Entretanto, consciente da sua superioridade, não alimenta ódio, nem inveja contra o outro. Limita-se a evitá-lo e a lastimá-lo.

    ResponderEliminar
  2. Correcta a sua observação !

    VFR

    ResponderEliminar
  3. Pelo amor de Deus! Trazer de novo à colação esta conversa da treta - este tema já foi mais que espalpelizado no post do seu colega. A senhora não é uma portuguesa é uma portuguesinha!


    Rui Silva

    ResponderEliminar
  4. aqui, aqui, aqui pra voceis..

    ResponderEliminar
  5. Permito-me fazer um comentário sem ler o texto....desculpe....mas não vale perder tempo com esta senhora.

    É gastar tempo....nada mais....deixai-a falar....fica feliz....

    ResponderEliminar
  6. Caro Augusto de Magalhães permita-me que lhe faça uma pergunta:a quem o senhor se refere? A Maité ou à Hercília? É que não está nada claro e era importante saber-mos. Desde já o meu obrigado.

    Joana Vieira

    ResponderEliminar
  7. Este comentário é digno duma conversa da treta.
    Uma senhora apelida uma parte de portugueses de hipócritas, egoistas e outros adjectivos sem qualquer pingo de vergonha e a seguir vem como virgem ofendida reclamar sobre quem adjectiva os portugueses de modo grosseiro e ofensivo.
    Para se fazer esse papel tem de se ter muita falta de coerência e ética e não venham para aqui dizer que se não gosto não visite ou leia o que é publicado.
    A partir do momento em que os comentários e o blogue são publicos tenho o direito e o dever de me indignar sobre tais comentários, utilizando o mesmo palavreado e tom. Qualquer censura a respostas sobre comentários menos dignos, serão por mim entendidos como limitativos à liberdade de expressão e de carácter ditatorial. que julgo estarem banidos da sociedade portuguesa.
    Palavra de honra que pensava que estas personagens já não existiam no século XXI.

    Ilídio Pereira

    ResponderEliminar
  8. Oh minha santa voçê não tem mesmo pedalada para isto. É muita areia pr'a sua camioneta. falta-lhe tudo: jeito para a coisa,alegria de escrever,chá,autenticidade e sobretudo carácter.

    M.carvalho

    ResponderEliminar
  9. Um desperdício. Tipicamente português, perder tempo com coisas sem importância...

    ResponderEliminar
  10. parabéns pelo vosso blog e a vossa interessantíssima actividade.

    quanto ao caso desta senhora,seria importante que os canais de TV rejeitassem as telenovelas em que é interprete.

    com os meus melhores cumprimentos.

    antónio correia

    ResponderEliminar