29/06/2016

COMUNICADO


Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, é  alvo de queixa-crime, pelo presidente da CM Gaia

Enquanto cidadão e fundador do Clube dos Pensadores fui convocado para comparecer no passado dia 21 de Junho no Tribunal de Gaia, na qualidade de denunciado.
Apurei então, ter sido alvo de uma denúncia crime por alegada difamação, apresentada pelo Presidente da CM Gaia, em virtude de um texto postado no blogue do Clube dos Pensadores no dia 2/09/2015 http://clubedospensadores.blogspot.pt/2015/09/joaquim-jorge-perseguido-por-expressar.html  ,outro no meu FB pessoal. 
https://www.facebook.com/joaquim.jorge.CdP/posts/10207612857620115 , e outro ainda, postado no blogue clube dos Pensadores, no dia 4/11/2015 http://clubedospensadores.blogspot.pt/2015/11/liberdade-de-expressao-em-gaia.html
Os factos aí referidos foram-me transmitidos por uma pessoa que, até prova em contrário, reputo de idónea, credível e merecedora da minha confiança.
O que me foi transmitido feriu a minha dignidade pessoal e profissional e, foi nessas circunstâncias, de boa-fé e crente na veracidade daquilo que me tinha sido transmitido que tomei a resolução de escrever os textos em causa.
Fi-lo, em defesa da minha honra, bem como, no exercício de um direito: preservar a minha liberdade de expressão que está consagrada na Constituição da República Portuguesa.
Sem embargo de, há muito tempo haver indícios que o presidente da CM Gaia tem dificuldades em conviver salutarmente com os seus críticos, não esperava que tais escritos, tivessem merecido tanta atenção e preocupação.
Com o devido respeito, entendo que o dever de um presidente de Câmara é resolver os problemas dos cidadãos do município que governa , prestação de contas, e não, valorizando minudências e querelas estéreis.

Sem ironia, esperava que o presidente da CM Gaia, entendesse as críticas que lhe foram endereçadas, como algo com o qual quem está no exercício de cargos públicos, tem de conviver, as tivesse encarado como uma manifestação de liberdade de expressão, e as escutasse sem ressentimentos.

Ao contrário de outros, não me move a vaidade pessoal, a ânsia de protagonismo, e sobretudo, podem estar descansados, a procura de cargos políticos.
Aquilo que sempre motivou o meu percurso de vida e intervenção cívica, foi a defesa do livre pensamento, do debate de ideias, do interesse público, mesmo à revelia das amarras instituídas pelos areópagos dos aparelhos partidários, de que muitos necessitam para se alcandorarem a cargos e honrarias efémeras.
Exemplo paradigmático do que afirmo, radica no facto do Clube dos Pensadores, ser um exemplo, claro e patente da liberdade de pensamento e expressão.
Em virtude, da minha intervenção cívica, no tempo do antecessor na CM Gaia, Luís Filipe Menezes, fui agraciado com uma medalha de mérito cívico pelo desempenho do Clube dos Pensadores.

Agora, quero crer que por coincidência, o presidente da CM Gaia, entendeu galardoar-me com um processo-crime por alegada difamação!

Confio e respeito os Tribunais, e como não acredito no delito de opinião, jamais os utilizarei como arma de arremesso político, com o intuito de silenciar vozes incómodas. Aguardo serenamente e com a consciência tranquila.

Ao longo da minha vida sempre pautei os meus actos de intervenção cívica pela frontalidade e defesa dos ideais que pugno. Mas isso nunca me impediu de conviver, sadiamente, com todos aqueles que têm outra visão da política, da cidadania e até da liberdade.

Por isso, não posso aceitar que, quem quer que seja, possa querer, de alguma forma, cercear a liberdade de exprimir as minhas ideias e convicções.

Por conseguinte, por respeito aqueles que acreditam em mim, no Clube dos Pensadores, em suma, na liberdade de expressão, enquanto valor inalienável da democracia, já mandatei o meu advogado, para que este tome todas as providências adequadas à legítima defesa dos meus direitos. E, não ponho de parte mover uma acção ao presidente da CM Gaia.

Joaquim Jorge
biólogo, fundador do Clube dos Pensadores

6 comentários:

  1. JOAQUIM JORGE. Para que saibas que Todo O Mundo LIBRE está CONTIGO.
    Pela minha parte, já estava a estranhar que ainda não estivesses inscrito no INDEX.
    Olha Amigo JOAQUIM JORGE, se souberes que Te querem queimar, exige que Te acendam a "Fogueira" aí no Atrio do Hollyday INN.
    Aí todo o mundo podia assistrir à queima de UM HOMEM, cuja único objectivo é clarificar as Aguas Turvas.
    Quêm não deve não teme.
    Contigo, para continuar a dizêr Verdades "para ofendêr as virgêns ...!!!"
    Nelson Fernandes

    ResponderEliminar
  2. Uma das coisas que mais chateia os senhores "reizinhos autárquicos" é o "corte de vazas", i.e., o conhecimento atempado da pessoa que querem prejudicar por tais meios indiretos de tal "manobra". Ficam fulos, lesados no seu majestático direito de acionar ou fazer acionar os tais "tais meios indiretos" para preservar a sua autocracia.
    Enquanto não cessar o aporte à política portuguesa e mais especificamente aos cargos do aparelho do Estado deste tipo de gente, formada no intriguismo político, no arranjismo partidário e na incapacidade de aceitar a existência de quem tenha ideias diferentes das obtusas que delineiam, mal vai Portugal.
    Vou partir do princípio de que quiseram mesmo "fazer a folha" ao JJ, autorizado por situações que conheço dos mesmos arraiais. Vou dizer agora o que me parece: que o processozito judicial é uma tentativa de saber quem no ME torpedeou os camaradas autárquicos nos seus intentos; vou dizer também o que de antemão sei: que não vão conseguir extrair por defesa do acusado tal dado.
    Finalmente, espanta-me que o cavalheiro que se senta na cadeira maior da CM de Gaia, e que não é um pobre coitado licenciado em Relações Internacionais ou outra inutilidade académica corriqueira entre políticos alpinistas, mas sim um Doutor em Sociologia, tenha recorrido aos tribunais (sem dúvida aconselhado por assessores jurídicos de má nota) para derimir semelhante caso.
    Dito isto, dou os parabéns ao JJ, acolhendo-o no clube dos perseguidos políticos por delito de opinião, clube com forte crescimento neste país.
    Não preciso de lhe dizer para persistir, sei que não o vergam

    O Caixa d'Óculos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas suas palavras que me tocam fundo

      Eliminar
  3. Como já tive oportunidade de o dizer no FACE, os políticos apregoam muito que agora temos liberdade de expressão, mas é se for para os elogiar e aplaudir; agora criticar, nem que seja de forma construtiva como o faz o Joaquim Jorge, não se pode. Eles não gosta e não admitem! Depois..., o se Sta Comba é que era fascista!!??

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  4. Lamento que o que representa a nossa Cidade de Gaia como presidente faça vir aos holofotes o pior do séc xxI, alias segundo O que anda a pairar pelas bocas do mundo é que ja é o Prato do dia. Espero o meu dinheiro e dos gaienses Não esteja a ser usado nestes folhetins .

    ResponderEliminar
  5. Caro professor Joaquim Jorge: para asneiras desta enormidade: vamos lembrar a frase mais celebre de todas as frases, e que pertence a um português, penso: "não há machado que corte a raiz ao pensamento"...
    Todos sabemos que há pessoas que quando se apanham com cinco tostões de ordens, mais não são, do que carneiros a pastar onde não há pasto.
    Inocêncio Matos

    ResponderEliminar