05/04/2016

Artigo de opinião de Joaquim Jorge no DE


TPC
00:05 Joaquim Jorge
Os TPC são contraproducentes, estão associados a uma obrigação, parecem um castigo e os alunos ficam sem tempo para brincar ou desfrutar de momentos de lazer. Os TPC tornaram-se um suplício para muitos alunos e pais por falta de tempo para ajudar os seus filhos e também por falta de conhecimentos.

A ideia que sempre passou – que um bom professor é aquele que marca mais trabalhos para casa – está completamente desfasada da realidade. Um bom professor é aquele que ponderadamente ensina o aluno na sala de aula e afere, na mesma sala, os seus conhecimentos. Mandar deveres para casa, que se podem fazer na sala de aula, é algo que não se compreende. Os TPC provocam uma pressão enorme, contam para a avaliação no cômputo geral e quem não os faz pode baixar a sua nota.

Os alunos desgraçadamente não param e, entre ir para a escola e cumprir as suas tarefas dos deveres em casa, acabam por ter uma carga horária de cerca de 60 horas semanais. A sua formação escolar é importante, mas também é importante para o desenvolvimento das suas capacidades e edificação da sua personalidade ter outro tipo de actividades: desportiva; aprender a tocar um instrumento musical; aprender uma língua que não seja dada na escola; etc.

A OCDE afirma que os alunos portugueses de 15 anos, em média, dedicam aos TPC cerca de quatro horas por semana. Mas em idades mais novas verifica-se uma sobrecarga muito maior. Os TPC fazem parte da própria lógica de aprendizagem para aferir conhecimentos. É importante e necessário fazer deveres ou trabalhos sobre o que foi explicado na sala de aula pelo professor, fazer determinados exercícios, resolver problemas, inclusive memorizar, entre outros. Ou seja, compreender e fixar é imprescindível para consolidarem a aprendizagem.

Todavia, tudo isto se deveria fazer na sala de aula com a supervisão do professor que poderia tirar dúvidas e superar o que não foi compreendido. Um aluno com dificuldades, em que os pais não têm formação, só poderá ter ajuda com explicações. Isso implica ter meios financeiros para tal. Sou apologista de uma escola para todos e que permita a todos aprender.

Um bom professor é quele que se interessa pelos seus alunos, ensina bem e afere os seus conhecimentos ajudando na sala de aula. Evita marcar TPC. Nunca nos podemos esquecer que um aluno tem várias disciplinas. Se cada professor marcar TPC, isso implicará horas de estudo fora da escola. Uma coisa é a escol, outra bem distinta é a casa do aluno. Por norma não se deveria marcar TPC.

Os alunos têm direito ao repouso, a tempos livres, a participar em jogos e actividades recreativas próprias da sua idade, e a participar livremente na vida cultural e artística. E, eu acrescento, a conviver com os pais sem livros e TPC.


TPC

7 comentários:

  1. Caríssimo Joaquim JORGE.
    Ora aí está um excelênte têma, exêmplo entre outros, das razões do insucesso escolar em Portugal. Atenção contudo que, os alunos aqui na Suissa também trazem trabalhos para casa. P. ex. livros da biblioteca para lêr tréchos,resumir e depois debatêr na escola no dia seguinte.A tabuada. Peças de musica para trautear em classe. Aqui a musica é uma disciplina quase obrigatória e cuja nota conta. A avaliação é continua e todas as disciplinas contam assim como as faltas.Alias é proibido faltar e os pais podem incorrer em gráves penalizações que passam por deixar de recebêr o abono de familia, a multas ou mesmo serem-lhe tirados os filhos se não enviarem os filhos à escola. Em contrapartida os alunos não andam a carregar os livros de e para a escola. Como são uns manuais e pertencem ao Estado, ficam na escola. Durante a classe trabalha-se. Para os alunos que têm dificuldade podem ir voluntariamente no fim do dia as aulas de apoio, ministradas por Professores especificamente designados para isso. Mais, quando um Professor fica doente ou por uma razão qualquer não pode ir dar a aula, cada Cantão dispõe de Professores em reserva para o ir substituir. Os livros MANUAIS servem apenas para apoiar o Professor. O trabalho de todos os dias do aluno na escola é feito sobre papel e metido em classificadores que no final de cada trimestre o aluno traz para casa, assim como todos os trabalhos que fez na escola. Desenhos, costura, marcenaria outros. No fim de cada Ciclo os alunos fazém os exames Cantonais. Uma prova de Matematica, Francês e Alemão. Notas minimas obrigatórias.
    Assim a Filosofia é a seguinte: O devêr do Estado é fornecêr ensinamento gratuito a todas as crianças; o devêr (e obrigação) dos Pais é enviar os filhos a escola; e o devêr (e obrigação)dos alunos é estudar.
    Ninguém é autorizado a subtraír-se a esta fdilosofia.
    Joaquim Jorge enviei-lhe a cópia da Capa de um manual de matemática que como pode vêr dá para os três anos do secundário e apenas têm 140 pag uteis. Não impede que a sonda que vai neste momento a caminho de Marte vai filmar e fazêr a apróximação ao Planeta com tecnologia desenvolvida aqui pelos Suissos. Sabendo que a matemática é um dos saberes de base, para o desenvolvimento da tecnologia ...! a bom entendedor...!
    Nelson Fernandes
    Genébra 04.04.16

