05/09/2015

José Sócrates em prisão domiciliária


foto: João Relvas/Lusa
A libertação de José Sócrates entra pela campanha eleitoral adentro.
Dizer que não vai interferir na campanha é de uma ingenuidade atroz. Para já vai exercer uma espécie de pressão no PS.
A romaria para o visitar vai recomeçar e ser muito maior . Lisboa fica mais à mão do que Évora.
António Costa vai procurar demarcar-se mas será inverossímil.
O PS e António Costa não têm estado bem mas também tudo lhes acontece. É preciso ter azar.
Não me acredito que José Sócrates , agora em prisão domiciliária não se desmultiplique em entrevistas que irão fazer um ruído de fundo na campanha.
Estarei muito atento à próxima sondagem com a nova variante José Sócrates fora da prisão de  Évora. 

JJ

5 comentários:

  1. O FULANO, tem mesmo predilecção por capicuas...! Foi o 44, agora o 33...!
    O que mais gostei de ver, foi o lindo fato ARMANI, com que ele saiu do presídio, e que tem nesta foto. Assenta lhe muito bem....

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E A FULANA tem misantropia em relação ao homem...
      Deus nos livre do fanatismo que é a cem por cento arredo da razão...
      Inocêncio Matos

      Eliminar
  2. Olá Joaquim Jorge,

    concordo plenamente. Quando ouvi a notícia pensei logo. Sócrates entra na campanha, com o apoio, nada inocente da imprensa. Uma vergonha.

    MR

    ResponderEliminar
  3. Mas não só da imprensa, também da justiça, porque há imensas coincidências no tempo em que é preso, no tempo em que é solto...
    Até nas horas há coincidência é por volta da hora de jantar...
    Nunca ninguém, vai perdoar ao homem diversas regalias que ele retirou, e principalmente os juízes.
    Quem pensa que este momento é ingénuo por parte da politica e da justiça que se desiluda.
    Inocêncio Matos

    ResponderEliminar
  4. O silêncio dos inocentes, me comove.
    Mas..., os " gritos" de fulanos INOCÊNCIOS, que nascem inocentes, que continuam "INOCENTES E CRÉDULOS, toda a vida..., diverte me imenso!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar