24/07/2015

MATOSINHOS PENSADO




Há quem ache que só se deve falar de eleições próximo da sua data. Eu pelo contrário penso que até à data de uma contenda eleitoral é necessário como diz o provérbio, «quem vai para o mar aparelha-se em terra". As próximas eleições autárquicas em 2017 aqui em Matosinhos vão dar muito que falar.
A sucessão de Guilherme Pinto está na ordem do dia, nada tendo que ver com a sua doença (tem demonstrado uma tenacidade e luta dignas de registo), mas por força da lei: limitação de mandatos. Terá que haver uma nova cara.
A questão que se põe: quem será? Guilherme Pinto actualmente é independente, entregou o cartão de militante socialista para poder concorrer contra o seu partido (PS), até então. Está excluído.
António Parada como líder da oposição não deixará de tentar ser o escolhido pela estrutura do seu partido (PS). Todavia vem de uma derrota pesada.
Se tivesse sabido esperar e ter sido o número dois de Guilherme Pinto, seria naturalmente o candidato do PS em 2017. De novo como diz o ditado popular, «quem tudo quer tudo perde». Assim não me acredito nessa possibilidade. Estava obcecado por concorrer a Presidente de Câmara e saiu-se mal.
Por outro lado, fala-se em Luísa Salgueiro. Mas francamente alguém que é deputada e abandonou funções em Matosinhos (chegando a ser vereadora e deputada) à partida terá mais dificuldades. Nada tenho contra a Luísa de quem sou amigo mas será mais útil como deputada. Optou por ir embora e não se pode voltar para ter um lugar. Isso tem que ser bem explicado aos matosinhenses. Todavia o PS pode escolhê-la mas as suas chances são reduzidas.
Fala-se em Palmira Macedo, actual presidente da Assembleia Municipal, de quem se diz que  Guilherme Pinto não toma nenhuma decisão sem o seu agrément. O seu poder extravasa as suas funções que são de liderar os trabalhos da Assembleia, não tendo funções executivas.
A espaços, fala-se do número dois de Guilherme Pinto, Eduardo Pinheiro que ninguém conhece e aterrou em Matosinhos de pára-quedas sendo uma escolha pessoal do actual presidente. Eu pergunto porque não pode ser Nuno Oliveira antigo número dois? E naturalmente Correia Pinto ou Fernando Rocha? Têm experiência e capacidade de se adaptar a várias circunstâncias. Já trabalharam com Narciso Miranda e agora com Guilherme Pinto.
Por fim, temos Narciso Miranda, um verdadeiro enigma, que pode ter a sua derradeira oportunidade de voltar à CM Matosinhos. O seu trajecto depois de acatar a ordem do PS de não concorrer em Matosinhos, devido ao famigerado episódio da lota. Passados quatro anos em 2009, concorreu contra o PS, mas não teve o cuidado, ou fê-lo deliberadamente, de entregar o cartão de militante. Perdeu as eleições e o cartão de militante do PS. Mais tarde, em 2013, não participou no acto eleitoral. Mas agora em 2017, pode abrir-se uma janela de esperança e oportunidade. Porquê?
Narciso Miranda foi enganado e ostracizado pelo PS, rejeitaram o seu contributo e a sua mais-valia em virtude de algo que todos tiveram culpa. De outro ponto de vista está no seu direito, de novo, ir a votos, é um cidadão expulso do partido, mas o que conta é que é um cidadão livre e independente.
Evidentemente que Narciso Miranda cometeu erros, alguns inexplicáveis, mas aprender com os erros ensina-nos a evitá-los. O primeiro passo para tirar proveito deles consiste em perder a vergonha de errar. Com os erros aprende-se. O problema é que em Portugal o erro é mal visto. Errar uma vez não quer dizer que se reincida mas que nos abre as portas para a criatividade e para fazer de outra forma. Nos Estados Unidos, num processo de selecção para um posto de trabalho um currículo com experiências negativas é muito bem visto. Alguém que, por exemplo, montou um negócio ou teve um lugar de chefia e teve uma experiência catastrófica passa a ter mais experiência e maturidade do que quem não a teve. A probabilidade que essa pessoa tem de ter mais iniciativa, ser mais inovadora e criativa aumenta.
Todavia o maior inimigo de Narciso Miranda é ele próprio. Assim ele saiba reencontrar-se e ter cuidado com quem o segue. O tempo tem permitido ver que Narciso Miranda não é assim tão desprezível e é alguém a ter em conta.
Matosinhos tem cometido muitos erros e dado uma imagem péssima para o exterior. Quem detém o poder ou quer ir para o poder não o faz por mal ou estupidez pensando que está a fazer bem. Keynes dizia que, «por vezes partindo de um erro lógico persistente pode levar-te ao manicómio».
Espero que Matosinhos não se torne um manicómio…

