28/10/2014

Brasil: eleições presidenciais





Depois de vencer Dilma Rousseff as eleições presidenciais do Brasil , em que  Eduardo Campos morreu  na queda de uma aeronave. A causa deste acidente ainda está por deslindar , porém era um candidato fortíssimo do PSB. A campanha a partir daí foi diferente e teve outro rumo.
Não entendo tanta contestação nas ruas e deu em nada ou muito pouco. Fez tremer a Senhora mas aguentou-se. O Lula por trás a empurrá-la com todas as suas forças e saber.
O Brasil explodiu em protestos e manifestações de rua, que de uma reivindicação contra o aumento das tarifas dos transportes públicos evoluíram para um desabafo colectivo contra a politica institucional 
Mais tarde, o regresso dos brasileiros à rua dias antes da abertura do Campeonato do Mundo de futebol, pareciam o prenúncio da mudança inevitável.
O desejo de mudança  dos brasileiros não teve a força ou organização suficientes contra os mecanismos da politica tradicional , do PT e PSDB: militância activa, o encosto dos governos estaduais e campanhas milionárias geridas por gente do marketing e experiência.
Os protestos que ameaçaram ser protagonistas não passaram de meros figurantes. Com o 
exemplo do que se passou no Brasil em que grassa a corrupção e os negócios obscuros parece que um regime democrático não tem saída. Uma mudança no quadro constitucional  é praticamente impossível quer no Brasil quer em Portugal.

JJ

1 comentário:

  1. Para mim, e para muitos dos meus amigos brasileiros, foi uma grande decepção!
    Lá como cá..., o que convém é manter muita gente pendurada no Estado e de preferência sem trabalhar.
    Dessa forma, os votos estarão sempre garantidos.
    A classe média, que sustenta tudo isto, está cada vez mais sufocada e sobrecarregada de impostos.
    E, entretanto, eles vão enriquecendo e dando a mesma oportunidade aos amigos e familiares.
    Nada de novo. e nós estamos no mesmo caminho; para não variar.


    Hercília Oliveira.

    ResponderEliminar