22/09/2014

Clube dos Pensadores recomeça debates com Ribeiro e Castro


HOJE

Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores (CdP) convidou José Ribeiro e Castro para estar presente, dia 22 de Setembro, pelas 21:30, no Hotel Holiday Inn em Gaia.

O tema deste debate andará à volta da análise do que foi a legislatura deste governo PSD/CDS: Balanço da Legislatura. As eleições legislativas estão marcadas para Setembro de 2015, mas a sua data pode ser antecipada para antes das férias do Verão do próximo ano, ideia defendida por Marcelo Rebelo de Sousa e outras personalidades, tendo em conta a coincidência  da tomada de posse do novo governo e a apresentação do Orçamento de Estado. Por outro lado, a proximidade das próximas eleições presidenciais, em Janeiro de 2016.

Por outro lado o CdP recebe Ribeiro e Castro numa altura em que está em preparação o Orçamento de Estado, e em que regressará a Portugal a troika.

Ribeiro e Castro, antigo líder do CDS e actualmente deputado do CDS tem assumido posições críticas em relação à direcção do CDS.  Divergiu da estratégia política de Paulo Portas na crise que explodiu em Julho do ano passado. Alegando que seria melhor haver coesão política no Governo e lamentou não haver debate interno, acusando o CDS de  institucionalismo, de existir um ambiente de perseguição, com controleiros internos.Recentemente está contra a proposta de lei do jogo online feita por um governante do CDS.

Este desencanto levou-o a afastar-se da direcção do partido demitindo-se de presidente da comissão parlamentar de Educação.

Ribeiro e Castro foi presidente do CDS em 2005 – sucedendo a Paulo Portas -  e  foi novamente substituído por Portas em 2007. Numa altura que se fala na sucessão de Paulo Portas é sempre um putativo candidato à liderança do CDS.

Tem-se empenhado em causas como a da restauração do feriado do 1º de Dezembro. Recentemente faz parte dos subscritores do “manifesto dos 30” em que se avança com ideias para a reforma do sistema eleitoral e financiamento partidário. Algo que o CdP tem pugnado por uma democracia de qualidade e uma premente libertação da tutela dos directórios partidários. A democracia não se esgota nos partidos e tem que se ir mais além.

O que se está a passar na disputa interna do PS entre António Costa e António José Seguro para arregimentar votos é preocupante. A reforma do sistema político deve começar pela organização dos partidos e o seu funcionamento.

Deste modo o CdP recomeça os debates deste ano, em que se iniciou com Teixeira dos Santos, ex-ministro das Finanças do governo de  José Sócrates, em seguida, Carlos Barbosa, presidente do ACP, Arménio Carlos, líder da CGTP, António Capucho, ex- PSD,  Henrique Neto, empresário e ex-deputado do PS e Marcelo Rebelo de Sousa ex-líder do PSD.

CdP

1 comentário:

  1. Será com certeza, mais um bom debate a que já nos habituou este Clube.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar