19/05/2015

Na linha do horizonte



Carla Ribeiro










Toca o mar o sol e as nuvens, ao longe no horizonte.
Serena esta imagem, suave este sentir, quando estás perto de mim.
Os teus braços que me abraçam, o teu corpo junto ao meu.
Suave este sentir, que no silêncio, entre olhares e carícias nos faz mergulhar.
São os beijos desejado, os trocados e os roubados, são até os sonhados.
Toca o sol o mar com a mesma suavidade que no meu rosto sinto a tua mão.
Suavemente os teus dedos percorrem o meu rosto,
Fecho os olhos, sereno o meu respirar, fico apenas a sentir.
Penso em tudo, e penso em nada, quero apenas nestes movimentos mergulhar.
Sentir a suavidade da tua pele, o aroma do teu desejo, neste bailado perfeito
Entre os teus dedos e os beijos, entre o desejo e o sonho.
A tua respiração ofegante, os teus beijos que me deixam sem respiração.
Doces, meigos ardentes, como quando o sol toca o mar ao longe no horizonte.
Fica o brilho no mar, o vermelho ardente, a turbulência e a serenidade
Num misto de todos estes sentires, no ir e no ficar
No partir e no voltar, na busca de um sorriso, na busca de um beijo.
Toca o mar, o sol ardente, quando este se recolhe
Assim tocas tu em mim, nesta descoberta incessante de me fazer vibrar.
Fica no olhar o brilho, no rosto o sorriso, nos lábios o desejo
E em todo o nosso corpo a chama ardente de se tocarem.
Na linha do horizonte fica agora o anoitecer, que nos cobre no seu manto
Para que os nossos corpos se possam despir, para juntos se sentirem.
Fica a lua e as estrelas, são elas agora a nossa companhia
Neste desejo de te Amar, de te ter meu e de ser Tua.
Na linha do horizonte, fica agora este desejo ardente de te Amar.

Sem comentários:

Enviar um comentário