19/06/2017

A noticia



António Fernandes 
A notícia tem um efeito poderosíssimo junto da opinião pública em virtude da sua massificação social como meio de procura de informação mas também devido à facilidade com que nos povoa como meio de divulgação.
Uma divulgação orientada para diversos fatores de interesse: comunitário; nacional; internacional; Em suma: global.
A notícia veicula informação fidedigna; sob suspeita; denuncia; entre outras;
As formas de a transmitir é que diferem: a forma de relato simples; a forma de conjetura organizada para denegrir, enaltecer ou passar despercebida; a forma de ponto de vista pessoal transformado em opinião artificialmente comum através do credito social que o meio que veicula a notícia tem junto das pessoas que são sempre o seu alvo. O alvo da notícia.
A notícia tem tantos ângulos quanto os ângulos de leitura dos factos  dos seus relatores. E tem outros tantos quantos os de quem presenciou o ocorrido a que acrescem os dos seus leitores, ouvintes ou espectadores.
Por isso a importância de quem lhe dá a visibilidade e também a importância do cabeçalho.
Duas formas distintas que separam o método de veiculação audio visual, da imprensa jornalística.
Nos tempos de hoje a notícia manipula os comportamentos sociais perante ocorrencias simples ou dantescas. Sejam oriundas de fenómenos naturais, acidentais ou de outras origens.
É uma espécie de "mundo à parte" que "fabrica" o mundo real.
Dizem os formadores de opinião ser o "simples mensageiro" porque se limitam a relatar factos.
Basta olhar as noticias e a forma como são manipuladas para que os ditos, "simples mensageiros", fiquem a milímetros de ser efetivos carrascos.
Nos tempos de hoje, em que a concentração de interesses se centra na informação, o seu tratamento é de vital importância para esconder o útil e divulgar o acessório, se entendermos por útil o interesse comum e acessório o interesse de alguns.
Aquilo que se passa nos meandros dos setores financeiros cartelizados é o exemplo maior da manipulação da notícia.
Uma notícia tratada e convenientemente divulgada transforma uma divida privada em dívida publica colocando o Estado em défice permanente e por gerações de cidadãos que, com a divida pública crescente e hipotecada jamais se livrarão de uma carga fiscal avultada sobre o rendimento do trabalho honesto.
Nos tempos de hoje, o poder político tem extrema dificuldade em corrigir trajetórias politicas gerais no mundo porque quem manda no mundo não é o poder politico.
Quem manda no mundo é quem controla a informação.

E... Por consequência, manda também nas linhas gerais de orientação politica salvo quando, é o poder político que se impõe através da força da razão dos povos e das necessidades das pessoas.
Bastam - lhe:
- isenção;
- idoneidade;
- respeito;
- liberdade;

Sem comentários:

Enviar um comentário