13/08/2016

OS INCÊNDIOS, E OS OUTROS..., " FOGOS"




 
Hercília Oliveira 
Portugal sofre há anos, as consequências de vários ataques ambientais e não só.
 Os incêndios, têm ano após ano destruído florestas, casas, vidas, e tudo que encontram pelo caminho; sofrendo depois outra grave consequência como as cheias que  as  chuvas fortes provocam , não tendo os impedimentos naturais que as impedem ou amenizam.
E como sempre, temos os Heróis Nacionais que exaustos e muitas vezes com o custo da própria vida, tudo fazem para apagar os fogos, salvar casas e vidas trabalhando horas e dias a fio sem descansar.
São portanto, os nossos Heróis Nacionais que só nestas alturas são lembrados e reconhecidos.
São estes Heróis. que deviam ´ser lembrados e condecorados todos os anos sem que fosse preciso acontecer estas tragédias, pois muitos deles são voluntários e estão sempre disponíveis para quando são chamados. 
Mas infelizmente, Portugal tem outra força destruidora que também há anos destrói este país: a classe política que com as sua más decisões e falta de soluções, anda há 40 anos simplesmente se dedicando a decisões e soluções que lhes assegure o poder..., mais nada!
No que aos incêndios concerne,, se não podem ser totalmente evitados, podiam  ser tratados de forma bem  diferente e mais eficiente; prevenção, aquisição de meios suficientes para os combater e penas pesadas para os criminosos
Mas não...! Prioridade para esta gente que tem o poder, são as obras que dão "bónus" aos amigos que depois lhes retribuem na hora da "necessidade" económica para manter a tal classe. Nisso eles se empenham!
Mas, são tão descarados e sem vergonha, que nem para alterar leis, coisa bem simples..., têm vontade e disponibilidade.
Os incendiários, na sua maioria, são apanhados, soltos na hora e com a possibilidade que  muitas vezes aproveitam, de no dia seguinte voltar a cometer o mesmo crime.
Ora, quando uma classe política não faz o que deve e com isso penaliza o país desta forma, devia era ir para a frente do combate aos fogos e sem salário.

Sem comentários:

Enviar um comentário