06/03/2017

Filtros solares e vitamina D ou o interesse da poderosa industria farmacêutica



Mário Russo
Sou assinante de uma publicação económica bastante interessante que recentemente apresentou uma matéria sobre saúde da autoria de um prestigiado médico Brasileiro que viveu e trabalhou em grandes instituições universitárias e de investigação nos EUA (Harvard Medical School, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University), relativa aos filtros solares e a sua relação com a vitamina D e os interesses da poderosa industria farmacêutica.
Por ser a matéria densa e de grande relevo, fiz algumas pesquisas acerca das referências que o Dr. Lair Ribeiro fez e constatei a veracidade das afirmações e dos seus autores. Como é matéria que todos os anos somos bombardeados com avisos e campanhas para nos protejermos do sol usando e besuntando com filtros solares e que naturalmente nos preocupa, resolvi fazer uma síntese do que afirma o Dr. Lair ribeiro e do que pesquisei sobre o assunto, como serviço público do CdP. É um texto longo, mas que vale a pena ler, pois é sobre a nossa saúde que está em causa.
O Dr. Lair Ribeiro (LR) a certa altura da extensa abordagem diz:
“Se eu pudesse dar só um conselho, seria este: NÃO use filtro solar ao sair de casa!.  A sua obediência em seguir recomendações erradas de não se expor ao sol sem protetor está trazendo consequências drásticas para SUA saúde… e também para a saúde dos seus filhos ou netos, que passam as férias na praia e os finais de semana na piscina cobertos de cremes e loções.”
“Sim, recomendo a você neste verão estender a toalha… ficar debaixo do sol por 15 ou 20 minutos… e não passar qualquer tipo de protetor solar.”
“E sabe qual o melhor horário para tomar sol? Justamente o que sempre lhe falaram para evitar. É isso mesmo. Aproveite o sol a pino, mas de uma forma inteligente e segura.”
“Depois de tomar sol sem proteção por 15 ou 20 minutos, quero que se proteja com produtos que não colocam em risco a sua saúde”
Mais adiante e acerca da crença de que o sol é o vilão do câncer de pele, diz o Dr. LR:
“Infelizmente, é o que a indústria do filtro solar o fez acreditar – e, com isso, explodiram as vendas desse cosmético. Não há NENHUMA evidência científica de que a exposição moderada ao sol aumente o risco de desenvolver o melanoma, a forma letal do câncer de pele.”
“Pode procurar no PubMed ou Google Acadêmico, sites que reúnem pesquisas científicas do mundo inteiro. Garanto que você não vai encontrar. E pior:
“A falta de sol pode deixá-lo mais vulnerável ao câncer da pele – e a outros tipos de câncer também. Você precisa tomar o sol SEM PROTEÇÃO por 15 ou 20 minutos. Depois desse tempo, se for continuar na praia ou na piscina, você deve se proteger… mas com o produto adequado. Como essa mentira sobre câncer de pele:
Protetor solar protege contra o melanoma” Será mesmo?
“Ao longo de anos, a indústria do filtro solar plantou uma relação direta entre o sol e o câncer de pele mais letal, o melanoma. E apresentou como solução para o problema o uso sem moderação do protetor solar.  Mas e se você soubesse que o protetor solar que você usa hoje pode aumentar o seu risco de ter um câncer?”
“E se você descobrisse que ele causa problemas hormonais e o deixa vulnerável a uma série de doenças? Você ainda o usaria sem pensar? Cobriria seus filhos ou netos com cremes tóxicos?  Pois esqueça as propagandas da TV e os anúncios na farmácia.”
A maioria dos protetores solares são ineficientes e possuem produtos químicos cancerígenos.
É o que aponta o relatório anual do instituto Enviromental Working Group (EWG) que avaliou mais de 750 protetores solares. Do total avaliado, 75% dos filtros solares: NÃO protegem do envelhecimento da pele; NÃO evitam o câncer de pele; Contêm substâncias que podem ser responsáveis pelo seu ganho de peso; E têm químicos semelhantes ao estrogênio, “O” hormônio feminino, que causam problemas hormonais tanto em mulheres quanto em homens”.
“No que toca à falta de sol os estudos referem que determina a carência de vitamina D que tem diversas vantagens para a saúde, designadamente porque reduz de 30% a 50% o risco de desenvolver cancro de próstata, da mama, dos ovários, do colorretal e pancreático, de acordo com estudos científicos comprovados.”
De acordo com o Dr. LR, que diz travar uma luta de David contra Golias, porque está a propor uma terapia de graça contra os poderosos intersses económicos da industria farmacêutica, diz LR que “essa terapia também corta PELA METADE a possibilidade de hipertensão, de AVC e de infartos. Ela é fundamental para tratar doenças autoimunes, como esclerose múltipla e artrite reumatoide. O melhor: esse é um tratamento totalmente gratuito. Está disponível hoje, de graça. Basta saber a forma certa de aproveitar os seus benefícios.”
“Apresenta descobertas avaliadas e testadas feitas por pesquisadores e instituições renomadas, como Harvard School of Medicine, John Hopkins, Mayo Clinic, entre outras.O cancro de pele cresce com o aumento das vendas de protetores solares, como aponta o estudo publicado no conceituado periódico médico Journal of the American Medical Association (Jama) sobre a incidência de melanoma nos Estados Unidos.”

