29/07/2015

Artigo de opinião de Joaquim Jorge no PT Jornal



Luís Filipe Menezes 2.0

Gostava de ver, de novo, Luís Filipe Menezes na CM Gaia. Eu sei, eu sei, há várias questões jurídicas e económicas a decorrer em relação aos seus mandatos à frente de Gaia. Também sei, que consta que logo que Luís Filipe Menezes deixar de ser conselheiro de Estado perde a imunidade e virão mais problemas.
Todavia se Luís Filipe Menezes tivesse ficado à frente da CM Gaia por mais anos, poderia resolver os casos pendentes à sua maneira que estavam sob a sua alçada. Não me acredito que tenha usado de má-fé, o problema é que se pôs a jeito como se costuma dizer.
Por outro lado, também sei que em Portugal há muito a "teoria do que vem a seguir". Isto é, a pessoa que ocupa um lugar a seguir a outro tem por hábito dizer sempre mal do seu antecessor. Basta ver um mero exemplo de alguém que faz obras em nossa casa, a culpa é sempre de quem veio antes, o picheleiro a dizer mal do trolha, o electricista a dizer mal dos buracos feitos, etc.. O normal em Portugal, o presidente de Câmara que toma posse a dizer mal do seu antecessor, o primeiro-ministro que toma posse dizer mal do seu antecessor e assim sucessivamente. Faz parte da cultura de maledicência portuguesa.
Eu não sei porquê, mas gosto de Luís Filipe Menezes. Já o critiquei várias vezes e fez coisas para mim inexplicáveis. Por exemplo, estava nos últimos tempos muito mal rodeado, deste modo mal aconselhado, começou a pensar cedo demais no Porto, nunca conseguiu explicar bem que a ida para o Porto era para um bom projecto, e não, para ocupar um lugar que tinha que deixar o de Gaia. Por fim, uma análise com alguma distância, se soubesse esperar quatro anos, pela obrigatoriedade da limitação de mandatos teria, de novo, a cidade de Gaia a seus pés.
Gosto de Luís Filipe Menezes pelo seu lado educado, bom aspecto, rebelde, insubmisso, em que o limite é o céu. Nada com ele é impossível, basta ver o que fez em Gaia. Há uma cidade de Gaia antes de Menezes e depois de Menezes (vivo em Gaia há 30 anos). É um sonhador, criativo e charmoso que conseguiu envolver as pessoas nos seus sonhos. O problema coloca-se nos seus exageros.
No seu léxico não existe a palavra impossível. Aliás conseguiu fazer do impossível possível. Há uns anos atrás quando se dizia que se ia a Gaia. Quem vivia do lado do Porto dizia que se ia a "Marrocos". Designação depreciativa de quem atravessava a ponte Arrábida e que vivia num local mais parecido com o norte de África do que com uma zona de um país europeu. Esta expressão é de um bairrismo exacerbado mas tinha um fundo de verdade, faltava quase tudo a Gaia. Agora não tem razão de ser.
Gaia tem um litoral do melhor de Portugal, saneamento básico, infra-estruturas de todo o tipo de uma rede viária de fazer inveja a qualquer das melhores cidades portuguesas. O seu calcanhar de Aquiles foi o interior de Gaia. A lei de limitação de mandatos é que impediu a execução desse plano pós-2013.
Com Luís Filipe Menezes à frente de Gaia, a cidade ganhou em estatuto, classe e modernidade. Gaia não pode ser o parente pobre do Porto. Gaia é Gaia, têm uma história igual ao Porto mas tem mais gente e mais espaço que o Porto. Falta-lhe ter o mesmo "nome", todavia com o tempo havia de o conseguir. Um nome é algo que demora a fazer-se.
Deste modo Luís Filipe Menezes deveria ponderar voltar a Gaia noutro registo, na versão Luís Filipe Menezes 2.0, juntar a sua veia inovadora mas com mais controlo dos gastos e acompanhado de outro tipo de pessoas, as sanguessugas que andaram à sua volta prejudicaram-no seriamente.
Gaia é uma cidade que merece ter alguém com pedigree. Não sei se está pelos ajustes e quer voltar? Eu como gaiense gostava de o ter de volta, perdoo-lhe algumas coisas menos correctas se me souber explicar o que se passou.
Mas nesse futuro projecto deve rodear-se de pessoas menos dos partidos e mais da sociedade civil. Acabar o que ficou por fazer, num projecto sempre para a frente mas mais sustentável. No fundo uma nova versão Luís Filipe Menezes 2.0 , com um reset.

