17/01/2015

Crónica de Genebra




Nélson Magalhães Fernandes 

«  Ai Amor, toma lá Pinhões … ! »

     Não tivesse eu estado aqui a cronicar vão lá dois dias, a propósito das pinhas que o meu Pai ia apanhar nos pinheiros do Compadre, António do Souto e dos pinhões com que depois de abertas as pinhas jogava-mos ao RAPA, e nem daria atenção à noticia que venho de ouvir hoje (05.01.2015) no Canal de Televisão Francês TF1.
     Os Espanhóis e os Portugueses a carregarem Semi-Trailers de pinhas « MANSAS » nos pinhais  da Ilha de RÉ do « Compadre Francês » … !
     Se ainda apanhassem as pinhas e não « Magoassem os Pinheiros » … ! vai cus Diabos. Mas não, preguiçosos para trepar aos pinheiros, para fazer a (COLHEITA), partem as arrancas e aí o « Compadre Francês » mandou-se aos ares … ! Fazem-me lembrar a Canção do « BONGA » … « comeram a fruta e a casca ficou no chão »… !
     Diz a TF1, que os trailers uma vez carregados, rumam à Península Ibérica, onde as pinhas vão ser abertas, não em nenhum forno depois de cozida a broa, mas em fornos industriais, porque as suas sementes, uma vez libertadas do seu rígido envelope, são vendidas entre 80€ e 120€ o kilo.
     Para aqueles que tenham dificuldades de entendimento geográfico, a Península Ibérica é uma região da Europa aonde o dito-cujo pinhão, têm grande apreciação, (mesmo com direito a uma canção), particularmente nesta época do ano. O Bolo Rei, as Pinhoadas e outras Guloseimas aproximadas … !
     Ora, em tempos idos, essa árvore que na Península Ibérica dá pelo nome de Pinheiro Manso, desapareceu, com o aparecimento de uma raça « aparentada » com a Humana que dá pelo nome de : Pirómanos.
           Contrariamente ao que a maioria dos analistas da matéria, poderão pensar, que os fogueadores, são sub-humanos, tipo orangotangos essa casta : os Pirómanos, são gente de boa formação e bem formada, pelo menos nos objectivos a atingir, com o acender de um simples, (Cabeça vermelha) … !
     Mas a populaça, com crise ou sem ela, acreditando ou não no Natal ou em qualquer outra coisa Sagrada, o que quer é Bolo Rei e Pinhoada … !
     Já lá vão uns anos quando BRUXELAS enviava diariamente Trailers de DINHEIRINHO VIRGEM para que o Portugal dos « pequenitos crescesse », era eu gerente de uma grande pastelaria, na qual se fabricavam durante a época natalícia umas largas toneladas de Bolo -Rei e afins.
     Nesses longínquos tempos as mãos dos portugueses já estavam demasiado mimosas para trabalhos duros, quanto mais para andar a trepar pinheiros para as encher de resina e esmurradelas … !
     Assim nesses tempos de FARTAZANA o Bolo Rei que se comia em Portugal era feito com pinhão IMPORTADO DA CHINA. Vinha em latas de cerca de 60kg, com a tampa soldada a estanho e quando se abriam era um cheiro a Ranço que tresandava. Contabilizei e abri muitas. Pouco importava, a abundância era tanta que uma parte era para comer e a outra era para deitar fora. E depois os portugueses são adeptos de comer com os olhos.
     É o faz de conta. E depois dizem que é para inglês ver… ! A culpa nunca pode morrer solteira … !  Em *Boa Verdade* vos digo, o coração é que conta, mas esse,ninguém o vê … !
     Assim, queimados os Pinheiros Mansos e acabada a FARTAZANA de €UROS VIRGENS, para comprar pinhões à China … ! Rançosos fossem eles, para que haja Bolo  -Rei na mesa do Zé, vão-se roubar as pinhas a ILHA DE RÉ … !
     Ai português, português … ! Pediste um e vais pagar três … ! A fartura deu em miséria e o melhor, ainda o que esta para vir … !
     Quanto aos portugueses « pequenitos, cumpriram à letra aquilo que Bruxelas lhes disse para fazer » … ! Cresceram e … desapareceram … !
     Quanto aos PORTUGUESES PEQUENINOS, estão tal e qual como aqueles que habitam ao lado da Quinta Das Lágrimas. Condenados ao abandono.
Ai amor, toma lá pinhões …   /   Ai que banho agora da feira …
Ai casar-me e ganhar pra dois …  /    Ai mais valia estar solteira… !

Sem comentários:

Enviar um comentário