nota: muita gente me inclui na lista de candidatos à CM Matosinhos pelo que tenho feito pela cidadania e participação cívica no Clube dos Pensadores, não sendo alheio os inúmeros debates realizados em Matosinhos (Leça da Palmeira, S. Mamede, etc.) e o programa de rádio na RCM - Clube dos Pensadores - que esteve no ar, cinco anos, em que dava voz às pessoas de Matosinhos. Todavia auto-excluo-me apesar de receber imensas solicitações e incitamentos.
Joaquim Jorge 
*artigo de opinião publicado O Matosinhense 

3 comentários:

  1. Duvido que Narciso Miranda volte a pegar na bicicleta, para concorrer ao município, mas se o fizer ,-como o diz-,tem de se desfazer de alguns com muito nome mas de pouco trabalho,no fundo só estorvam.

    ResponderEliminar
  2. Caro Jota. Uma excelente análise. Vê-se bem que sabes muito de Matosinhos e vives as coisas ligadas ao município.

    Concordo com a análise feita, incluindo que Narciso Miranda não pode ser uma carta fora do baralho. Ele deve, programar-se bem, não escorregar mais e retirar ilações das derrotas anteriores.

    De facto, tens razão . Um estudo recente prova que a maioria dos homens de sucesso tiveram as suas derrotas, ou seja, caíram em média 3 vezes. Tiveram sucesso porque aprenderam e levantaram-se com mais força que antes. Não desistiram. Os que desistiram são os fracassados.

    Nos EUA isso é evidente. O país das oportunidades mostra respeito por quem é empreendedor e tem coragem de seguir ante as adversidades.

    Narciso Miranda também pode reclamar um passado de sucessos. Será bom ter memória. Era Narciso Miranda que carregava multidões nas campanhas eleitorais do PS. Ele foi um dos responsáveis por uma apoteótica manifestação de apoio a Mário Soares à Presidência, quando este tinha intenções de voto de 8% dos portugueses. Foi Narciso que tirou Matosinhos da ruralidade e transformou numa cidade moderna.

    Portanto, não é justo apenas olhar aos seus maus momentos. Ele não soube rodear-se de pessoas certas. Tinha um conjunto de simpáticos apoiantes sem ideias, sem peso e bons yes man. Isso foi fatal. Tinha gente a dar-lhe palmadinhas nas costas. Ele julgava que estava no bom caminho, quando lhe levavam para o precipício... ir em frente sempre, é o que lhe diziam.

    Porém, cada um é responsável e escolhe quem quer que o acompanhe.

    Matosinhos vai ser palco de uma luta política à moda das antigas.

    Mário Russo

    ResponderEliminar
  3. NO FB

    Pedra Azul Nada a acrescentar. Parabéns mais uma vez Doutor!
    Gosto · Responder · 23/7 às 10:37

    Paulo Oliveira Grua Amigo, Joaquim Jorge, parabéns pela sensatez expressa aqui na análise política da minha cidade Matosinhos. A minha modesta opinião é a seguinte:: PS em Matosinhos actualmente não existe, chega mesmo a ser ridícula a sua atuação vergonhosa e promiscuid...Ver mais
    Não gosto · Responder · 3 · 23/7 às 11:09 · Editado

    Joaquim Jorge Agradeço o seu comentário , Paulo Grua ajuda para este debate de ideias sobre Matosinhos.
    Gosto · 1 · 23/7 às 12:09
    Joaquim Jorge
    Escreve uma resposta...