Este gráfico, extraído do referido estudo é revelador.
“Vejamos: o primeiro protetor solar foi criado na década de 30 para que as pessoas pudessem aproveitar mais tempo no sol sem se queimar. Alguns anos depois, a incidência de melanoma começou a aumentar. Nos anos 80, dezenas de loções já podiam ser encontradas à venda nos mercados internacionais. No Brasil, o primeiro filtro solar começou a ser vendido em 1984. As vendas de protetores de lá para cá explodiram – e o número de vítimas desse câncer de pele maligno também disparou. Ainda que o diagnóstico de câncer tenha tido uma pequena melhora, estamos falando de um aumento de incidência de melanoma de 1.800%.”
O Dr. LR recorda o passado assim:
“Na época da sua mãe ou dos seus avós, eles não se preocupavam com o sol nem se passava protetor solar… e ninguém temia o câncer de pele. Não era um problema. Agora, nós que vivemos enclausurados – da casa para o carro, do carro para o trabalho, do trabalho de volta para a casa – somos potenciais vítimas do melanoma.”
Mais adiante diz “Uma outra questão: Quem você acha que tem mais risco de ter um melanoma, o pescador ou o executivo? Um estudo publicado no periódico International Journal of Cancer revelou que pessoas que trabalham sob o sol têm um risco MUITO MENOR de ter melanoma do que quem trabalha em escritório. O melanoma é mais comum em latitudes maiores, onde existe menos sol, do que próximo à linha do equador, como mostrou estudo produzido pela Organização Mundial de Saúde.”
“E há uma outra inconveniente verdade aqui. Os sinais de melanoma costumam aparecer em partes do corpo que nunca ou raramente são expostas ao sol, como na sola do pé, entre os dedos, na parte interna das coxas, nos órgãos genitais.” Se o sol fosse o responsável pelo câncer de pele letal, ele deveria aparecer justamente em lugares que recebem mais raios solares, não é mesmo?”
“As evidências claramente mostram que passar mais tempo ao sol DIMINUI o seu risco de melanoma. E isto é o oposto do que as propagandas o fizeram acreditar. Ao mesmo tempo, essa mesma indústria do filtro solar obviamente não divulga este ÚNICO tratamento natural gratuito, que previne e trata um amplo leque de doenças…De esclerose múltipla ao AVC. De problemas cardíacos ao Alzheimer.”
“A grande maioria dos filtros solares NÃO previne rugas e o envelhecimento precoce da pele. Sabe aquela informação na embalagem dos filtros solares de “proteção UVA/UVB”, “amplo aspectro” ou “ampla proteção”? Fique atento: Quase sempre, é uma enganação.”
“E os raios ultravioletas A (UVA) são justamente os vilões da história. São eles os responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele, rugas, manchas e pelo desenvolvimento de câncer de pele do tipo não-melanoma. Só que colocar proteção contra UVA custaria mais para a indústria, reduzindo o seu lucro, logo…colocam uma quantidade ínfima, ou simplesmente, não põem a proteção.” O tão propagado e aclamado FPS é o fator de proteção solar SOMENTE dos raios UVB, que atingem as camadas superficiais da pele. Esses causam vermelhidão e ardência por excesso de sol… mas não as rugas, as manchas, o envelhecimento da pele e outros problemas.”



“Enquanto isso, as camadas mais profundas da pele são arrasadas pelos raios UVA. A medida de proteção contra o UVA é o PPD, não o FPS. É com essa sigla que você tem que se preocupar daqui em diante.Os protetores que não o enganam têm a medida de proteção de PPD no rótulo.”

