18/06/2016

Crónica de Genebra


Nelson Fernandes 



Portugal e os Portugueses Expatriados.
Elementos de reflexão e estudo à atenção do Senhor Rui RIO.

I
·       Os dados que Lisboa apresenta como sendo o n.° de Portugueses residentes no Mundo, não corresponde nem pouco mais ou menos à realidade.
·       O exemplo aqui da Suíça é só por si esclarecedor ( embora eu não tenha os n°s dos portugueses como reconhecidos por Lisboa emigrados aqui), Somos cerca de 280.000 a quem as autoridades Suíças atribuíram Permis (de diversa ordem).
·       Recenseados somos cerca de 5.000 e com a complicação para votar, desses votam cerca de 2.000.
·       O curioso é que 80% destes compatriotas continuam recenseados em Portugal e possuem todos os documentos como um residente aí. Passaportes, BI tudo como se residissem em Portugal. Disto resulta que aquando das eleições os analistas portugueses, apuram cálculos do género 50% dos eleitores não votou. Já houve quem dissesse que estavam na praia, ou que estava a chover. Que falta de analise! Os faltantes pura e simplesmente não estão aí.
·       Há dias vieram o nosso Presidente da República e PM, a Paris e foram acolhidos  e aplaudidos, por milhares de portugueses. Teria sido uma oportunidade maravilhosa para fazer uma sondagem, para saber, entre os presentes, quantos estão (Inscritos e recenseados) nos Consulados Portugueses na França. Uns 10%, quando muito. Assim e sabendo que, mais de metade da mão-de- obra activa está fora de Portugal, uma Reforma proactiva e com expectativas de sucesso dos Sistemas e Politica Portuguesa só pode ser realista com a participação de todos aqueles que já são Portugueses, bem assim como daqueles que entendam vir a sê-lo, (os filhos dos emigrados, hoje já nacionais de outros países).
·       Como consegui-lo é bem simples. “ Eu, que sou um opositor do Acordo Ortográfico), contudo, sugiro o Sistema Brasileiro de recenseamento e voto: Isto é o que os Brasileiros chamam VOTAR em TRÂNSITO. E malgrado os, salvo erro, 270 milhões de Eleitores toda a minha gente Vota.
·       Qual é a pena para os não votantes ? Quando vão para tratar de um qualquer documento têm que fazer prova de estar recenseados e ter votado, caso contrário pagam multa. No caso português, seria uma fonte de receita fabulosa para os Consulados.
·       Como fazer então ???
·       Durante uns meses passa-se uma informação em todos os Canais de TV, logo antes de começarem as telenovelas a dizer o seguinte: Portugueses e seus descendentes; aonde quer que se encontrem no Mundo queiram proceder a vossa actualização de residência e documental, junto dos Consulados ou Embaixadas mais próximas. A actualização poderá ser feita por meio de CR  para quem residir muito longe duma representação Portuguesa. (Poderiam ser criados Consulados ambulantes especificamente para este efeito em Países demasiado extensos). A partir do dia 01.01.????, quem não estiver em acordo com a Lei, não poderá obter qualquer documento, nem apoio Consular sem o pagamento de Coima de valor a definir e reversível ao funcionamento dos Consulados.
·       Assim, também todos os Eleitores residentes em Portugal devem ir aos serviços de Recenseamento presencialmente, ou devidamente documentados, actualizarem os dados. Quem o não fizer é riscado dos Cadernos Eleitorais.
·       Então, Uma Reforma na Política, na Regionalização, ou qualquer outra em que Todos Tenham Participado é possível e duradoura. Ninguém pode dizer, eu não sabia, eu não participei.
II
·       Como Portugal produz relativamente pouco material de Alto Valor Adicionado, (Ex. A LEICA, algures aí no Minho), uma imensa parte do que é hoje exportado de Portugal são produtos alimentícios. Mas o paradoxo é  que exportamos para nós mesmos. É que fica a ideia que o Mundo gosta muito do FOOD Português. Falsa ideia de novo. Salvo raras excepções, somos nós os nossos consumidores.
·       III
·       Quando os Portugueses puderem  então ser chamados à responsabilidade, pode ser feita a Regionalização.
·       IV
·       Senhor Rui RIO, contudo, quando chegar o momento de se candidatar a Primeiro-MINISTRO, Para ganhar as Eleições com Maioria Absoluta, tenha em conta o seguinte:
·       Prometa acabar com essa aberração das SCUT; o prejuízo que elas dão a Portugal é largamente superior ao lucro que elas dão, além de serem contrárias e limitadoras a regionalização. (Exemplo de regionalização: Trabalhar no Porto e residir em Macedo de Cavaleiros, Vila Real, Bragança, etc.)
·       Prometa Criar Escolas Públicas, (de preferência gratuitas), de Comércio, Industria e Profissões, acompanhadas de estágios obrigatórios em Empresas, similares.
·       Prometa meter mãos à obra à Renovação e Ampliação dos Caminhos de Ferro Portugueses, além de uma ou duas ligações TGV à Espanha. Dobre e Electrifique a ligação F.Foz-Lisboa. Recupere essas velhas linhas abandonadas, para fins turísticos.
·       A quem o Contestar, o Meu Amigo Rui RIO responderá com uma única resposta; a criação de milhares de postos de trabalho. Os C.Ferro vão ser o transporte do futuro. Penso que o Meu Amigo Rui RIO, viu imagens  desse Comboio que a TESLA Experimentou há dias para atingir 1.200Kmh. Está em estudo uma ligação com esse supersónico comboio, entre Viena e Budapeste.
·       V
·       Atenção...!!! Quanto aos trocos para Financiar isso tudo e à Dívida actual, nem diga que não vai pagar, senão acusam-no logo de grego ( mas entre nós, esqueça a dívida, nunca País nenhum, vai pagar divida alguma), os especialistas sabem disso, só que não o podem é dizer.
·       Também não prometa que vai aumentar os ordenados.
·       Prometa isso sim é que não os vai diminuir.
·       Prometa isso sim fazer obra: Obra dá trabalho: Até nova ordem, trabalho ainda é o melhor meio de distribuir riqueza.
·       Eu pela minha Parte Prometo-lhe, Amigo Rui RIO, trabalhar para a Sua Eleição no dia em que decidir Candidatar-se.
·       Prometo também dar-lhe imensas dicas daquelas que os Suíços utilizam para meter todo o Mundo ao ataque.

·       Explicar-lhe-ei futuramente um conceito de Central de Vendas.

1 comentário:

  1. Artigo de opinião ao que leio


    Nunca tive dúvidas que a arrogância é a palestra dos falhados…

    Então quando alguém se arroga a dar conselhos, e é por todos praticamente um desconhecido “vai-lá-vai”…
    Há muitos a querer ser conselheiros de alguém com méritos reconhecidos e firmados na sociedade portuguesa e nos meios políticos, dá que pensar!..
    Condeno todo aquele que tem capacidade, e não ajuda o seu país que tanto precisa de mentes brilhantes para sair da cepa torta. Pessoalmente fico a pensar e com todo o direito, que não está para servir o seu país mas servir-se dele. Penso que quem fala assim se o convidar a escrever o HINO NACIONAL na hora, não sabe.
    Quando alguém no que escreve deixa brechas dizendo que não tem certezas, é de todo deplorável…
    Preciso mesmo: é certezas, porque de incertezas estamos todos abarrotar, de tal forma que neste capítulo somos um país de obesos.
    O que vale, o conceito de português está como bem disse Florbela Espanca “Ser poeta é ser mais alto, é ser maior ” e não pode ser de forma alguma confundido, por aqueles que vêm no país que lhe foi berço, o mal da EUROPA e quiçá do MUNDO.
    Inocêncio Matos

    ResponderEliminar