    Eduardo T Carvalho Excelente analise da actual realidade de Matosinhos e dos seus principais intervenientes, corresponde exatamente à realidade. O PS se não superar os egos e os aparelhistas, apresentando uma figura credível arrisca-se a nova derrota.
    Não gosto · Responder · 3 · 23/7 às 11:38
    Ver mais 2 respostas

    Joaquim Jorge Obrigado
    Gosto · 23/7 às 12:10

    Vitor Martins Deveríamos ter mais pessoas como o Joaquim Jorge e talvez o rumo das políticas nacionais fossem mais transparentes.
    Não gosto · Responder · 4 · 23/7 às 13:00

    Joaquim Jorge Muito obrigado. Já ficaria feliz se as coisas melhorassem e eu desse o meu humilde contributo.
    Gosto · Responder · 1 · 23/7 às 13:09

    Alexandre Guimarães Dos Santos Um excelente candidato a presidente da câmara de Matosinhos, com defeitos e virtudes, mas as virtudes, que o reconheço, são da mais importância, por isso pena
    Não gosto · Responder · 2 · 23/7 às 15:23

    Maria Manuel Guerra Concordo plenamente, quanto à sucessão da Câmara de Matosinhos sugiro Pedro Sousa.
    Gosto · Responder · 1 · 23/7 às 16:55

    Fernando Silva · Amigo/a de Antonio Parada
    Eu analiso que se deve apoiar o político honesto, exemplar,que transmita confiança, mesmo que não seja meu amigo !
    Não gosto · Responder · 2 · 23/7 às 22:44

    Erica Nádia Nem sempre ganham os melhores... não posso concordar quando diz que Antonio Parada estava obcecado com a Camara (tinha muita gente dentro e fora do PS a pedir-lhe para avançar), pois posso dizer-lhe que, na minha opinião, foi, obviamente, Matosinhos e os matosinhenses que perderam....isso já se via e continua a ver-se, mas provavelmente quem sente é quem cá vive e quem está mais atento. Narciso Miranda é o Presidente de Matosinhos para sempre, que sofreu uma grande injustiça por parte do PS, com uma grande e verdadeira alma socialista... os outros escuso-me a comenta-los, não têm de facto qualquer relevância politica-partidária, pois nunca terão capacidade para liderar ... a liderança avalia-se desde logo no aparelho interno e qualquer um dos outros que refere, não têm a mínima noção do que isso é, nem nunca a quiseram ter.
    Gosto · Responder · 1 · 23/7 às 22:48

    Miguel Santos respondeu · 1 resposta

    Joaquim Jorge Agradeço os comentários ajuda ao debate de ideias sobre Matosinhos. temos que pôr Matosinhos a pensar e a ter opinião. Não interessa se essa opinião é de acordo com a nossa mas temos que emitir ideias, sugestões, criticas sobre Matosinhos.
    Gosto · Responder · 2 · 24/7 às 10:19

    Narciso Miranda Meu caro Joaquim Jorge: quero saudar a tua capacidade de diálogo, de debate e de abrir espaço de liberdade onde todos, sem excessão, podem, livremente, dar as suas opiniões, sejam corretas ou incorretas, sejam sérias ou pouco sérias, sejam justas ou injustas. Isso é liberdade. Isso é dar direito ao contraditório.
    Matosinhos precisa de respirar, precisa de debate, precisa de contraditório. Matosinhos que foi perdendo sues mais significativos órgãos dedo comunicao, caso radio clube de matosinhos, não tem espaços para se exercer o debate livre e construtivo.
    Parabéns ao clube Pensadores e particularmente ao Joaquim Jorge que demonstra um grande caráter e uma visão estratégica do que se passa nesta terra.
    Quanto ao que escreve estou globalmente de acordo embora me abstenha de comentar o que diz o que me refere.

    ResponderEliminar