11/08/2015

DEMISSÃO



Ex.º Sr. Presidente, vice-Presidente, secretários-gerais do PDR,
Serve o presente email, para apresentar a minha demissão de um partido politico do qual nunca deveria ter feito parte.
Poucas coisas há na minha vida, que tenha feito de que me arrependa e me envergonhe. O PDR é seguramente a que mais me envergonha e me arrependo. Tão novo e consegue este partido reunir o pior dos dois mundos: todos os vícios dos grandes partidos nenhuma das suas qualidades! E assim bem pode o trio partidário continuar a alternar as cadeiras da governação de Portugal porque com exemplos destes, parece que mais vale ficar na mesma; com exemplos destes quase que compreendo a abstenção assustadora em todos os actos eleitorais.
Para mim basta!
Demorei a aderir a este partido, porque não o quis fazer levianamente. Vinha para ficar e trabalhar pelo meu País e ponderei - mal, admito - muito a errada decisão.
Na hora de sair, achei que tinha a obrigação moral, de ficar a consertar o que este partido de errado fez, pelas expectativas criadas aos que acreditaram neste projecto, e fi-lo de acordo com as suas regras e as do partido já que são uma e a mesma pessoa, mas nem assim isso de alguma coisa valeu!
Este partido é assim uma espécie de restaurante com prato do dia em que segundo a criatividade do chef as regras/ pratos do dia mudam diariamente, as receitas são apelativas, mas muito mal confeccionadas, dia após dia.E o staff não é melhor... como se viu pela conduta do Dr. Pedro Bourbon.
Um logro...e com tão mau chef, este restaurante não tardará a fechar portas. Aponto que lá para meados de Outubro depois de fechar a silly season.
Para terminar exijo que retirem o meu nome da vossa base de dados e me deixem de enviar as vossas circulares.
Não vos posso desejar boa sorte,politica porque seria desejar mal ao meu País.
E porque sou patriótica, estarei por cá e estarei activa.
Maria Ivone Lemos
( nº 2 da Lista C; Livres, Justos e Solidários )

Sem comentários:

Enviar um comentário