31/05/2016

Carta por pontos : novas regras






Mário Malhão - Económico

2 comentários:

  1. Aqui está Caros Leitores, mais uma cópia do sistema francês. Mas eu até acho que está bem copiado. Vão lá anos que os Portuguêses e os Francêses eram estatisticamente os maiores BÊBADOS da Europa. Na altura essa era a razão para sêr-mos os Países aonde havia mais acidêntes de viatura. Hoje parece que ambos perdêmos o estatudo de EMBRIAGADOS, continuamos a sêr um copiando pelo outro, os Países aonde se morre mais na estrada.
    Mas no que diz respeito a controis de Polícia na estrada, Cartas de condução compradas, acidentes e todas as barbariades afins somos os dois primeiros na Europa. Haja quem explique aonde esta o grilo ???
    Ainda ha pouco sai da Suissa (aonde não posso mijar fora do têsto), entrei na Alemanha virado Zaarbrukem-Luxemburgo e a 180 kmh sou ultrapassado por autênticos foguêtes. Quando as limitações de velocidade aparecem respeitam-se na integra. A Alemanha como a Inglaterra com quase 200 milhões de habitantes ambas, tem menos acidentes mortais que um Portugal aonde a população estagnou em 10 milhões desde que o SALAZAR morreu. Expliquem. Aqui na Suissa os francêses e os portuguêses batêm bola baixa, porque a Policia não exita em fazê-los caír como tordos.
    Continuem assim " Troupe de CLOWNS". Continuem a copiar pela Franca. Que grande mentira da História Portuguêsa, dizêr que batêmos os Francêses na Batalha do LINDO Buçaco.
    Não estivessem lá as tropas Inglêsas e já nessa altura tinhamos começado a têr carta de condução a PONTOS para guiar carroças puxadas por jumêntos.
    Acordem PORTUGUÊSES E PORTUGAL SERA GRANDE DE NOVO:
    Nelson Fernandes
    Genébra 31.05.16

    ResponderEliminar
  2. Portugal não será grande de novo, Portugal é grande.
    Vou-lhe transcrever na integra o que escritor e filósofo libanês Ali Harb, escreve em relação à França: " Qualquer fenómeno ou actividade tem dois aspectos: uma coisa começou por ser benéfica, pode degenerar e produzir efeitos nocivos, senão conseguirmos modificá-la e fazê-la evoluir. É o que está acontecer em França: o seu modelo social e económico, o melhor da Europa desgastou-se e precisa ser renovado, coisa que a França parece incapaz de fazer. Eu digo, que onde se lê França, se deve ler Europa. Que esta sim, esta caduca e refém dos grandes poderes do dinheiro. Concordo que a França dado o seu estatuto de país, irmão dos irmãos, seja o mais visado, só por isso. Aproveito para lhe dizer que esquece, os muitos milhares de portugueses que hoje devem a esse país, França o resto dos seus dias em paz, disse paz e bem, caso contrário tinham uma reforma de quinhentos euros, e que alguma boa (cepa) da sociedade portuguesa diz que é muito boa. Isto para não falar dos que têm duzentos. Mas mesmo assim continuo a dizer que Portugal é grande.


    "Portugal é o segundo país da Europa ocidental com maior taxa de mortalidade na estrada, embora tenha legislação abrangente sobre segurança rodoviária e esteja entre os quatro países do mundo que melhor classificam a sua aplicação".
    "Destes 28 países, apenas quatro (Estónia, Finlândia, França e Portugal) consideram a sua taxa de aplicação como "boa", acrescenta a OMS, considerando que é preciso fazer mais para garantir a eficácia das leis". Estes dois últimos parágrafos são dados OMS. Que não é tão penalizadora para Portugal como um português emigrado, e por sinal num país enclausurado na subordinação ao grande capital.

    Quanto aos alcoólicos franceses e portugueses, não citados pela OMS mas sim pelo sr. quero dizer-lhe que está enganado, sendo países de bons vinhos, estranho seria senão tivessem bons provadores...
    Para terminar quero deixar aqui claro que nunca foi emigrante e o pouco que conheço de um ou outro país resume-se aos meus curtos períodos de férias

    ResponderEliminar