03/12/2016

Mensagem ao Clube dos Pensadores



Prezado Amigo Joaquim Jorge,

Por ocasião de mais um jantar de confraternização dos Amigos do Grande Clube dos Pensadores, no fim do ano, ao qual muito gostaria de estar associado mas que a minha vida profissional no estrangeiro mo impede, com imensa pena minha, gostaria de deixar uma breve mensagem aos amigos e membros deste CLUBE soberbamente capitaneado por ti.
As minhas atividades em 2016 centraram-se quase sempre no estrangeiro em três Continentes e por isso não tive a oportunidade de participar das atividades do CdP, como gostaria, porque é o lugar diferente onde me sinto com voz, aprendendo muito com a observação do ambiente, ouvindo, debatendo e conversando com amigos que prezo.

O Serviço público que o Clube sob a tua orientação e coordenação tem feito em Portugal é absolutamente admirável e inigualável. Pelos países por onde tenho passado tenho falado do CdP e do conceito, das pessoas que por lá têm passado e que tudo é “de borla” e as pessoas ficam admiradas, pois nada disso existe em nenhum destes países.  
Num mundo que caminha para o desconhecido devido à disrupção económica que a 4ª revolução industrial está a trazer a um mundo globalizado, sem controle tradicional dos poderes instituídos, um forum de debate como o CdP é cada vez mais importante.

De facto, estamos à beira de uma revolução tecnológica que vai alterar fundamentalmente a maneira como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos uns com os outros. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que a humanidade tenha experimentado antes. Ainda não sabemos como se desenvolverá, mas uma coisa é clara: a resposta a ela deve ser integrada e abrangente, envolvendo todas as partes interessadas da política global, dos setores público e privado à academia e à sociedade civil. O CdP pode desempenhar um papel determinante com a força que tem demonstrado ao longo destes anos todos e que tu, Joaquim Jorge, com a perspicácia, olhar arguto e muita inteligência longe viste o futuro.

A Primeira Revolução Industrial usou a água e vapor para mecanizar a produção. A Segunda usou a energia elétrica para criar a produção em massa. A terceira usou a eletrónica e a tecnologia da informação para automatizar a produção. Agora, a Quarta Revolução Industrial está a ser construída sobre a Terceira, a revolução digital que está ocorrendo desde meados do século passado. É caracterizada por uma fusão de tecnologias que está a esbater as linhas entre as esferas físicas, digitais, e biológicas e que não sabemos as consequências.

O Clube dos Pensadores já está na quarta Revolução do civismo e participação política em Portugal, abrindo horizontes, rompendo barreiras do inconformismo, sem amarras nem grilhões a impedir a liberdade das ideias, sejam de esquerda ou de direita, muito bem coordenada pelo fundador e idealizador desta lufada de ar fresco na paisagem sociopolítica do nosso país, meu Amigo Joaquim Jorge.
Desejo-te a ti, aos teus e a todos os Amigos e Membros do Clube dos Pensadores um excelente momento de convívio e aproveito a oportunidade para desejar um Feliz Natal a todos e que o ano de 2017 seja o do “renascimento” da esperança em Portugal e Prosperidade para todos.

Um Abraço do

Mário Russo

1 comentário:

  1. Caro amigo Joaquim Jorge e demais companheiros do CdP

    Aproveito o ensejo desta mensagem a todos os títulos notável para também lhe desejar e ao nosso Clube do Pensadores, um excecional convívio Natalício e votos de que o próximo ano venha a ser um momento de Esperança em dias de equilíbrio político, económico e social para o nosso país.

    Os meus cumprimentos
    desde Leiria
    António Nunes

    ResponderEliminar