15/12/2016

Socorro vem aí o Natal!




De forma a compreender melhor porque é que há pessoas que têm aversão à quadra natalícia, o site espanhol ‘Cultura Inquieta’ esteve à conversa com a psicóloga Jennifer Delgado Suárez que enumera algumas razões surpreendentes:

- O consumismo exagerado e a troca desenfreada de presentes é uma das razões que leva muitas pessoas a não gostarem desta quadra. Tal como refere o artigo, os presentes devem ser dados de boa vontade e não com o intuito de fazer com que os outros se sintam na obrigação de retribuir o gesto, independentemente da sua condição financeira.


- Enquanto para algumas pessoas o Natal é de facto a melhor época ano, para outras isso não é assim. Tendo em conta que a quadra natalícia é uma das alturas do ano em que as famílias se reúnem, para aqueles que já perderam familiares esta é uma época especialmente complicada e nostálgica em que a obrigação de transbordar felicidade se torna difícil de concretizar.

- Se a cada ano que passa as famílias seguem rituais natalícios que não compreendem e simplesmente os cumprem porque assim manda a tradição, deixa de fazer sentido adoptá-los nas suas casas. Para a psicóloga, é importante que as pessoas tenham a liberdade de prescindir de certos rituais – pendurar a meia na lareira ou montar o presépio - e celebrar esta época da forma que lhe apetecer.

- Durante esta quadra, o vermelho, o dourado, o verde e o prateado são as cores mais utilizadas para a decoração das casas de milhares de pessoas. Mas algo que faz muitas pessoas odiarem o Natal prende-se com a crescente falta de sentido estético e criatividade que se apodera de muitas famílias na hora de decorar não só o interior mas como o exterior das suas casas.

- Apesar do Natal ser uma época de paz, há muitas famílias que se esquecem disso entrando em conflitos desnecessários no que diz respeito à religião. Por exemplo os pais que não querem que os filhos cantem canções com versos árabes ou os católicos que durante o ano não colocam os pés na igreja mas cantam ‘Adestes Fideles’ como se vivessem incomodados por no colégio dos filhos não se cantarem músicas católicas.

- O facto de muitas pessoas não gostarem desta época deve-se precisamente às atitudes de falsa mudança e hipocrisia que se geram dentro e fora do seio familiar. Imagine como se sentiria se recebesse um abraço caloroso do colega que passou o ano a infernizar-lhe a vida e que provavelmente vai continuar a fazê-lo no futuro sem qualquer tipo de remorso.

- É verdade que para a maior parte das pessoas que gostam do Natal e que fazem questão de o celebrar rodeadas dos seus entes queridos, é impossível não sentir pena ou compaixão por aqueles que passam esta época sem ninguém. Mas a verdade é que, por diversas razões, há quem se distancie da família de forma propositada de forma a evitar sorrisos forçados, hipocrisia e a falsa sensação de felicidade, dando sentido ao famoso ditado: ‘Melhor sozinho do que mal acompanhado’.

- Se há algo que irrita muitas pessoas durante esta quadra são os famosos postais ou SMS de Natal que são enviados de forma estandardizada para todos os amigos só porque fica bem. Toda a gente tem aquele familiar com quem não fala durante o ano inteiro, mas que na altura do Natal faz questão de nos desejar Boas Festas.

· Outra das coisas que muitas pessoas criticam sobre a época natalícia são os excessos inevitáveis que se cometem quer desde a comida aos presentes. Aquela que deveria ser uma quadra de reflexão, solidariedade e partilha acaba por se transformar numa época de inversão de valores onde se prioriza o consumismo desenfreado.

· Para quem é apreciador de boa música, as tradicionais canções de Natal são um verdadeiro terror. Claro que existem excepções à regra, mas a verdade é que há muita gente que não suporta o facto de todos os anos se ouvirem os mesmos hits repetidamente e, ainda por cima, ficarem no ouvido.

Retirei estas opiniões do SAPO Lifestyle com as quais concordo em absoluto. E diria mais: socorro vem aí o Natal! Eu para decidir ser Feliz não preciso do Natal para nada. Nesta época gostava de viver ao contrário dos outros. Em tudo que é sítio apanho com o Natal. Se quiser comprar um par de meias sujeito-me a filas intermináveis e embrulhos pelo meio. Uma chatice! A essência do Natal como altura de paz , harmonia e de diálogo , infelizmente está desvirtuada. O Natal  é no dia 25 de Dezembro, mas deveria ser quando as pessoas quisessem.

JJ

1 comentário:

  1. Realmente, é triste mas é verdade o que aqui está descrito.
    O consumismo e a mediocridade tomou conta de tudo e da maioria das pessoas que se deixaram levar por ele; e o mais triste ainda , é que com tudo isto não estão nem se sentem mais felizes...! Bem antes pelo contrário e não é difícil perceber porquê.
    Eu, e os meus familiares mais chegados, há já uns anos que estamos fora de toda esta euforia de troca de presentes. Não nos presenteamos nesta data, só porque é da praxe, e nos juntamos nessa noite ( não tendo os que já partiram), mas nos juntamos também durante todo o ano. Não precisamos desta época para o fazer.
    E, o mais "interessante", é que muitas vezes certas famílias nessa noite,quando se juntam é para se rivalizarem uns contra os outros, acabando muitas vezes em discussão, sem respeito pelos mais velhos que assistem entristecidos. Enfim...

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar