08/08/2016

Artigo de opinião de Joaquim Jorge no ECONÓMICO


Sem sanções

Os portugueses querem viver, estar em paz e já não suportam ouvir falar em austeridade. Já tiveram dose que chegue. Penso que é isto que o PSD ainda não percebeu. Tem um discurso desfasado dos portugueses.

Portugal não vai ser multado pela Europa. Não vai ser sujeito a sanções. Isto prova que vale a pena reivindicar e fazer ver à Europa o contexto político português. Foi uma boa notícia para Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa, que sempre se bateram para que não fôssemos sujeitos a sanções, mas também para os portugueses que estão cansados de austeridade.

Os portugueses querem ter a ilusão de viver e de ser felizes, e já perceberam que se consegue fazer isso sem muito dinheiro. A crise que assolou o país ensinou os portugueses a gastar melhor o seu dinheiro e a separar o essencial do acessório.

O PSD e Pedro Passos Coelho não devem estar muito contentes, pois, pelos seus discursos e tomadas de posição, davam a entender que queriam que tivéssemos sanções.

Se Pedro Passos Coelho quer continuar a ser líder do PSD tem que ajustar o seu discurso, indo ao encontro do que os portugueses desejam. Os seus conselheiros não são os melhores ou, porventura, desejam que tenha um mau desempenho e seja apeado da liderança do PSD. Pedro Passos Coelho está a descer nas sondagens e, no seu subconsciente, ainda pensa que é primeiro-ministro.

Estou a torcer para que as coisas dêem certo. Estou cansado "do agora é que é", “sempre com falsas expectativas e promessas", " nós é que somos bons, vocês não valem nada". Quero acreditar neste país roubado, espoliado e utilizado por gente sem escrúpulos e dignidade.

As notícias por vezes são contraditórias e baralham o comum dos cidadãos. Por um lado, o défice reduz 971 milhões de euros no primeiro semestre, a despesa estabiliza em 0,2% e receita fiscal cresce 2,7%, segundo síntese de execução orçamental. Por outro lado, a dívida pública subiu 2,4 mil milhões de euros em Junho, relativamente a Maio, totalizando 240 mil milhões de euros no final do primeiro semestre.

A dívida líquida está a subir, o que significa que o país se endividou mais. Não vai ser fácil cumprir 2,5% de défice em 2017 e vamos ver se os fundos comunitários serão, ou não, desbloqueados. Mas eu quero que o meu país ande para frente. Quero lá saber que seja com este ou com aquele. Acho que as pessoas continuam a pensar somente no quintal do seu partido. Eu penso no quintal de Portugal.

A política é o momento, não é ser de direita ou de esquerda. Os portugueses estão-se borrifando para os partidos e sindicatos. Os portugueses querem viver, estar em paz e já não suportam ouvir falar em austeridade. Já tiveram dose que chegue. Penso que é isto que o PSD ainda não percebeu. Tem um discurso desfasado dos portugueses. Se tivesse doseado a austeridade e feito frente à Europa, estaria hoje noutra situação. Na política, como na vida, o óptimo é inimigo do bom.

Os portugueses querem viver, estar em paz e já não suportam ouvir falar em austeridade. Já tiveram dose que chegue. Penso que é isto que o PSD ainda não percebeu. Tem um discurso desfasado dos portugueses.
ECONOMICO.SAPO.PT

4 comentários:


  1. 15Tu, Rms Conceição, Leonor Trindade Sousa e 12 outras pessoas
    Comentários
    Manuel Barbosa
    Manuel Barbosa Na verdade bastaram os 4 anos de esbulho e roubo aos bolsos dos portugueses!
    Gosto · Responder · 3 h
    Eduardo Saraiva
    Eduardo Saraiva A não austeridade da gerinçonça dá vontade de rir.Há aumentos de impostos e taxaas de forma encapotada. Até já ouvi a um membro do governo, dizer que as alterações do IMI, não é aumento nenhum, é uma forma de uniformização do Imposto....se fossem para o car... ?
    Gosto · Responder · 2 · 3 h
    Eduardo Saraiva
    Eduardo Saraiva Meu caro Amigo, não há outra hipotese. temos que viver em contenção de despesas. Se isso é austeridade ou não, não sei. Sei que gastamos há muito mais do que produzimos, isso é impraticavel em qualquer país. O Estado , presumo que o peso dos BÒIS não ...Ver mais
    Gosto · Responder · 2 · 2 h
    Arnaldo Paredes
    Arnaldo Paredes · 306 amigos em comum
    Eu farto de me rir com esta conversa de q o governo anterior esbulhou, roubou... mas esta gente não se enxerga? gostava de saber como´é q governam a casa a precisarem de empréstimos... e com a corda ao pescoço... enfim.. gostam de mandar uns bitaites... culpam quem tudo fez para nso ajudar a sair do buraco, e os artolas q nos meteram neste lamaçal são os maiores... isso tem um nome, mas escuso de o dizer
    Gosto · Responder · 2 · 2 h
    Eduardo Saraiva
    Eduardo Saraiva Concordo....... Como diz o Sousa Tavares, o Passos cometeu um crime e destruiu, grande parte do tecido produtivo privado, quando pôs todo o país a pagar uma divida publica.
    Gosto · Responder · 1 · 2 h
    Eduardo Saraiva
    Eduardo Saraiva É fácil encontrarmos os F.P. a dizer que foram roubados pelo Passos nos seus ordenados ............ Seria razoável e aceitável estes queixumes se tivessem denunciado os injustos beneficios que tiveram com o aumento de 2,9% de aumento no tempo do Zéban...Ver mais
    Gosto · Responder · 1 · 2 h
    Manuel Barbosa
    Manuel Barbosa Eduardo Saraiva Falas de barriga cheia porque não foste roubado e esbulhado pela galinhola esganiçada capitaneada pelo coelho e a maria luís.
    Gosto · Responder · 1 h
    Manuel Barbosa
    Manuel Barbosa Essa "gente", vergonhoso termo! Mas nada que me admire é a direita no seu melhor! Mas felizmente que o roubo e o esbulho perpetrados por essa "gente" já acabou!
    Gosto · Responder · 1 h
    Eduardo Saraiva
    Eduardo Saraiva Manuel Barbosa Meu caro falem doo roubo publico que foi o uindecente e ondecoroso aumento dado pelo zébancarroat de 2,9%, que em minha opinião foi um esbulho ao erário publico e uma provocação aos privados. Não chegando essa veio agora o ti António, a ...Ver mais
    Gosto · Responder · 1 h
    Eduardo Saraiva
    Eduardo Saraiva Oh, Barbosa, não me lixes.
    Gosto · Responder · 1 h

    ResponderEliminar
  2. oaquim Jorge Meu caro eu não sou "gente" nem mando uns bitaites. Era incapaz de me dirigir a si nestes termos. A minha educação não me permite... Escrevo no Económico com muito gosto. Sei muito bem o que é austeridade sou professor de carreira há 38 anos e tiraram-...Ver mais
    Gosto · Responder · 1 · 1 h · Editado
    Manuel Barbosa
    Manuel Barbosa Totalmente de acordo.
    Não gosto · Responder · 1 · 1 h
    Joaquim Jorge

    Escreve uma resposta...

    Escolher ficheiro
    Arnaldo Paredes
    Arnaldo Paredes · 306 amigos em comum
    Não me referia ao joaquim jorge mas ao senhor manuel barbosa. Por outro lado o termo de gente não é ofensivo.
    E já agora deixe que lhe diga, ao contrario do que escreve, se há coisa que os portugueses não gostam é de ser enganados.
    Caro Joaquim Jorge,...Ver mais
    Gosto · Responder · 1 · 2 h · Editado
    Joaquim Jorge
    Joaquim Jorge Certo. Obrigado pelo seu esclarecimento. Li atentamente o seu comentário. Meu caro Arnaldo eu não sou PS , nem PSD. Mas acredite que com asuteridade não fomos lá. Os portugueses interrogam-se como deve ser? E a fórmula é mais tempo e com mais calma e tentaremos lá chegar. Outros países também não cumprem. Obrigado.
    Gosto · Responder · 1 · 1 h · Editado
    Ernesto Lareth
    Ernesto Lareth ouçam o Dr. Medina Carreira ... o resto é muito blá blá ... nós precisamos de gente que saiba fazer contas.
    Gosto · Responder · 1 h
    Manuel Barbosa
    Manuel Barbosa Ainda há quem perca tempo com o tasqueiro???!!! O tal que quando foi Ministro nada fez!!!
    Gosto · Responder · 1 h
    Joaquim Jorge

    Escreve uma resposta...
    Escolher ficheiro
    Ernesto Lareth
    Ernesto Lareth outra coisa que me faz confusão, mas a classe de que eu faço parte continua a viver em austeridade.
    Não gosto · Responder · 1 · 1 h
    Fernando Moutinho
    Fernando Moutinho Excelente análise! Parabéns força ilustre Pensador!!!
    Não gosto · Responder · 1 · 1 h
    Rms Conceição
    Rms Conceição Nem que me matassem eu votaria mais nesse aldrabão
    Gosto · Responder · 59 min
    Joaquim Jorge
    Joaquim Jorge Ernesto o Medina e muito bom a fazer diagnósticos mas não apresenta soluções. Ja esteve no Clube e nunca me respondeu como se resolvia. Obg.
    Gosto · Responder · 1 · 55 min
    Ernesto Lareth
    Ernesto Lareth desculpa jorge, mas ele anda ha anos a dizer que é preciso reduzir despesas, mas aqui entramos na guerra do publico e do privado que não me interessa discutir. Consegues imaginar o que os bancos estão a fazer com os seus funcionarios. a redução dos seus ordenadaos chega a 40%.Alguem fala nisso ou se preocupa.Claro que não é um problema do privado.
    Gosto · Responder · 41 min
    Joaquim Jorge

    Escreve uma resposta...

    Escolher ficheiro
    Joaquim Jorge
    Joaquim Jorge Ernesto quando os funcionários público, falo por mim, que sou professor de carreira. Alguém se preocupou a não ser os sindicatos da função pública - cortes brutais e um subsídio. O que ouvia dizer é que os funcionários públicos eram uns privilegiados e uns manguelas. Mas quando precisavam dos serviços públicos como saúde, educação, segurança etc. Falavam blá blá blá. Não prestam não valem nada . Estou farto! Agora os bancos não pagam e mandam embora . Desculpa lá problema deles. Eu estou a pagar dislates de bancos privados : BPP; BPN; BES , etc. Não quero saber de bancários que tinham e têm juro zero e menos que zero e viviam à grande à francesa . Agora que amolem que eu também amolei. Nunca senti solidariedade do privado para com o público. Até na ADSE acham que é um benefício e eu pago 3,5% do meu ordenado que o privado dava para fazer para aí 4 seguros individuais. Uma vergonha. Abraço.
    Gosto · Responder · 11 min · Editado

    ResponderEliminar
  3. Com o PS, a fatura vem sempre no final.
    E como de costume, pesada e para os outros resolverem.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  4. Caro Joaquim Jorge,
    Concordo com a análise. De facto o PSD de Passos Coelho está em contraciclo da história. A solução de governo é estranha no Portugal que conhecíamos, mas comum nos países nórdicos que serviram de referência para o Sr. PPC. Mas este senhor ainda não percebeu que tem de mudar de chip, se quer capitalizar descontentamentos que virão a qualquer momento.
    Pra já há acomodação porque o discurso oficial é contrário à austeridade e houve sintonia entre governo e presidência da Republica, contra a hipocrisia de Bruxelas.

    O Sr Passos Coelho pôs o país em guerra. Privado contra público ( JJ tem razão), novos contra velhos, etc.

    Chega. O importante é o país.

    ResponderEliminar