15/09/2015

HOMOFOBIA




Novo estudo sugere conexão entre homofobia e transtornos mentais

Faz tempo que a homossexualidade deixou de ser tratada como um transtorno mental (a transexualidade infelizmente muitas vezes ainda é), mas um novo estudo sugere que na verdade é mais provável que a homofobia seja um sinal de distúrbio mental.Os pesquisadores que trabalham com a Sociedade Italiana de Andrologia e Medicina Sexual avaliaram a saúde mental de 560 estudantes da Italian University para ver o que poderia ser encontrado de ligação entre os seus traços psicológicos e sua propensão para a homofobia. Na verdade, eles descobriram que aspectos de psicose e mecanismos de defesa imaturos foram preditores significativos para atitudes homofóbicas.

“Descobrimos que a psicose representou um importante fator de risco para a homofobia, demonstrando que os traços de personalidade patológicos estão relacionados com atitudes homofóbicas”, explica o estudo . A psicose possui várias características, mas acima de tudo, “condições psicopatológicas graves, como delírio, isolamento e alienação interpessoal, mas também hostilidade e raiva”. A homofobia pode ser parcialmente ligada por um “traço patológico da personalidade”, o que significa que vários distúrbios de relacionamentos e pensamentos poderiam ser preditivos de homofobia.

Mecanismos de defesa imaturos também previram atitudes homofóbicas. Estes são os mecanismos de enfrentamento ativados durante estados de angústia e ansiedade e incluem comportamentos como projeção, hostilização, isolamento, rejeição, agressividade passiva e deslocamento. “Nossos dados revelaram que os mecanismos de defesa imaturos prevem a homofobia, destacando que uma atitude negativa para com os homossexuais é influenciada uma vez mais por aspectos disfuncionais da personalidade.”Enquanto esses traços de personalidade agressivos foram relacionados com a homofobia, a depressão teve o efeito oposto. “Os indivíduos com depressão têm um risco menor de desenvolver comportamento homofóbico”, em parte porque parece que eles eram menos propensos a “perceber a realidade externa como uma ameaça e projetar a sua raiva.

”O estudo também descobriu que o sexo foi um preditor significativo de homofobia. “Os homens são mais homofóbicos que as mulheres” e, em particular, demonstraram uma tendência a atitudes mais negativas e “um grande risco de comportamento agressivo ou hostilização dos homossexuais.”Em declarações ao Medical Daily, o pesquisador-chefe Dr. A. Emmanuele Jannini declarou: “depois de discutir durante séculos se a homossexualidade não deve ser considerada uma doença, pela primeira vez, nós demonstramos que a verdadeira doença a ser curada é a homofobia, associada com psicopatologias potencialmente graves”.Em outros estudos, atitudes homofóbicas já foram ligadas à atração não admitida pelo mesmo sexo e à morte prematura (links em inglês).

QGA ( enviado por Pedro Almeida)

4 comentários:

  1. Como eu ja' tinha referido antes, o errado esta' na cabeca das pessoas.
    Mas, dizem, como se vai explicar a uma crianca, quando ve dois homens ou 2 mulheres a beijarem-se?!
    Bom, talvez algo semelhante, quando ela ve aquelas bundas e mamas, expostas nas paginas do Jornal de Noticias. Porque se nao se souber explicar ao certo que, algumas pessoas teem certas preferencias, pode-se sempre dizer a' crianca, quando esta abre as paginas do Jornal: este pode ser o teu ganha pao, um dia, filha/neta/sobrinha...

    ResponderEliminar
  2. Há estudos para todos os gostos e cada um aceita o que lhe agrada mais. O que é certo é que os homossexuais não se reproduzem entre si ...

    ResponderEliminar
  3. Eu sei como é que se mente com números e chama-se estatística. Esse estudo é um bluff e uma fraude. Deliberadamente formular a hipótese sobre a ligação entre os traços psicológicos de alunos e sua propensão para a homofobia é o mesmo que formular deliberadamente que problemas de estômago são causados pelo café, avaliando-se os estudantes que bebem café e depois se concluir que o problema é do café, quando pode ser da comida ou da coca-cola que bebem ou outra coisa qualquer.

    É um estudo encomendado por Grupos homossexuais para legitimar a normalidade do fenómeno.

    Os homossexuais têm o mesmo direito dos restantes cidadãos e devem ser respeitados pelos seus comportamentos e opções de vida. Ninguém tem nada a ver com essa liberdade de escolha. Mas também têm deveres, por exemplo, de não obrigarem a que todos sejam homossexuais, ou impor que o fenómeno seja considerado normal, porque é negar a natureza, pura e simplesmente.

    Eu tenho Amigos homossexuais que respeito muito, mas eles são absolutamente naturais. Não embandeiram em arco e odeiam o dito orgulho gay.

    Entre os homossexuais temos pessoas exatamente como as hétero: inteligentes, burros, maus, bons, sérios, desonestos, etc. Não há diferenças, pois todos emanam da sociedade. Há muitos homossexuais (investigadores) inteligentes e muito inteligentes, que são capazes de fazer tudo para tentar demonstrar que o certo é a Terra girar à volta do Sol, para justificar a normalidade da homossexualidade e atacar quem pensa o contrário. Ou seja, tentam jogar o odioso da questão sobre os que discordam e assim, para esses homossexuais inteligentes, quem é a favor do "Orgulho Gay" é que é inteligente, sensível, culto e todos os outros que não perfilham dessa ideia são carroceiros, incultos, burros. É a clássica forma de silenciar quem se opõe, porque ninguém quer ser conotado com a burrice, incultura, etc.

    O loby Gay é poderoso em todo o mundo, porque nisso eles são unidos. Está bem representado em diversos Governos em Portugal e não só. Está bem representado na alta finança e até na igreja. O resto são fait divers.

    Este estudo não passa de "lixo".

    ResponderEliminar
  4. Alguns de voces ja' deve estar a esfregar as maos, pensando: "cada um traz os temas para debate, que mais lhe interessa".
    Pois, a homofobia diz-me tanto como, antigamente (e hoje em dia) se achava o negro, inferior especie. Assim como a mulher, que ainda o e', em muitas sociedades. Claro que nos faz sentir auperiores, quando inferiorizamos alguem. Em Portugal, isso e' uma caracteristica comum a muita gente. E' assim que se sentem felizes? Forca ai.

    ResponderEliminar