Relativamente aos protetores solares, o Dr. LR afirma que muitos deles têm uma substância química perigosa e que está proibida na Europa. Mas nós compramos protetores que são fabricados em vários países, pelo que há que ter isso em conta na compra.
Ela se chama 4-metil benzilideno cânfora (4-mbc) ou 4-methylbenzylidene camphor.
Pesquisadores descobriram que esse químico é absorvido através da pele e se comporta como se fosse um estrogênio. Em excesso, ele é catastrófico. Em nome das vendas, a poderosa indústria dos protetores solares criaram um lobby contra o sol. No entanto, hoje a carência de vitamina D é já um dos maiores problemas de saúde pública mundial.  
A vitamina D é o hormônio esteroide mais potente do nosso corpo – e o SOL é a sua maior fonte. Informar a população sobre a deficiência de vitamina D poderia salvar dezenas de milhares de vidas… e economizar milhões para os sistemas de saúde… evitando mortes por doenças graves.
De acordo com a informação do Dr. LR, “Um estudo liderado pelo Dr. Thomas Wang, da Harvard Medical School, acompanhou 1.739 homens e mulheres ao longo de cinco anos. Durante o estudo, ficou comprovado que os participantes com baixos níveis de vitamina D tinham 60% mais risco de ter uma doença cardiovascular, como infarto, insuficiência cardíaca ou um AVC.”
“Um outro estudo demonstrou ainda que indivíduos infartados tem uma chance MAIOR de sobreviver ao infarto se mantiverem níveis adequados de vitamina D no corpo. Quer mais?
“Vitamina D para ter ossos mais fortes. Este é um dos benefícios mais conhecidos desse hormônio. A vitamina D é essencial para crescer e fortalecer os ossos, e para aumentar a força muscular. Nas crianças, a sua falta produz raquitismo. Nos adultos, ela pode causar a osteoporose e a osteomalâcia. As pesquisas realizadas pelo Dr. Michael Holick, da University of Wisconsin, mostrou que idosos com os níveis adequados de vitamina D tinham 72% menos risco de quedas.”
“Ainda segundo Holick, de 40% a 60% dos pacientes com “dores nos ossos” e perda de força muscular é erroneamente diagnosticado com fibromialgia. O problema tem outro nome, osteomalácia, e é decorrente da falta de vitamina D. A sua arma contra infecções e doenças autoimunes. Além de proteger os ossos, a vitamina D é o melhor e mais efetivo regulador do sistema imune das pessoas. De um lado, ela fortalece as defesas do seu organismo contra as infecções. Assim, você fica menos gripado ou resfriado.”
“Ao mesmo tempo, esse hormônio impede as reações exageradas do sistema imunológico, tais como alergias e doenças autoimunes. Essas são doenças em que o corpo ataca a si mesmo, por isso, são muito difíceis de tratar.”
“Dezenas de estudos, no entanto, têm mostrado que você pode efetivamente conter uma série de problemas – como psoríase, esclerose múltipla, Doença de Crohn e diabetes tipo 1 – apenas melhorando os níveis de vitamina D no organismo”.
“A sua proteção contra o câncer: A falta de vitamina D está ligada a um forte aumento do risco de morte por câncer. Um grande estudo, liderado pelo Dr. William Grant, publicado na revista especializada Câncer, demonstrou que manter os níveis adequados de vitamina D reduz de 30% a 50% o risco de câncer colorretal, de mama, de próstata e de ovários”.
“Não faltam evidências de que a vitamina D protege ainda do Diabetes, do Parkinson, do Alzheimer e da depressão. Mais poderoso que o seu remédio e mais seguro do que uma pílula de açúcar. Se há um tratamento que pode ajudá-lo a se proteger do AVC, do infarto do miocárdio, da osteoporose, das doenças autoimunes, do câncer… não há por que não fazer uso desse tratamento agora. E sim, ele existe. É a helioterapiao uso inteligente do sol.
“Mas não basta se sentar à janela… ou passar um dia torrando no sol… e acreditar que você está se beneficiando dos efeitos terapêuticos da vitamina D. Você precisa tomar sol da forma e na quantidade correta para obter os níveis de protetores desse hormônio, levando em conta a cor da sua pele, a região onde mora, a estação do ano e a sua atual condição de saúde.”
“E se você não tiver disponibilidade para tomar sol, é possível fazer a suplementação de vitamina D de forma segura. A medicina não pode ter dogmas. Medicina é ciência.”
Em resumo: eu tive o cuidado de pesquisar as fontes citadas e ler os artigos referidos no original e comprovam o que é afirmado pelo Dr. Lair Ribeiro.
Não consequi sintetizar melhor a extensa matéria produzida por este pesquisador, que reputo de importante. Alguns dos aspetos por ele levantados eu próprio tive oportunidade de comprovar no acompanhamento dermatológico que de há uns anos a esta parte tenho, com a minha médica, uma especialista de renome na nossa praça.
Em próximo texto tentarei resumir algumas das orientações que este médico e as referências por ele dadas fazem a este respeito, com conselhos úteis e práticos.

Sem comentários:

Enviar um comentário