Joaquim Jorge

*artigo de opinião publicado no PT Jornal 

4 comentários:

  1. Excelente artigo. Também simpatizo com o LFM. Não sou gaiense, mas trata-se de uma pessoa cativante.

    Um abraço.

    PG

    ResponderEliminar
  2. Foi-me enviado um email de pessoa próxima de Luís Filipe Menezes a esclarecer alguns pontos que eu agradeço e o Clube

    Quanto a questões judiciais, devo informá-lo que não existe nada contra Luís Filipe Menezes, nem nunca foi incomodado por nenhum agente judicial. Quanto à imunidade, isso é uma falácia patética. Em primeiro lugar porque não é esse o estatuto do Conselho de Estado, onde era levantada sempre em 24 horas, para além de de que perante as primeiras calúnias publicas LFM afirmou de imediato que prescindia imediatamente dela.

    ResponderEliminar
  3. Foi-me enviado um novo email de pessoa próxima de Luís Filipe Menezes

    Aproveitando a oportunidade, deixe-me acrescentar algo que se torna óbvio para alguém com a sua perspicácia critica.
    Em primeiro lugar a dívida de Gaia. Luís Filipe Menezes sempre contestou essa mentira. Tínhamos uma dívida contida e que pagávamos religiosamente, mas insignificante face só volume de investimento, aliás realizado contra-ciclo - na pior década da economia Portuguesa.
    Mentira rasca, que cai no ridículo face ao que aconteceu a seguir: a Câmara de Gaia ficou de fora dos rácios que obrigaram dezenas de outras a aderirem coercivamente a um resgate financeiro, apresenta uma conta de gerência de 2014 onde a dívida é das mais baixas per capita no País, continua a financiar Marés Vivas e quejandos, e ainda esta semana atribuiu mais de 1 milhão de euros em subsídios a clubecos - prática com que Luís Filipe Menezes havia terminado - ao mesmo tempo que vai inaugurar uma obra que Menezes deixou paga - o Areinho de Oliveira do Douro - com uma festa sumptuosa e cara com o Pedro Abrunhosa.
    Até agora só inaugurou o que Menezes deixou, em obra é pago integralmente - piscina de Pedroso, pavilhão das Pedras, viaduto do Centro Histórico, obras de Vila D Este e agora o Areinho.
    Quanto à megalomania de que fala o actual medíocre líder local, nunca esclareceu se se tratava do saneamento, das 4000 casas para os mais pobres, das vias estruturantes, da costa de mar, da frente ribeirinha, dos equipamentos desportivos, do novo parque escolar!!!

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  4. Peripécias à parte,e como não sou nem nunca vivi em Gaia, nada posso dizer se Filipe Meneses foi um bom ou mau presidente da C.M.G.,concordo em pleno com o artigo de Joaquim Jorge, que conhece ambas as partes -L.F.M. e Gaia.Uma coisa é certa;uma Câmara pode ser bem ou mal gerida ,, é como uma empresa,, e nestas circunstâncias só há duas hipóteses , ou se individa dentro dos limites aceitáveis e se faz obra de desenvolvimento , ou se faz gestão corrente e fica tudo entregue à " bicharada". .LFM , é uma pessoa inteligente,-trabalhei numa empresa que ele era médico da mesma , , pessoa afável,mas como diz J.J., rodeou-se de pessoas de muita má qualidade,e daí do céu ao inferno na visão de muitas pessoas , foi um rápido, mas desejo-lhe toda a sorte do mundo.

    ResponderEliminar