23/03/2016

Matosinhos é um oxímoro


Gosto de estar atento ao que me rodeia e levar algum tempo a pensar. Como nasci em S. Mamede de Infesta, por mais que tente não consigo deixar de pensar na terra que me viu nascer. A ligação umbilical é mais que evidente.

Sigo a par e passo a vida política em Matosinhos. E vem-me à mente algo que é um paradoxo sobre Narciso Miranda.

Narciso Miranda foi presidente da CM Matosinhos e teve a seus pés esta cidade. Todavia cometeu erros: alguns infantis e sem nexo.  Penhorou parte da sua imagem e credibilidade.

Todavia, muita gente tem saudades da sua forma de fazer política e da sua proximidade , outros querem-no ver pelas costas. 

Mas neste bocado de terra plantado à beira-mar acontece uma contradição que chega a opor-se às razões do pensamento. Em Matosinhos há um paradoxo político.

Trata-se de algo esotérico. Narciso não serve, mas serve quem ele escolheu para o servir. Narciso Miranda é muito bom a escolher colaboradores que depois querem o seu lugar e, tudo fizeram, fazem ou farão para lhe passar a perna  : Manuel Seabra, Guilherme Pinto , e agora, Luísa Salgueiro.

Matosinhos é um oxímoro político,vive uma realidade que se repele em que há quereres contraditórios . Matosinhos vive uma gentileza cruel , o belo horrível e uma música silenciosa dirigida pelo PS.

JJ

1 comentário:

  1. Comments
    Vitor Correia
    Vitor Correia Ate que enfim que alguem que e escutado e lido por muita gente pos o dedo na ferida. Isso nao se chama oximoro chama-se TRAIÇÃO DESLEALDADE e apego ao poder. Ha muita gente que em surdina pensa o mesmo nao o dizendo para depois se for caso disso dizer Narciso Miranda aqui estou.
    Não gosto · Responder · 1 · Ontem às 16:29
    Joaquim Gomes da Silva
    Joaquim Gomes da Silva Óbviamente, que teria que estar de acordo com este excelente texto, mais um, de Joaquim Jorge sobre esta terra á beira mar plantada, mas terei que referir que não obstante a ausência de Narciso Miranda, da politica, continua a ser uma pessoa mais amada que odiada nesta cidade, e basta acompanha-lo um pouco por estas ruas, ou sómente estar sentado a seu lado numa qualquer esplanada, para sentir o carinho com que é tratado.
    Já quanto aos seus delfins (herdeiros politicos) são o que são aprenderam e bem, as lições do mestre, e, na oportunidade (a)normal inerente á ambição de cada um, rápidamente lhe viraram as costas, mas... Narciso é duma sagacidade, fora do comum, e quando quizer, tal tubarão, comerá os (peixinhos) de uma só dentada...
    Não gosto · Responder · 3 · 7 h

    ResponderEliminar