    ResponderEliminar
  2. arlos Pereira Concordo.E digo mais,muitos professores passados um mês ou dois de aulas tem uma avaliação sobre a turma,turma essa com 24 alunos,8 bons, 8 razoáveis e 8 maus,habitualmente o que acontece é o professor "descartar" os oito maus o mais rapidamente possível,é a minha opinião, lógico que não se aplica a todos os professores,mas...acontece.Sou a favor de secretárias redondas, onde os alunos partilhassem conhecimentos.Sou a favor do português, ensinar português,tenho a certeza que oitenta por cento dos portugueses(onde eu me incluo) não fala nem escreve um Bom português.Um abraço.
    Não gosto · Responder · 1 · 8 h
    Pedro Valente
    Pedro Valente No convívio familiar se adquire educação e valores sociais ,que serão postriormente trabalhados pelos professores,necessitamos mais do que tudo de uma revolução cultural , para pudermos evoluir socialmente.
    Não gosto · Responder · 1 · 17 min · Editado
    Joaquim Jorge

    Escreve uma resposta...

    Escolher ficheiro
    Joaquim Jorge
    Joaquim Jorge LI atentamente os comentários , mas convém esclarecer que a Escola não é um armazém de pessoas. Turmas com menos alunos ajudaria ao sucesso escolar todavia isso tem custos financeiros.

    ResponderEliminar
  3. Um texto, com uma excelente reflexão .
    Muito bom.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  4. Aparte do exemplo da Suica aqui retratado por Nelson Fernandes, seria interessante saber como se faz noutros Paises. O que me parece e' que turnas super lotadas, afetam negativamente o desempenho dos alunos. E o professor tambem. E rigidos programas de avaliacao do professor, em que o que conta e' que o aluno passe, nao que ensine, tambem nao ajuda.
    Ainda pior, e' quando um aluno e' tambem atleta: com 3 treinos por semana(a acabar as 23) e 1 ou 2 jogos ao fim de semana, como se espera que estes alunos, facam os trabalhos de casa? Sera' por isso que Portugal nao tem qualquer relevancia no desporto mundial/Europeu?

    ResponderEliminar
  5. Caros Incondicionais do CdP comentadores e todos os outros. Se entre vos houver Professores interessados em vir fazêr uma visita "in loco" aqui ao sistema Suisso deixem-me saber.Eu organizarei uma visita a duas ou três Escolas para vêr-mos e discutir com quem de direito.
    Já agora Sr. Carlos Almeida parece que o melhor sistêma é o Suéco. Mas pôr sinal, pouco susceptível de sêr copiado. Semelhante ao nosso e diria mesmo para pior é o sistema Francês.
    Quanto a n° de alunos por turma tenho uma filha no Secundario que curiosamente esta na turma mais pequena da Escola e são 19 Alunos. N° de disciplinas 11.
    Tenho outro Filho no Gimnasial, são 35 alunos na Turma dele também com onze disciplinas. Uma coisa vos posso garantir Caros Leitores: os alunos aqui em classe estudam; não há mé nem meio mé. Senão aparece logo uma armada de psicólogos e outros especialistas para saber porque é que o aluno desengrena...!
    Venham vêr.
    Nelson Fernandes

    ResponderEliminar
  6. Caro Nelson Fernandes. Paises com diferentes capacidades financeiras, produzem diferentes resultados, nos servicos oferecidos aos cidadaos. Se na Suica mandam uma carrada de psicologos, quando um aluno se esta' a dar mal, em Portugal, a carrada deveria ser, primeiro que tudo, de comida. Haverao muitas familias a passar fome e a formacao academica, aparece la' ao fundo. As politicas que identificam estes problemas,e' que poderao fazera diferenca, numa sociedade. Abraco

    ResponderEliminar
  7. Sr. Carlos Almeida, obrigado pela sua analise. Virei futuramente ao têma.
    Estou plenamente de acordo consigo. Eu estou curiosamente a preparar uma Cronica a falar das crianças que vão para a Escola com fome. Acontece que nesse texto vou falar de mim mesmo.
    Obrigado pela sua achega.
    Saudações
    Nelson Fernandes

    ResponderEliminar