29/11/2014

Miguel Sousa Tavares sobre a detenção de José Sócrates



Miguel Sousa Tavares comentou, em declarações ao semanário Expresso deste sábado, a detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates. Segundo o comentador da SIC, a maneira como as coisas foram feitas desde a detenção prévia ao aparato policial no tribunal foi uma «clara intenção de humilhar» Sócrates.

Miguel Sousa Tavares escreveu um artigo de opinião no semanário onde falou sobre a detenção do antigo primeiro-ministro e deixou também uma mensagem a Alberto Gonçalves, que afirmou no Diário de Notícias que «o cidadão comum teme que José Sócrates acabe sem castigo. Eu também».
Nas palavras de Miguel Sousa Tavares, «o cidadão comum e o Alberto Gonçalves podem estar descansados: pior castigo do que aquele que José Sócrates já teve é difícil».
Ainda sobre o caso, Sousa Tavares afirmou que «tratando-se de José Sócrates Pinto de Sousa, os danos – pessoais, familiares, políticos e profissionais, agora e para sempre – são irreversíveis».
«Ninguém, absolutamente ninguém de boa-fé, pode dizer neste momento se José Sócrates é culpado ou inocente das gravíssimas acusações de que foi alvo», prossegue,
Já sobre o juiz Carlos Alexandre, responsável pelos “vistos gold”, o comentador não poupou as críticas: «Não acho normal nem saudável que todos os principais crimes mediáticos ou envolvendo os chamados poderosos tenham a instrução a cargo de um único juiz.»
Ainda sobre Sócrates, Sousa Tavares não acredita que se tinha agido de boa-fé e que as buscas deveriam ter tomado outro curso.
«Tudo foi feito com a clara intenção de humilhar, num ajuste de contas que vem bem de trás», concluiu.

retirado do Diário Digital

Sem comentários:

Enviar um comentário